Filmes por gênero

A PROFESSORA DE PIANO (2001)

La pianiste
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Die klavierspielerin (Áustria)
The piano teacher (USA)
Pais: França, Áustria, Polônia
Gênero: Drama
Direção: Michael Haneke
Roteiro: Michael Haneke
Produção: Veit Heiduschka
Design Produção: Christoph Kanter
Música Original: Francis Haines
Fotografia: Christian Berger
Edição: Nadine Muse, Monika Willi
Figurino: Annette Beaufays
Guarda-Roupa: Brigitte Fink
Maquiagem: Françoise Andrejka, Ellen Just, Thi-Loan Nguyen
Efeitos Sonoros: Guillaume Sciama, Jean-Pierre Laforce, Nadine Muse
Efeitos Especiais: Hans Wagner, László Kovács
Efeitos Visuais: Geoffrey Kleindorfer
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 2007

Elenco

Isabelle Huppert Erika Kohut
Annie Girardot Mãe de Erika
Benoît Magimel Walter Klemmer
Susanne Lothar Sra. Schober
Udo Samel Dr. Blonskij
Anna Sigalevitch Anna Schober
Cornelia Köndgen Madame Blonskij
Thomas Weinhappel Barítono
Gabriele Schuchter Margot
Rudolf Melichar Diretor
William Mang Professor de música
Michael Schottenberg Professor de música
Volker Waldegg Professor de música
Martina Resetarits Professora de música
Annemarie Schleinzer Professora de música
Karoline Zeisler Professora de música
Viktor Teuflmayr Pianista
Luz Leskowitz Violinista
Liliane Neiska Secretária

Prêmios

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Atriz (Isabelle Huppert)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Atriz (Isabelle Huppert)

Prêmio de Melhor Ator (Benoît Magimel)

Grande Prêmio do Júri (Michael Haneke)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Atriz Coadjuvante (Annie Girardot)

Prêmios do Cinema Alemão

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro

Prêmio do Público de Melhor Ator (Benoît Magimel)

Prêmio do Público de Melhor Atriz (Isabelle Huppert)

Prêmio do Público de Melhor Diretor (Michael Haneke)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Michael Haneke)

Festival Robert de Copenhague, Dinamarca

Robert de Melhor Filme Não Americano

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Não Americano

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Atriz (Isabelle Huppert)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Erika Kohut é uma respeitada professora de meia-idade do Conservatório de Música de Viena.  Inteligente, conhece profundamente a arte que abraçou, considerando Schumann e Schubert seus compositores favoritos.  Tendo uma mãe extremamente controladora, com quem vive, mantém com ela uma relação de amor e ódio.  Certa vez, ao voltar para casa três horas depois de ter dado sua última aula no Conservatório, é recebido pela mãe aos gritos.  As duas trocam acusações, agridem-se física e verbalmente, a velha senhora rasga diversos vestidos da filha e terminam abraçadas e arrependidas.

Embora profissionalmente realizada, sua vida privada é marcada, além do difícil relacionamento com a mãe, por uma série de desvios sexuais.  Ao sair do Conservatório, muitas vezes visita Casas de Vídeos pornôs, dirigidas ao público masculino, ou entra a pé em cinemas do tipo "drive-in", a fim de espiar os casais dentro de seus carros.  Em casa, chega a se flagelar numa banheira, ao cortar sua vagina com o uso de uma lâmina de barbear.

Certa noite, ao participar de um recital de piano na casa da Madame Blonskij, conhece o jovem estudante de engenharia, Walter Klemmer.  Ao final do recital, o Dr. Blonskij anuncia a todos que seu sobrinho, Walter, vai apresentar um número do compositor Schönberg.  Este, entretanto, sentindo-se fortemente atraído por Erika, ao saber de sua preferência por Schumann e Schubert, diz aos presentes que, ao invés de Schönberg, vai tocar, ao piano, o 'Scherzo da Sonata em Lá Maior', de Schubert.

No dia seguinte, ele a procura no Conservatório, ocasião em que lhe diz que pretende se submeter ao exame de admissão ao seu curso avançado.  Pressentindo suas reais intenções, ela lhe responde que espera que ele não queira suscitar outro interesse que não o musical.

Aprovado pela banca examinadora, ele se apresenta à Erika para sua primeira aula, oportunidade em que lhe confessa o amor que sente por ela.  Erika, friamente, o rejeita.  Quando Anna Schober, uma das alunas dela, mostra-se insegura durante uma apresentação, Walter lhe dá toda a atenção, provocando em Erika uma forte reação de ciúmes: ela decide arruinar a carreira da jovem, colocando pedaços de vidro num dos bolsos de seu casaco, que vêm provocar cortes irremediáveis em sua mão direita, principal ferramenta de uma pianista.

Ao entrar num dos toaletes do Conservatório, Erika é seguida por Walter, que tenta seduzi-la.  Ela recusa os avanços românticos do rapaz, mas tenta persuadi-lo a aceitar suas taras.  Comandando a situação, ela lhe diz que se quiser continuar a vê-la, terá que respeitar suas exigências.  No dia seguinte, leva-o à sua casa, onde os dois se trancam em seu quarto, a despeito da desaprovação de sua mãe.  Uma vez lá, pede que ele leia uma carta , por ela escrita, onde minuciosamente detalha a forma sadomasoquista com que quer por ele ser subjugada.  Em seguida, abre uma caixa contendo uma série de objetos a serem utilizados na relação por ela proposta.  Não concordando com a idéia, ele lhe diz que ela está muito doente e que precisa se tratar, retirando-se em seguida.

Sentindo sua falta, dias depois ele retorna à sua casa.  Quando ela abre a porta, ele começa a surrá-la impiedosamente, a ponto do nariz dela começar a sangrar.  A mãe de Erika tenta intervir, mas é por ele trancada num dos quartos.  À Erika, diz que voltou para fazer o jogo dela, segundo as próprias regras por ela estabelecidas em sua carta, acrescentando que ela não pode mexer tão fundo com uma pessoa para depois rejeitá-la.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro do escritor austríaco Elfriede Jelinek, "A Professora de Piano" é um ótimo filme.  Escrito e dirigido pelo cineasta Michael Haneke, sua trama gira em torno de uma renomada professora de piano, sexualmente perturbada, e de suas relações doentias com a mãe e com um de seus alunos.

Haneke apresenta-nos um consistente trabalho, tanto como roteirista, quanto no comando da direção.  A história é densa, ao tratar de assuntos como voyeurismo, sadomasoquismo, mutilação sexual, pornografia, relacionamentos neuróticos.

A trilha sonora é de excelente qualidade e nos brinda com algumas músicas de Franz Schubert, grande compositor austríaco, nascido em Himmelpfortgrund, um pequeno subúrbio de Viena.

No elenco, o grande nome a registrar é o de Isabelle Huppert, numa de suas melhores atuações no cinema, o que lhe valeu vários prêmios de melhor atriz e outras tantas indicações.  São também dignos de menção, os trabalhos apresentados pela veterana Annie Girardot, aos 70 anos de idade, e pelo jovem e talentoso Benoît Magimel.

CAA