Filmes por gênero

A NOITE (1961)

La notte
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La nuit (França)
La noche (Espanha, Argentina, México, Uruguai))
Die Nacht (Austria, Alemanha)
Noaptea (Romênia)
Natten (Suécia, Dinamarca, Noruega)
Ночь (Rússia)
Нощта (Bulgária)
Pais: Itália, França
Gênero: Drama
Direção: Michelangelo Antonioni
Roteiro: Michelangelo Antonioni, Ennio Flaiano, Tonino Guerra
Produção: Emanuele Cassuto
Design Produção: Piero Zuffi
Música Original: Giorgio Gaslini
Fotografia: Gianni Di Venanzo
Edição: Eraldo Da Roma
Maquiagem: Franco Freda, Micheline Chaperon
Efeitos Sonoros: Claudio Maielli
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Marcello Mastroianni Giovanni Pontano
Jeanne Moreau Lidia
Monica Vitti Valentina Gherardini
Bernhard Wicki Tommaso Garani
Rosy Mazzacurati Rosy
Maria Pia Luzi Convidada
Guido A. Marsan Fanti
Vincenzo Corbella Sr. Gherardini
Gitt Magrini Sra. Gherardini
Ugo Fortunati Cesarino
Giorgio Negro Roberto
Roberta Speroni Beatrice
Umberto Eco Homem na festa
Vittorio Bertolini .
Odile Jean .
Valentino Bompiani .
Roberto Danesi .
Ettore Univelli .
Eraldo Volonte .

Prêmios

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Michelangelo Antonioni)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Direção (Michelangelo Antonioni)

Prêmios Jussi, Finlândia

Diploma de Mérito (Jeanne Moreau)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Italiano (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Trilha Sonora (Giorgio Gaslini)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Atriz Coadjuvante (Monica Vitti)

Indicações

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia em Branco e Preto (Gianni Di Venanzo)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Milão, Giovanni Pontano é um famoso escritor.  Casado com a jovem Lidia, filha de uma família abastada, vai com a mulher a um hospital visitar um grande amigo comum, Tommaso Garani, que se acha em estado terminal e se mantém sob o efeito de morfina.

Lidia, mais ligada a Tommaso que o marido, não suportando ver o amigo naquela situação, depois de alguns minutos dá uma desculpa e vai esperar por Giovanni na entrada do hospital.

Após a visita, o casal comparece ao lançamento do último livro do escritor.  Lidia sai antes e vagueia pelas ruas da cidade, entediada.

Ao chegar em casa, Giovanni não a encontra.  Horas mais tarde, ela lhe telefona pedindo-lhe que vá apanhá-la em Sesto San Giovanni, onde o aguarda.  Ele vai ao seu encontro, onde relembra alguns bons momentos vividos pelo casal.

De volta à casa, ela toma banho e, em seguida, diz ao marido que não quer ficar ali.  Ele sugere que os dois dêem um pulo na mansão dos Gherardini, onde vai se realizar uma grande festa.  Ela se apronta mas, na hora de sair, muda de idéia e diz que prefere ficar com ele.  Os dois, finalmente, terminam indo a uma boate.

Para surpresa dele, ao terminar o show da noite, ela lhe pede para irem à festa dos Gherardini.  Lá, encontram a alta sociedade milanesa.  Os anfitriões festejam a primeira vitória do cavalo de sua filha, Valentina, uma bela e educada jovem.

Na festa ao ar livre, todos se divertem.  Logo ao chegar, Lidia encontra-se com Beatrice, uma amiga de infância, com quem conversa um pouco.  Depois, afasta-se de todos e passa quase toda a noite isolada , pensativa, observando os outros de longe.

A uma certa altura, procura um telefone para ter notícias do amigo Tommaso, oportunidade em que toma conhecimento que ele acaba de morrer.  Ainda chocada com o ocorrido, vê seu marido beijando Valentina.  Esta reage dizendo a Giovanni que não é uma destruidora de lares, mas ele continua a insistir.

O Sr. Gherardini, um rico industrial, procura Giovanni, a quem oferece um alto cargo em suas empresas, mas este não pretende aceitá-lo em princípio.

Ainda isolada, Lidia aceita dançar com Roberto, um rico playboy.  No meio da dança, começa a chover forte.  Alguns procuram abrigo, outros pulam na piscina, enquanto Lidia termina aceitando o convite de Roberto para saírem em seu carro esportivo.  Quando o playboy tenta uma maior aproximação, ela lhe pede desculpas e lhe diz que precisa voltar.

Ao retornarem à mansão, Lidia, ainda molhada da chuva, é convidada por Valentina para se enxugar em seu quarto.  Enquanto Valentina passa o secador nos cabelos de Lidia, esta confessa que gostaria de morrer naquela noite, mas que o motivo não era ciúmes do marido.  Giovanni chega a tempo de ouvir suas últimas palavras.  O casal despede-se de Valentina.  Ele, acariciando seu rosto com uma de suas mãos;  ela, dando-lhe um carinhoso beijo de agradecimento e despedida.  Valentina sente-se um trapo.

Ao deixarem a mansão, já à luz do dia, os dois caminham por uma extensa área gramada.  Giovanni fala da oferta de emprego recebida do Sr. Gherardini, enquanto Lidia lhe comunica o falecimento de Tommaso.

Sentados num local isolado, ela lhe confessa que gostaria de ser velha para ter dedicado a ele toda sua vida.  Continua dizendo que, ao verificar quanto ele se entediava quando se achavam juntos na boate, sentiu que não podia continuar a amá-lo, razão pela qual, seu maior desejo era o de morrer naquela noite.

Ele afirma que continua a jogar fora sua vida como um idiota, tirando dos outros sem dar, ou sem dar o bastante.  Dizendo-lhe que a ama muito, ele a beija ardentemente.  Ela tenta resistir, alegando que não mais o ama, mas ele persiste num interminável beijo.

imagem imagem imagem

Comentários

"A Noite" é mais uma pérola do cinema italiano.  Realizado pelo grande cineasta Michelangelo Antonioni, que também participa da elaboração do roteiro, o filme forma com "A Aventura" e "O Eclipse", a trilogia da incomunicabilidade do cineasta, na qual ele se debruça sobre a solidão e o tédio proporcionados pela vida moderna das grandes cidades.

A trama se desenvolve durante um dia e uma longa noite na vida de um casal, cuja relação se acha comprometida pela falta de comunicação.  Além do belo trabalho de Antonioni, destacam-se a participação de Tonino Guerra, na redação do roteiro, a excelente fotografia de Gianni Di Venanzo e as magníficas atuações do trio principal, formado por Marcello Mastroianni, Jeanne Moreau e Monica Vitti.

CAA