Filmes por gênero

A RODA DA FORTUNA (1953)

The Band Wagon
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Tous en scène! (França, Bélgica, Canadá)
Spettacolo di varietà (Itália)
Melodías de Broadway (Espanha)
Vorhang auf! (Alemanha, Austria)
La rueda de la fortuna (Venezuela)
Den stora premiären (Suécia)
Wszyscy na scene (Polônia)
Let på tå (Dinamarca)
Театральный фургон (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Musical
Direção: Vincente Minnelli
Roteiro: Betty Comden, Adolph Green
Produção: Arthur Freed
Direção Musical: Adolph Deutsch
Fotografia: Harry Jackson
Edição: Albert Akst
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Preston Ames
Figurino: Mary Ann Nyberg
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Efeitos Especiais: Warren Newcombe
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1954

Elenco

Fred Astaire Tony Hunter
Cyd Charisse Gabrielle Gérard
Oscar Levant Lester Marton
Nanette Fabray Lily Marton
Jack Buchanan Jeffrey Cordova
Ava Gardner Ela própria
James Mitchell Paul Byrd
Robert Gist Hal Benton
Donald Kerr Repórter
Douglas Fowley Leiloeiro
Steve Forrest Passageiro no trem
John Lupton Jack
Jack Gargan Funcionário do Hotel
Frank Scannell Repórter
Dee Turnell Barbara
Sam Hearn Agente
Lysa Baugher Dançarina
Shirley Lopez Dançarina
Peggy Murray Dançarina
Elynne Ray Dançarina
Bess Flowers Mulher no trem

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor História e Roteiro (Betty Comden, Adolph Green )

Oscar de Melhor Figurino a cores (Mary Ann Nyberg)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de um Musical (Adolph Deutsch)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Musical Americano (Betty Comden, Adolph Green)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 Tony Hunter é um dançarino-cantor, em final de carreira, que deixa Los Angeles e embarca para a "Big Apple" na esperança de conseguir participar de algum musical na Broadway.  Ao chegar à Estação Ferroviária de Nova York, encontra seu dois grandes amigos e roteiristas, Lily e Lester Marton, a aguardá-lo.  Estes têm uma boa notícia para Tony.  Acabam de escrever um musical especialmente para ele, o qual deverá ser dirigido por Jeffrey Cordova.

Numa primeira reunião com o diretor, este se mostra satisfeito por poder contar com a presença de Tony, cujos filmes foram sempre por ele admirados.  Para contracenar com ele, Jeffrey sugere o nome de Gabrielle Gérard, uma excelente bailarina de formação clássica que vem se apresentando num espetáculo de balé.  O receio é que o coreógrafo Paul Byrd, namorado dela, vete sua participação.  Como Tony ainda não a conhece, o grupo vai ao teatro assistir a uma de suas apresentações, o que o deixa maravilhado com a qualidade de sua dança.

Conhecendo Byrd, Jeffrey o convida para coreografar o novo espetáculo, pois, ao aceitar, com certeza exigirá a participação de Gabrielle no papel principal feminino, que é exatamente o que ele busca.

Fechados os contratos, os problemas começam quando Jeffrey decide modificar toda a história, obrigando os Martons a reescrevê-la, agora adaptando uma tragédia grega para o musical.  Embora não concordem com a idéia, eles reescrevem a peça.  Começados os ensaios, Gabrielle e Tony se desentendem.  Ele, que já não vinha aceitando bem as modificações exigidas por Jeffrey, retira-se do palco e vai para seu hotel.  Horas mais tarde, é procurado pela jovem que lhe pede desculpas pelo ocorrido.  Os dois conversam sobre seus papéis, saem para um passeio pelo Central Park e terminam se entendendo.

Terminados os ensaios, o musical é estreado na Broadway com muita expectativa por parte do público, dos críticos e, principalmente, dos seus patrocinadores.   O fracasso é brutal.  Reunidos o elenco e a equipe técnica, Jeffrey assume a responsabilidade por ter levado o grupo ao fracasso.  Tony assume a direção e a coreografia do musical, com a condição de que o roteiro seja o original, preparado por Lily e Lester antes da entrada de Jeffrey.  Este concorda com a idéia, mas lembra que será muito difícil manterem os patrocinadores.  Tony decide assumir também os gastos com a produção, vendendo, para isso, sua valiosa coleção de telas dos grandes pintores.

Modificações feitas e ensaios realizados, Tony decide estrear o novo musical na Filadélfia, o que se dá com um grande sucesso.  Seguem-se apresentações em Boston, Washington, Baltimore para, finalmente, estrear em grande estilo na Broadway.

imagem

Comentários

Embora inferior aos grandes "Amor, Sublime Amor", de Robert Wise, "Minha Bela Dama", de George Cukor, e "Cantando na Chuva", de Stanley Donen e Gene Kelly, "A Roda da Fortuna" é uma inteligente e sofisticada comédia musical.  Realizada pelo cineasta Vincente Minnelli, a trama gira em torno de um dançarino-cantor, em final de carreira, que volta triunfante aos palcos com o auxílio de um casal amigo.

Além de um roteiro muito bem estruturado e da direção competente de Vincente Minnelli, "A Roda da Fortuna" nos brinda ainda com uma magnífica trilha sonora, com a belíssima fotografia de Harry Jackson, com um figurino muito bem trabalhado e, acima de tudo, com os espetaculares números de dança, inclusive balé e sapateado, liderados por Cyd Charisse e Fred Astaire.

Entre os números musicais, acham-se "That's Entertainment", "By Myself", "A Shine on Your Shoes", "Sweet Music", "Is It All a Dream?", "You Have Everything", "Dancing in the Dark", "I Love Louisa", "New Sun in the Sky", "Triplets", "Louisiana Hayride", "I Guess I'll Have To Change My Plan", "The Girl Hunt Ballet", "For He's a Jolly Good Fellow", "Two-Faced Woman", entre vários outros.
 
CAA