Filmes por gênero

A ILHA DA GARGANTA CORTADA (1995)

Cutthroat Island
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A ilha das cabeças cortadas (Portugal)
L'île aux pirates (França)
L'île coupe-gorge (Canadá)
Corsari (Itália)
La pirata (México, Peru)
Die piratenbraut (Alemanha)
La isla de las cabezas cortadas (Espanha)
Djævleøen (Dinamarca)
Остров головорезов (Rússia)
Pais: Estados Unidos, França, Itália, Alemanha
Gênero: Ação, Aventura
Direção: Renny Harlin
Roteiro: Marc Norman, Robert King
Produção: Laurence Mark, Renny Harlin, Joel Michaels, James Gorman
Design Produção: Norman Garwood
Música Original: John Debney
Direção Musical: David Snell
Fotografia: Peter Levy
Edição: Ralph Winters, Derek Brechin, Florent Retz, Frank Urioste
Direção de Arte: Keith Pain, Roger Cain
Figurino: Enrico Sabbatini
Guarda-Roupa: Yvonne Cousin, Marie Boller, Lawrence Cassar e outros
Maquiagem: Paul Engelen, Ben Nye Jr., Debbie Gower e outros
Efeitos Sonoros: Rudy Pi, Ivan Sharrock, Michael Wilhoit e outros
Efeitos Especiais: Reno Barbara, Robert Calvert, Neil Corbould e outros
Efeitos Visuais: Jeffrey Okun, Jonathan Taylor, Lorraine Silver, Tina Mesa e outros
Nota: 6.9
Filme Assistido em: 1996

Elenco

Geena Davis Morgan Adams
Matthew Modine William Shaw
Frank Langella Dawg Brown
Maury Chaykin John Reed
Patrick Malahide Governador Ainslee
Rex Linn Sr. Blair
Paul Dillon Snelgrave
Christopher Masterson Bowen
Jimmie F. Skaggs Scully
Harris Yulin Black Harry
Carl Chase Sr. Bishop
Peter Geeves Fiddler
Angus Wright Capitão Trotter
Rupert Vansittart Capitão Perkins
Ken Bones Toussant
Thomas Lockyer Tenente
Jimmie Skaggs Tom Scully
Mary Pegler Mandy Rickets
Roger Booth Leiloeiro
Christopher Halliday Hastings
Tam White Fleming
Daragh O'Malley Bourke
Stan Shaw .
Mary Peach .

Indicações

Prêmios Razzie, Los Angeles, California, Estados Unidos

Prêmio Razzie de Pior Direção (Renny Harlin)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O mapa de um fabuloso tesouro foi cortado em três partes por um velho pirata e dividido entre seus três filhos, Black Harry, Mordachai e Dawg Brown.  Vários anos depois, mais precisamente em 1668, pouco antes de morrer, Black Harry, passa a sua parte no mapa, que se acha tatuada em seu couro cabeludo, para sua filha Morgan Adams, uma jovem aventureira que luta tão bem quanto qualquer homem e que se acha com sua cabeça posta a prêmio.

Ajudada por sua tripulação, ela decide encontrar o tesouro mencionado.  Seu primeiro problema é encontrar alguém que domine o latim, já que sua parte no mapa acha-se escrita nessa língua.  Em Port Royal, na Jamaica, toma conhecimento que um prisioneiro, William Shaw, domina o idioma e está para ser vendido como escravo num leilão em praça pública.  Após adquiri-lo, é reconhecida pelas autoridades e obrigada a fugir.

Seguindo recomendações de seu pai, Adams procura seu tio Mordachai, detentor de uma das partes do mapa, a fim de juntarem forças na procura do cobiçado tesouro.  Pouco depois de se entenderem, os dois são surpreendidos pela chegada do ambicioso tio Dawg Brown, responsável pela morte de Black Harry.  Exigindo dos dois suas respectivas partes no mapa, Dawg provoca um verdadeiro banho de sangue na área portuária, conseguindo matar o irmão Mordachai.  Ao vê-lo morto, Shaw se apossa da parte do mapa que se achava com ele.

Adams e seus tripulantes conseguem chegar a seu navio e zarpam imediatamente.  A partir de determinados números, ela conclui que os mesmos devem representar a longitude do local em que se acha o tesouro.  Tal longitude corta o Arquipélago do Criminoso e passa próxima da Ilha da Garganta Cortada.

Depois de enfrentar uma forte tempestade, Adams consegue chegar à tal ilha.  Entretanto, logo depois, verifica que Dawg também o conseguiu.  Preocupa-se ao descobrir que Tom Scully, um de seus tripulantes, a traiu e foi-se juntar a seu tio.

Suas habilidades como ladrão fazem com que Shaw consiga roubar a terceira parte do mapa, quando Dawg se acha dormindo.  No entanto, ao retornar ao grupo de Adams, é por esta apanhado.  De posse das informações de que precisa, ela e seus homens iniciam os passos necessários para chegarem ao local tão cobiçado.

Adams e Shaw descem até uma caverna onde localizam, finalmente, o tesouro que procuram.  No entanto, ao tentarem sair, verificam que Dawg está no comando da situação.  Os dois conseguem pular no mar agitado.  Shaw é preso minutos depois e Adams é dada como morta.

Dawg faz um acordo com autoridades de Port Royal que chegam ao local.  O tesouro é transportado para um dos navios.  Para um outro, é levada a tripulação de Adams, a qual fica acorrentada em seus porões.  Os navios partem e, pouco tempo depois, Adams, que conseguira embarcar sem ser vista, liberta seus homens e retoma o navio.  Em seguida, ruma em direção à embarcação onde se encontram as autoridades, Dawg, o tesouro e, preso, Shaw.  O combate se inicia com o fogo dos canhões, seguido de luta corpo-a-corpo e termina com a vitória de Adams e de seus homens.

imagem

Comentários

Embora se trate de uma co-produção envolvendo USA, França, Itália e Alemanha, além de um orçamento nada baixo, "A Ilha da Garganta Cortada" não chega a ser um bom entretenimento, nem de longe comparável a grandes filmes do gênero como, por exemplo, "Capitão Blood", de 1935, com Errol Flynn e Olivia de Havilland, ou "O Cisne Negro", de 1942, com Tyrone Power e Maureen O'Hara.

Como a maioria dos filmes sobre piratas, acham-se presentes a caça ao tesouro, muitas intrigas e traições.  Aqui, temos uma mulher-pirata, interpretada por Geena Davis, que se sai até bem.  A direção do finlandês Renny Harlin, na época casado com ela, deixa a desejar, assim como o roteiro repleto de furos.

As seqüências de ação, principalmente aquelas envolvendo a batalha naval, até que são muito bem coreografadas, graças a um bom trabalho de efeitos especiais.  Um dos pontos altos do filme é sua trilha sonora, assinada por John Debney.

CAA