Filmes por gênero

A MULHER FAZ O HOMEM (1939)

Mr. Smith goes to Washington
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Peço a palavra (Portugal)
Monsieur Smith au Sénat (França)
Mr. Smith va a Washington (Itália)
Caballero sin espada (Espanha, Argentina, México, Peru)
Mr. Smith geht nach Washington (Alemanha)
Mr. Smith i Washington (Suécia)
Mr. Smith kommer til Washington (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Frank Capra
Roteiro: Sidney Buchman
Produção: Frank Capra
Música Original: Dimitri Tiomkin
Direção Musical: Morris Stoloff
Fotografia: Joseph Walker
Edição: Al Clark, Gene Havlick
Direção de Arte: Lionel Banks
Figurino: Robert Kalloch
Guarda-Roupa: Ray Howell, Forrest T. Butler, Roselle Novello
Maquiagem: William Knight, Fred B. Phillips
Efeitos Sonoros: John Livadary, Edward Bernds
Efeitos Especiais: Fred Jackman Jr.
Efeitos Visuais: Slavko Vorkapich, John Hoffman
Nota: 9.8
Filme Assistido em: 1963

Elenco

James Stewart Jefferson Smith
Jean Arthur Clarissa Saunders
Claude Rains Sen. Joseph Harrison Paine
Edward Arnold Jim Taylor
Guy Kibbee Gov. Hubert Hopper
Thomas Mitchell Diz Moore
Eugene Pallette Chick McGann
Beulah Bondi Ma Smith
H. B. Warner Sen. Agnew
Harry Carey Presidente do Senado
Astrid Allwyn Susan Paine
Ruth Donnelly Emma Hopper
Grant Mitchell Sen. Mac Pherson
Porter Hall Sen. Monroe
Pierre Watkin Sen. Barnes
William Demarest Bill Griffith
Dick Elliott Carl Cook
Robert Walker Sen. Holland
Jack Carson Sweeney Farrell
Ann Doran Secretária de Paine
Frank O'Connor Sen. Alfred
Edmund Cobb Sen. Gower
Stanley Andrews Sen. Hodges
Sam Ash Sen. Lancaster
Harry A. Bailey Sen. Hammett
Al Bridge Sen. Dwight
Billy Watson Peter Hopper
Delmar Watson Jimmie Hopper
Donald Kerr Repórter
George Chandler Repórter
Eddy Chandler Reporter
Hank Mann Fotógrafo
Johnny Russell Otis Hopper

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original (Lewis R. Foster)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (James Stewart)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Direção (Frank Capra)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Dimitri Tiomkin)

Oscar de Melhor Gravação de Som (John P. Livadary)

Oscar de Melhor Edição (Gene Havlick, Al Clark)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Harry Carey)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Claude Rains)

Oscar de Melhor Roteiro Original (Sidney Buchman)

Oscar de Melhor Direção de Arte (Lionel Banks )

Oscar de Melhor Ator (James Stewart)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 A morte de um dos senadores dos Estados Unidos provoca uma corrida inflamada pela indicação de seu substituto, que está a cargo do governador do Estado de Montana,  Hubert Hopper.  Marionete do influente industrial Jim Taylor, assim como muitos dos senadores a serviço do país, o governador fica indeciso sobre quem colocar no cargo, mas acaba cedendo à sugestão de seus filhos e indica para a posição o chefe dos escoteiros em Jackson City, Jefferson Smith.  A escolha é apoiada também por seus pares corruptos, incluindo o proeminente senador Joseph Paine, que transforma o novo congressista em seu protegido.

Sua falta de experiência faz com que Smith não seja levado a sério por seus pares nem por Clarissa Saunders, uma funcionária do Congresso designada para secretariá-lo.  Ao tentar se inteirar do teor de alguns projetos, recebe de Paine o conselho de não perder tempo com os mesmos, já que todos foram elaborados por equipes de especialistas altamente qualificados.  O velho senador sugere que ele procure escrever algum projeto que venha a beneficiar o Estado deles.  Com isso, Paine pretende mantê-lo afastado do esquema de corrupção com o qual se acha comprometido.

Smith resolve, então, desenvolver um projeto para criação de um acampamento para jovens, o qual não só deverá abrigar garotos de Montana, como de outras regiões do País.  Ao ouvi-lo falar do mesmo com tanto entusiasmo, Clarissa fica encantada com os sentimentos puros do novo senador, mudando radicalmente sua opinião sobre ele e passando a dar todo o suporte de que ele necessita para levar a cabo sua tarefa.

Concluído o trabalho, ele o apresenta numa das sessões do Senado.  Durante sua fala, Smith explica que o acampamento proposto deverá ser levantado nas adjacências de um afluente do rio Willet Creek, em Terry Canyon.  Ao ouvi-lo, Paine se retira e aciona um esquema para mantê-lo afastado do Congresso, no dia seguinte, quando deverá ser votada a liberação de verbas para a represa Willet.

O poderoso Jim Taylor chega à Washington com material falsificado para desqualificar o jovem senador, caso o mesmo não se dobre ao seu esquema de corrupção.  Ao tomar conhecimento do que está sendo montado contra Smith, Clarissa lhe mostra uma cópia do projeto de Paine que visa beneficiar Jim Taylor em troca de altas propinas.

Não se dobrando às exigências dos dois corruptos, Smith comparece à sessão que deve liberar US$ 5 milhões para desapropriação, desvio e represamento das águas de Willet Creek.  Sabendo que ele pretende denunciar o esquema de propinas, Payne se adianta e, aproveitando-se das falsas provas trazidas por Taylor, requer a imediata abertura de um processo de cassação do mandato de Smith por quebra de decoro parlamentar.

Diante de tanto jogo sujo, o jovem senador decide largar tudo e voltar para Jackson City, mas é impedido por Clarissa que, a essa altura, encontra-se por ele apaixonada e decidida a ajudá-lo a desmascarar o sistema de corrupção existente no Congresso.

Dominando o regulamento que rege o funcionamento do Senado, Clarissa instrui Smith sobre como agir e recorrer a determinados artigos que lhe garantirão o direito de falar por quanto tempo julgar necessário.  Assim, por diversas horas, ele expõe a situação de seu Estado, que precisa se livrar de uma quadrilha de sanguessugas, que controla a máquina política através de propinas pagas a congressistas.  No caso da represa Willet, por exemplo, o Sr. Taylor quer vê-la construída para seu proveito próprio.

Ao final de sua fala, ele encara Paine, a quem lembra que ele e seu pai sempre o admiraram por ser o senador um defensor das causas perdidas, aquelas pelas quais vale a pena lutar e até mesmo morrer, como no caso de um antigo conhecido dos dois.  Exausto, Smith desmaia a seguir.

Essas últimas colocações do jovem senador batem fundo em Paine que, não suportando as tensões decorrentes, explode aos gritos dizendo que ele é quem deve ser cassado, pois tudo o que Smith falou é verdade!

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado numa história de Lewis R. Foster, "A Mulher Faz o Homem" é um dos melhores filmes de todos os tempos.  Produzida e dirigida pelo grande cineasta Frank Capra, essa comédia dramática gira em torno da corrupção na política e da grandeza daqueles que a ela resistem.

A trama mostra uma clássica luta entre o bem e o mal, um verdadeiro enfrentamento entre David e Golias.  Se há uma clara mensagem que Capra pretende passar é a de que, por pior que seja a adversidade, nunca se deve perder a esperança.  Embora se trate de uma produção de 1939, "A Mulher Faz o Homem" é um daqueles filmes destinados a não envelhecerem.

O trabalho de Capra é perfeito.  Aliás, o filme é magnífico em quase todos os aspectos, o que justifica as 11 indicações ao Oscar por ele recebidas.  Indicado ao Oscar de Melhor Ator, James Stewart foi injustiçado pela Academia ao perder a estatueta para Robert Donat, por sua atuação em "Adeus, Mr. Chips".  Além de James Stewart, merecem também ser destacados, por seus respectivos papéis, os atores Claude Rains, Thomas Mitchell, Jean Arthur e Harry Carey.

CAA