Filmes por gênero

MEUS DOIS CARINHOS (1957)

Pal Joey
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O querido Joey (Portugal)
La blonde ou la rousse (França)
Sus dos cariños (Argentina, México)
Pal Joey (Alemanha, Suécia, Espanha)
Kumpel Joey (Polônia)
Fickós Joey (Hungria)
Ystävämme Joey (Finlândia)
Приятель Джои (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Musical
Direção: George Sidney
Roteiro: Dorothy Kingsley
Produção: Fred Kohlmar
Direção Musical: Morris Stoloff
Coreografia: Hermes Pan
Fotografia: Harold Lipstein
Edição: Viola Lawrence, Jerome Thoms
Direção de Arte: Walter Holscher
Figurino: Jean Louis
Maquiagem: Ben Lane
Efeitos Sonoros: Franklin Hansen, John P. Livadary
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1959

Elenco

Frank Sinatra Joey Evans
Rita Hayworth Vera Simpson
Kim Novak Linda English
Barbara Nichols Gladys
Bobby Sherwood Ned Galvin
Hank Henry Mike Miggins
Elizabeth Patterson Sra. Casey
Bek Nelson Lola
Pierre Watkin Sr. Forsythe
Frank Wilcox Coronel Langle
Barry Bernard Mordomo de Vera
George Chan Pianista chinês
Betty Utey Patsy
Mara McAfee Sabrina
Robert Anderson Policial
Tol Avery Detetive
Sue Boomer Secretária
Nellie Gee Ching Dançarina chinesa
Giselle D'Arc Empregada de Vera
Bob Glenn Marinheiro
Rita Barrett Stripper
Bess Flowers Convidada no Baile de Caridade

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Frank Sinatra)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Musical

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Musical (Frank Sinatra)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Walter Holscher, William Kiernan, Louis Diage)

Oscar de Melhor Figurino (Jean Louis)

Oscar de Melhor Gravação de Som (John P. Livadary)

Oscar de Melhor Edição (Viola Lawrence, Jerome Thoms)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Direção Musical (Morris Stoloff )

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Musical Americano (Dorothy Kingsley)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Depois que é expulso da cidade, por namorar a jovem filha do prefeito, o mulherengo cantor de boate, Joey Evans, viaja para San Francisco em busca de um emprego. Em North Beach, ele vê um cartaz anunciando a apresentação da orquestra de Ned Galvin, um velho amigo seu, no Clube Barbary Coast. Ao procurá-lo, Joey termina sendo contratado pelo proprietário do clube, quando a ele é apresentado por Ned. Naquela noite, Joey diverte o público com suas falas e canções, sendo bastante aplaudido.

Depois do show, Ned convida Joey e Linda English, uma jovem e ingênua cantora do coro, que aspira ser uma cantora solo, para participarem de um evento beneficente patrocinado por Vera Simpson. Quando Joey reconhece a rica viúva Vera Simpson como uma ex-stripper, ele a deixa embaraçada ao propor que ela apresente um dos velhos números de strip-tease, como forma de arrecadar dinheiro para o leilão de caridade. Mais tarde naquela noite, Ned e Joey acompanham Linda até a pensão onde ela se acha hospedada e, ao chegar lá, Joey encontra um quarto vago e o aluga.

Com o passar das semanas, apenas a resistente Gladys e a cautelosa Linda se mantêm imunes aos seus encantos. Por outro lado, envergonhada por Joey ter difundido seu passado como stripper, Vera o procura no Clube e flerta com ele. Horas depois, quando ele sobe ao palco para sua apresentação, ela deixa o local sem pagar sua conta e ele termina sendo demitido por Mike. No entanto, pensando melhor, o astuto Joey procura Mike e faz o seguinte acordo: Se ele conseguir trazer Vera ao clube, no sábado seguinte, Mike manterá seu emprego.

Em seguida, na mansão de Vera, Joe a informa que foi demitido por causa dela e que pretende ir embora da cidade. Horas depois, quando Linda lhe diz que, infelizmente, ela vai perdê-lo, ele a convida para jantar e ela aceita. No final da noite, intrigada com a insolência de Joey, Vera chega ao clube e lhe assegura que ele vai ter seu emprego de volta. Depois que ele sobe ao palco e canta uma canção, Vera sai com ele e o leva para seu iate. Ao chegar lá, Joey revela que seu grande sonho é o de ter o seu próprio clube. Em seguida, quando ele sugere que ela seja sua parceira no “Chez Joey”, os dois selam o pacto com um beijo e, na manhã seguinte, ela acorda com um sorriso no rosto.

Ao retornar para a pensão, Joey diz à Linda que está se mudando para Nob Hill. Brava e magoada por ter levado bolo na noite anterior, ela bate a porta na cara dele. Dias depois, Joe contrata todos os empregados do Barbary Coast para trabalhar no “Chez Joey”, financiado pelo dinheiro de Vera. No entanto, quando ele promove Linda à estrela do show, Vera o lembra de que ele é propriedade dela e ordena que a demita. Não desejando demiti-la, ele a procura e tenta manipulá-la, oferecendo-lhe o lugar de stripper. Deduzindo que Vera deseja que ela deixe o clube, Linda sugere que ele mude seu nome para “Chez Vera”. Naquela noite, enquanto Vera entretém seu amigos em sua mansão, Joey espera por ela a bordo do iate. Ao invés de Vera, no entanto, Linda, embriagada, tropeça no barco, beija Joey e desmaia. Na manhã seguinte, envergonhada com seu comportamento, ela agradece Joey por não ter se aproveitando dela e, depois que os dois se beijam com ternura, ela concorda em realizar o strip-tease.

No ensaio que antecedeu à noite de estreia, Vera chega ao clube no momento em que Linda está fazendo seu número de strip-tease. Ao observar os homens que se acham na plateia olhando para ela com malícia, Joey, incapaz de digerir sua degradação, pede-lhe para colocar a roupa e cantar uma canção de amor. Furiosa, Vera ameaça fechar o clube, a menos que ele a demita. Joey, no entanto, declara que “ninguém é dono de Joey, a não ser ele próprio”. Pela primeira vez em sua vida, ele desiste de seu sonho para preservar sua integridade. Quando Linda suplica para que Vera reabra o clube, esta conclui que Joey deve estar apaixonado por ela e admite que pode considerar a reabertura do clube se ela deixar a cidade.

Mais tarde, quando Joey arruma suas malas a bordo do iate, Vera aparece e lhe diz que mudou de ideia. No entanto, quando ela sugere que eles se casem, Joey lhe responde que ele sempre será um vadio e que o casamento não iria transformá-lo em um homem honesto. Mais tarde, sozinho no “Chez Joey”, ele reflete sobre o que poderia ter sido. Em seguida, no momento em que ele deixa o clube, Linda aparece e lhe pergunta se ela pode acompanhá-lo. Quando ele lhe pede para que o deixe enquanto ainda tem uma chance, ela se mostra desolada e ele a beija. Finalmente, enquanto caminham juntos, ela sugere que o próximo número deles seja conhecido como de Joey e Linda Evans.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta George Sidney, a partir de um roteiro escrito por Dorothy Kingsley, “Meus Dois Carinhos” é um ótimo filme norte-americano produzido pela Essex-George Sidney Productions em 1957. Sua trama, baseada numa peça de John O'Hara, conta a história de um incorrigível cantor mulherengo que procura convencer uma rica socialite a financiar seu sonho, um clube noturno.

Partindo de um roteiro bastante original e inteligente, Sidney nos brinda com um ótimo trabalho de direção, no que é ajudado pela bela fotografia de Harold Lipstein. Merece ainda ser citada sua trilha sonora, com quinze músicas de Richard Rodgers, das quais sete são interpretadas por Frank Sinatra. Rita Hayworth, Kim Novak e Barbara Nichols são dubladas nos números por elas apresentados.

No elenco, Frank Sinatra brilha no papel do cantor mulherengo, seguido pelas boas atuações de Rita Hayworth e Kim Novak.

CAA