Filmes por gênero

A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER (1988)

The unbearable lightness of Being
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'insostenibile leggerezza dell'essere (Itália)
L'insoutenable légèreté de l'être (França)
La insoportable levedad del ser (Espanha, Argentina, Peru)
Die unerträgliche Leichtigkeit des Seins (Alemanha)
Varats olidliga lätthet (Suécia)
Nieznosna lekkosc bytu (Polônia)
De ondraaglijke lichtheid van het bestaan (Holanda)
Tilværelsens ulidelige lethed (Dinamarca)
Невыносимая лёгкость бытия (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Philip Kaufman
Roteiro: Philip Kaufman, Jean-Claude Carrière
Produção: Saul Zaentz, Paul Zaentz
Design Produção: Pierre Guffroy
Música Original: Mark Adler
Fotografia: Sven Nykvist
Edição: Walter Murch, Vivien Hillgrove, Michael Magill
Figurino: Ann Roth
Guarda-Roupa: Donna Maloney
Maquiagem: Rosalina Da Silva, Suzanne Benoit
Efeitos Sonoros: Mark Berger, Philip Rogers, Luis Colina, Alan Splet e outros
Efeitos Especiais: Jozef Ort-Snep
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1989

Elenco

Daniel Day-Lewis Tomas
Juliette Binoche Tereza
Lena Olin Sabina
Derek de Lint Franz
Erland Josephson Embaixador
Pavel Landovský Pavel
Donald Moffat Cirurgião Chefe
Daniel Olbrychski Oficial do Ministério do Interior
Stellan Skarsgärd Engenheiro
Tomek Bork Jiri
Bruce Myers Editor tcheco
Pavel Slaby Sobrinho de Pavel
Pascale Kalensky Enfermeira Katja
Jacques Ciron Gerente do Restaurante Suiço
Anne Lonnberg Fotógrafa suiça
László Szabó Interrogador russo
Vladimír Valenta Prefeito
Leon Lissek Homem calvo no Bar
Isabelle Noérie Estudante
Consuelo De Haviland A morena alta
Claudine Berg .
Jean-Claude Dauphin .

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Jean-Claude Carrière, Philip Kaufman)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Boston

Prêmio de Melhor Fotografia (Sven Nykvist)

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Diretor (Philip Kaufman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Jean-Claude Carrière, Philip Kaufman)

Oscar de Melhor Fotografia (Sven Nykvist)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Lena Olin)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Sven Nykvist)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Lena Olin)

Prêmio de Melhor Fotografia (Sven Nykvist)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Fotografia (Sven Nykvist)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro baseado em material previamente publicado (Jean-Claude Carrière, Philip Kaufman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Dr. Tomas é um jovem cirurgião que vive em Praga, pouco antes da invasão russa de 1968.  Ele tem um relacionamento com uma mulher, chamada Sabina, uma pintora cujo propósito é o mesmo dele: manter uma relação física, sexual, sem qualquer envolvimento emocional, atitude que eles consideram como sendo 'a leveza do ser'.

Um dia, ao viajar para o campo, ele conhece Tereza, uma jovem e bela garçonete.  Eles passeiam juntos após ela sair do trabalho, ficando claro que há algo de muito especial acontecendo com os dois.  Ele retorna à Praga.

Um dia, ela bate à porta do Dr. Tomas.  Contra todos os seus princípios, ele permite que ela passe a noite com ele e, a seguir, que se mude para sua casa, onde terminam se casando.  Ele trai, assim, seus próprios códigos de 'leveza' e de 'liberdade'.

Com a invasão russa, os dois terminam deixando Praga e indo viver em Genebra, na Suiça.  Lá, Dr. Tomas reencontra Sabina e retoma sua relação sexual com ela, dentro da mesma filosofia de que sexo não tem nada a ver com amor.

Tal atitude faz com que Tereza tente experimentar o amor livre, mas não consegue.  Nesse meio tempo, Sabina conhece um professor chamado Franz, que se apaixona loucamente por ela, a ponto de decidir separar-se de sua esposa.  Pode Sabina aceitar esse amor?  Afinal de contas, ela é partidária do sexo sem amor...

No meio da indecisão de Sabina, Tereza vai à sua casa com uma câmera.  Lá, ela pede para tirar umas fotos de Sabina para uma revista de modas e lhe diz que precisa de alguns nus.  Sabina concorda e as duas mulheres se fotografam, uma a outra, num verdadeiro balé de erotismo.

Finalmente, Dr. Tomas e Tereza voltam para Praga, ocupada pelos soviéticos, enquanto Sabina se muda para uma propriedade no litoral da Califórnia, onde passa a viver sozinha.

imagem

Comentários

"A Insustentável Leveza do Ser" é uma obra-prima do cinema moderno.  Com um belíssimo roteiro, baseado num dos grandes clássicos da literatura mundial, de autoria de Milan Kundera, o filme, dirigido por Philip Kaufman, apresenta um dos triângulos amorosos mais quentes do cinema.

O filme apresenta, ainda, uma maravilhosa fotografia, um ótimo trabalho de edição e, acima de tudo, magníficas interpretações dos três principais atores.  Embora Lena Olin tenha sido a única a ser indicada a um Globo de Ouro, Juliette Binoche e Daniel Day-Lewis estão igualmente excelentes em seus papéis.

CAA