Filmes por gênero

A NOITE DO IGUANA (1964)

The night of the Iguana
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La nuit de l'iguane (França)
La notte dell'iguana (Itália)
La noche de la iguana (Espanha, México)
Die Nacht des Leguan (Alemanha)
Iguanans natt (Suécia)
Noc iguany (Polônia)
De nacht van de leguaan (Holanda)
Fanget i natten (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: John Huston
Roteiro: Anthony Veiller, John Huston
Produção: Ray Stark
Música Original: Benjamin Frankel
Direção Musical: Benjamin Frankel
Fotografia: Gabriel Figueroa
Edição: Ralph Kemplen
Direção de Arte: Stephen Grimes
Figurino: Dorothy Jeakins
Maquiagem: Eric Allwright, Jack Obringer
Efeitos Sonoros: Basil Fenton-Smith
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1965

Elenco

Richard Burton Rev. Dr. T. Lawrence Shannon
Ava Gardner Maxine Faulk
Deborah Kerr Hannah Jelkes
Sue Lyon Charlotte Goodall
James Ward Hank Prosner
Grayson Hall Judith Fellowes
Cyril Delevanti Jonathan Coffin, avô de Hannah
Mary Boylan Srta. Peebles
Fidelmar Durán Pepe
Eloise Hardt Professora
Gladys Hill Srta. Dexter
Barbara Joyce Professora
Roberto Leyva Pedro
Billie Matticks Srta. Throxton
Betty Proctor Professora
Liz Rubey Professora
Bernice Starr Professora
Dorthy Vance Professora
Thelda Victor Professora

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino (Dorothy Jeakins)

Festival Internacional de San Sebastián, Espanha

Prêmio San Sebastián de Melhor Atriz (Ava Gardner)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Grayson Hall)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Stephen B. Grimes)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Gabriel Figueroa)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Ava Gardner)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (John Huston)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Ava Gardner)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Cyril Delevanti)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Grayson Hall)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (John Huston)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Deborah Kerr)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Drama

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Anthony Veiller, John Huston )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Rev. Dr. T. Lawrence Shannon, um ex-pastor protestante e alcoólatra, trabalha como guia turístico na Costa Oeste mexicana.  Em uma de suas excursões, ele parte em um ônibus da empresa com um grupo de professoras idosas em férias.  Uma delas, Judith Fellowes, lidera o grupo, além de ser a responsável pela jovem Charlotte Goodall.

Desde a saída, Charlotte passa a dar em cima de Shannon, embora este não corresponda aos seus avanços.  Nas pousadas, ao longo do roteiro, por exemplo, a jovem entra sem permissão no quarto do religioso e este a põe para fora.  Para a Sra. Fellowes, entretanto, é o religioso quem está tentando seduzir a garota.  Por mais que ele se explique, ela não muda seu modo de pensar e passa a ameaçá-lo, alegando que seu influente irmão e juiz, pode conseguir que ele seja demitido do emprego.

Numa das paradas, ela telegrafa para o irmão, pedindo-lhe que tome informações sobre a vida de Shannon e que lhe dê retorno por telefone, ligando para o Hotel Ambos Mundos, em Puerto Vallarta, onde ela vai estar nos próximos dias.  Ao tomar conhecimento de sua atitude, através de Hank Prosner, o motorista do ônibus, Shannon assume a direção, passa por Puerto Vallarta sem parar, indo direto até a pousada "Miss Malaya", de propriedade de sua amiga, Maxine Faulk.  Uma vez lá, retira o cabo do distribuidor do ônibus, a fim de evitar qualquer possibilidade de retorno do grupo para Puerto Vallarta.  As tensões entre ele e a Sra. Fellowes crescem.

À pousada, chegam Hannah Jelkes, uma pintora, e seu avô de 97 anos.  Sem dinheiro, ela diz que viaja com ele e pagam suas estadas com recitais do avô, considerado o mais velho poeta vivo em atividade, e com a venda de suas aquarelas e de esboços rápidos que faz em carvão e pastel.  Em princípio, Maxine não os aceita como hóspedes, mas Shannon, mesmo pensando que pode se tratar de uma vigarista, intercede pelos dois e faz com que eles fiquem na pousada.

Enquanto isso, a Sra. Fellowes consegue finalmente a demissão de Shannon, através de seu irmão juiz, que alegou aos seus empregadores ser o reverendo um sedutor contumaz de menores.  Depois de mais uma investida sem sucesso contra Shannon, Charlotte é finalmente correspondida, ao se aproximar de Hank.  Juntos, os dois jovens conseguem reaver o cabo do distribuidor do ônibus e o grupo de turistas deixa a pousada.  Demitido, Shannon não segue com eles.

Agradecida por ter sido aceita na pousada, Hannah procura ajudar Maxine e Shannon, este por causa de seu estado emocional.  Depois de alguns dias, seu avô compõe um novo poema e morre em seguida.  Ao se preparar para partir, recebe uma proposta de Maxine:  administrar a pousada em troca de 50% dos lucros obtidos, desde que Shannon a ajude pois, segundo ela, toda pousada precisa da presença de um homem.  Perguntada sobre o que pretende fazer, Maxine responde que se sente uma viúva jovem e bonita e que pretende recomeçar sua vida em El Paso.

Ao sentir que Maxine ama Shannon, já que sua proposta nada mais foi do que uma crise de ciúmes, Hannah não a aceita e deixa a pousada.  Os dois decidem, finalmente, recomeçar juntos suas vidas.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado numa peça de Tennessee Williams, "A Noite do Iguana" é um ótimo filme.  Dirigido pelo lendário cineasta John Huston, que também participou da elaboração do roteiro e da produção, o filme é marcado por seus diálogos inteligentes, uma das características da obra de Tennessee Williams.

Numa praia paradisíaca do México, reúnem-se um ex-pastor protestante, que se acha no fundo do poço, uma bela mulher traumatizada pela perda do marido há menos de um mês, e uma pintora fracassada e sem dinheiro.  Durante algum tempo, há ainda os problemas criados por uma ninfeta e sua protetora.  É nesse ambiente, principalmente depois que ficam apenas os três personagens inicialmente citados, que se desenvolve uma verdadeira terapia, muito bem explorada por Williams, constituindo-se num dos pontos mais importantes do filme.

Tecnicamente, além do excelente trabalho de John Huston, tanto na direção como na estruturação do roteiro, "A Noite do Iguana" apresenta ainda uma maravilhosa fotografia em preto-e-branco, e uma ótima trilha sonora, assinada por Benjamin Frankel.

No elenco, Richard Burton está perfeito no papel do angustiado ex-pastor, na luta que trava entre suas convicções religiosas e a tentação da carne.  A belíssima Ava Gardner está magnífica como a jovem viúva que mantém um irresistível poder de sedução, seus ciúmes quando ameaçada por outra mulher e sua necessidade de ser amada.  Deborah Kerr, como sempre, nos brinda com uma ótima atuação.  Entre os atores coadjuvantes, o grande destaque é o trabalho de Grayson Hall, como a possessiva e sexualmente confusa mulher de meia-idade.  Sue Lyon, aos 18 anos e em seu segundo filme, sai-se bem como a ninfeta Charlotte.  Dois anos antes, quando de sua estréia no cinema, Sue interpretou uma outra ninfeta, a Lolita do romance do escritor russo, Vladimir Nabokov.

CAA