Filmes por gênero

A CAMAREIRA DO TITANIC (1997)

La femme de chambre du Titanic
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'immagine del desiderio (Itália)
Das Zimmermädchen der Titanic (Alemanha)
La camarera del Titanic (Espanha)
The Chambermaid on the Titanic (USA)
Pais: França, Itália, Alemanha, Espanha
Gênero: Drama
Direção: Bigas Luna
Roteiro: Jean-Louis Benoît, Bigas Luna, Cuca Canals
Produção: Yves Marmion, Mate Cantero, S. Sorlat, D. Plantier, M. Wiebel
Design Produção: Gualtiero Caprara
Música Original: Alberto Iglesias
Música Não Original: Robert Schumann, Max Bruch, Giovanni B. Pergolesi
Fotografia: Patrick Blossier
Edição: Kenout Peltier
Figurino: Franca Squarciapino
Guarda-Roupa: Sergio Ballo, Elena Caucci, Cristina Rosa e outros
Maquiagem: Gaia Banchelli, Laura Borselli, Gino Zamprioli e outros
Efeitos Sonoros: Jean-Paul Mugel, Véronique Tiron, José Vinader e outros
Efeitos Especiais: Roberto Ricci, Riccardo Ricci, David Danesi, F. Sabelli
Efeitos Visuais: Eve Ramboz, Jean-Marie Vives
Nota: 7.0
Filme Assistido em: 2002

Elenco

Aitana Sánchez-Gijón Marie
Didier Bezace Siméon
Didier Bénureau Secretário de Simeon
Romane Bohringer Zoé
Jean-Marie Juan Pascal
Aldo Maccione Zeppe, ator
Yves Verhoeven Gaspard
Olivier Martinez Horty
Marianne Groves Mathilde
Arno Chevrier Al
Alberto Cassadie Giovanni
Giorgio Gobbi Manu
Vicenzo De Caro Lacroix
Barbara Lerici Blanche
Stefania Orsola Garello Mimi
Maurizio Solda Lou

Prêmios

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Roteiro Adaptado

Goya de Melhor Figurino

Festival Internacional de Cinema do Cairo, Egito

Prêmio Pirâmide de Ouro (Bigas Luna)

Prêmio de Melhor Direção (Bigas Luna)

Prêmio Especial (Jean-Louis Benoît)

Indicações

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Fotografia

Goya de Melhores Efeitos Especiais

Goya de Melhor Direção de Produção

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema 70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

Horty é um jovem empregado de uma fundição francesa, a Metalúrgica Siméon.  Pela terceira vez consecutiva, ele é vencedor da gincana anual promovida pela empresa.  Como prêmio, vai poder assistir, na Inglaterra, à partida do luxuoso transatlântico Titanic, em sua viagem inaugural.  Na realidade, a empresa havia adquirido passagem e hospedagem para duas pessoas, mas Siméon, proprietário da Metalúrgica, deseja que Zoé, mulher de Horty, não viaje.

Logo após chegar ao quarto do hotel, em Southampton, bate à sua porta a jovem Marie, que se diz camareira do Titanic e que não tem onde passar a noite.  Sendo sua compatriota, ele concorda em dividir o quarto com a jovem.  Ao acordar no dia seguinte, Horty percebe que ela já havia deixado o hotel.  Ele se apressa para chegar ao cais a tempo de assistir à partida do transatlântico.  Uma vez lá, vê de longe um fotógrafo tirar uma fotografia de Marie.  Depois que o navio zarpa, ele consegue uma foto dela com o fotógrafo.

De volta à França, Horty é recebido na estação por Siméon, Marie e colegas da fundição.  Siméon comunica-lhe que ele está sendo promovido, ao mesmo tempo em que um colega lhe diz que Zoé deve ter dado um jeitinho, ao ser gentil com o presidente da empresa.

Ao chegar em casa, ele se mostra calado, receoso de que Zoé o tenha traído com Siméon.  Ele a deixa falando sozinha e vai ao Bar do Lou a fim de se embebedar.  Lá, ao verem a foto de Marie, seus colegas querem saber mais sobre a jovem.  Horty começa então a fantasiar seu encontro com ela, dizendo que teve uma noite inesquecível e que, no dia seguinte, ela o levou para conhecer o navio, onde comeram, beberam, dançaram e fizeram amor várias vezes.

Ao retornar para casa, pede satisfações à Zoé sobre seu relacionamento com Siméon.  Do lado de fora, seus colegas, embriagados e aos gritos, pedem mais informações sobre a camareira, o que deixa Zoé furiosa.  Ao tomar conhecimento do naufrágio do Titanic, Horty se isola no topo de uma torre, onde passa horas admirando a foto de Marie.  É preciso a intervenção de um de seus amigos, que lhe diz, inclusive, que Zoé nunca teve nada com Siméon, para que ele desça e volte para casa.

Nas noites que se seguem, cresce cada vez mais o número de pessoas que vão ao Bar ouvir as histórias de Horty.  Zoé decide ir até lá, o que a deixa furiosa pela forma convincente com que ele fala, mas ele garante que as inventou apenas para satisfazer a curiosidade dos amigos.  Certo dia, chega ao Bar um ator, Zeppe, que diz ter viajado 100 km para ouvir Horty, após o que, lhe oferece uma proposta irrecusável para que ele passe a trabalhar em seu teatro ambulante, percorrendo o interior do País.

O sucesso das histórias de Horty corre o País.  O teatro ambulante dá lugar a teatros fixos.  Certo dia, durante uma apresentação, ele vê Marie sentada na platéia.  Ao ser notada, ela se retira.  Horty interrompe sua fala e vai ao seu encontro.  Zoé corre para ver o que está acontecendo e, defronte ao teatro, depara-se com Marie sentada em um carro.  Esta diz à Zoé que Horty está ganhando dinheiro usando indevidamente o nome dela e que está ali para ser recompensada por isso.  Nesse ínterim, Horty depara-se com Pascal, amante de Marie, que lhe diz ser ela uma prostituta e que, em Southampton, ao pedir para dormir no quarto dele, o fez com a intenção de roubar sua carteira, mas que infelizmente ele se achava sem dinheiro.

Zoé vai ao teatro e retorna, logo depois, trazendo suas economias para dar à Marie, a quem pede que desapareça das vidas deles.  Ao voltar ao palco, Horty fala para a platéia que suas histórias são uma farsa e que ele não pretende continuar com elas.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num romance de Didier Décoin, "A Camareira do Titanic" é uma agradável surpresa.  Realizado pelo diretor Bigas Luna, que também participou da elaboração do roteiro, o filme conta simultaneamente duas histórias, uma real e a outra imaginária, esta última fruto da imaginação e da fantasia do personagem vivido pelo ator Olivier Martinez.

Os monólogos apresentados por Horty são acompanhados por uma série de imagens, através das quais pode-se visualizar a narração, criando uma conexão entre a platéia do Bar e os espectadores no cinema.

Além de um excelente roteiro e do ótimo trabalho de Bigas Luna, na direção, "A Camareira do Titanic" apresenta ainda a bela fotografia de Patrick Blossier e boas interpretações.  Romane Bohringer está perfeita no papel da esposa frustrada, lutando para manter seu casamento.  Sua química com Olivier Martinez é indiscutível.  Aitana Sánchez-Gijón, no papel da camareira, também se destaca.

CAA