Filmes por gênero

A DANÇA DAS PAIXÕES (1998)

Dancing at Lughnasa
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Dançando em Lughnasa (Portugal)
Les moissons d'Irlande (França)
Ballando a Lughnasa (Itália)
Danser à Lughnasa (Canadá Francês)
El baile de agosto (Espanha)
anz in die Freiheit (Alemanha)
Pais: Irlanda, Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Pat O'Connor
Roteiro: Frank McGuinness
Produção: Noel Pearson
Design Produção: Mark Geraghty
Música Original: Bill Whelan
Fotografia: Kenneth MacMillan
Edição: Humphrey Dixon
Direção de Arte: Clodagh Conroy, Conor Devlin, Terry Pritchard
Figurino: Joan Bergin
Guarda-Roupa: Jo Kissack, Gabriel O'Brien, Susan Scott e outros
Maquiagem: J. Roy Helland, Jennifer Hegarty, Clare Lambe
Efeitos Sonoros: Jonathan Bates, Kieran Horgan, Alastair Sirkett e outros
Efeitos Especiais: Kevin Nolan, Jim Walsh
Efeitos Visuais: Craig Chandler
Nota: 6.9
Filme Assistido em: 1999

Elenco

Meryl Streep Kate Mundy
Michael Gambon Padre Jack Mundy
Catherine McCormack Christina Mundy
Kathy Burke Maggie Mundy
Sophie Thompson Rose Mundy
Brid Brennan Agnes Mundy
Rhys Ifans Gerry Evans
Darrell Johnston Michael Mundy
Lorcan Cranitch Danny Bradley
John Kavanagh Padre Carlin
Marie Mullen Vera McLoughlin
Dawn Bradfield Sophie McLoughlin
Kate O'Toole Química
Peter Gowen Austin Morgan

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Pat O'Connor)

Prêmios para Jovens Artistas, EUA

Prêmio de Melhor Ator com 10 anos ou menos (Darrell Johnston)

Sinopse

Donegal, Irlanda, 1936.  Depois de 25 anos na África, o irmão mais velho e único filho homem, Jack Mundy, um padre, retorna para o seio da família.  Lá, ele vai se encontrar com suas cinco irmãs, todas solteiras e cada uma com um temperamento bem diferente.

A mais nova, Christina, provocou um escândalo ao ter um filho, Michael.  Outra irmã, Maggie, fumava e levava uma vida sem preocupações, bastante diferente da mais velha, Kate, uma professora que era muito séria e que, por falta de uma presença masculina, se tornara o "chefe da família".  As outras duas, Agnes e Rose, cuidavam mais da casa.

Agnes falava pouco e Rose, que era meio lenta, era uma simplória, na visão da maioria.  Mas ninguém imaginava que a chegada de Jack seria o início de uma mudança muito rápida.  Ao chegar, Jack se mostra idoso e senil para exercer suas funções clericais.  Além disso, após passar tanto tempo na África, ele dava importância aos rituais pagãos, com os quais aprendera a conviver em um quarto de século.  Parece que seu retorno para a Irlanda tinha só uma finalidade: voltar para casa para morrer.

Uma ameaça à respeitabilidade dos Mundy surge nas declarações românticas de Rose para Danny Bradley, um morador da região, que foi abandonado pela esposa.  Rose sonha em se casar, apesar de Danny teoricamente continuar casado.  Como único membro da família com um emprego fixo, Kate garante a sobrevivência dos Mundy, ajudada por uma pequena renda que Agnes obtém tricotando.  Mas ela perderá provavelmente esse trabalho com a chegada de uma fábrica na região, que acabará com todo o trabalho artesanal.  Por outro lado, o padre Carlin, visivelmente contrariado com o novo modo de ser de Jack, planeja demitir Kate.

Depois de muitos anos sofrendo as conseqüências das repressões sociais, religiosas, econômicas e sexuais, Christina, Maggie, Rose e Agnes tentam encarar o conjunto de convenções com mais flexibilidade – principalmente porque elas adoram dançar e sonham com a possibilidade de irem ao baile que celebrará o fim da colheita .  Mas, a primogênita e conservadora Kate vai fazer de tudo para trazê-las de volta à realidade.

imagem imagem imagem

Comentários

"A Dança das Paixões" é um exemplo de filme em que o conjunto é menor do que suas partes e, mesmo considerando não se tratar de um filme ruim, é pelo menos apático.  Os elementos estão todos presentes para se ter um fabuloso filme: um ótimo elenco, uma fotografia espetacular e uma respeitável obra teatral como base.  Mas as diversas peças não se encaixam de forma apropriada.

Apesar da força e da beleza da peça original de Brian Friel, o diretor Pat O'Connor e o roteirista Frank McGuinness tomaram várias decisões infelizes ao transportarem a mesma para o cinema.

Mesmo com as convincentes representações de Meryl Streep, Michael Gambon e Catherine McCormack e as belas atuações de Kathy Burke e Brid Brennan, o diretor O'Connor consegue o mais difícil: obter um conjunto de cenas desconexas.

CAA