Filmes por gênero

A MARCA DA MALDADE (1958)

Touch of evil
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A sede do mal (Portugal)
La soif du mal (França)
L'infernale Quinlan (Itália)
Sed de mal (Espanha, Argentina)
Sombras del mal (México)
Im Zeichen des Bösen (Alemanha)
En djävulsk fälla (Suécia)
Complot met de duivel (Holanda)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Crime, Filme Noir, Suspense
Direção: Orson Welles
Roteiro: Orson Welles
Produção: Albert Zugsmith
Música Original: Henry Mancini
Direção Musical: Joseph Gershenson
Fotografia: Russell Metty
Edição: Aaron Stell, Virgil Vogel
Direção de Arte: Alexander Golitzen, Robert Clatworthy
Figurino: Bill Thomas
Guarda-Roupa: Claire Cramer, Adam Gottbetter, Nevada Penn
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Leslie I. Carey, Frank H. Wilkinson
Nota: 9.2
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Charlton Heston Ramon Miguel Vargas
Janet Leigh Susan Vargas
Orson Welles Capt. de Polícia Hank Quinlan
Joseph Calleia Sgt. de Polícia Pete Menzies
Joseph Cotten Cirurgião Policial
Akim Tamiroff 'Tio' Joe Grandi
Joanna Cook Moore Marcia Linnekar
Ray Collins Promotor Adair
Zsa Zsa Gabor Proprietária do Clube de Striptease
Marlene Dietrich Tanya
Mercedes McCambridge Líder da Gangue
Dennis Weaver Gerente do Motel Mirador
Valentin de Vargas Pancho
Mort Mills Al Schwartz
Keenan Wynn Advogado de Marcia Linnekar
Dan White Funcionário da Alfândega
Victor Millan Manolo Sanchez
Lalo Rios Risto
Phil Harvey Blaine
Rusty Wescoatt Detetive Casey
Joi Lansing Loura
Gus Schilling Eddie Farnham
Eleanor Dorado Lia
Arlene McQuade Ginnie
Jennie Dias Jackie

Prêmios

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio Especial (Rick Schmidlin)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Citação Especial

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Citação Especial (Walter Murch, J. Rosenbaum, Rick Schmidlin, Bob O'Neil)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Numa pequena cidade de fronteira mexicana, um vulto coloca uma bomba-relógio na mala de um conversível, fugindo em seguida.  Um insuspeito e rico americano, Rudi Linnekar, e sua namorada,  uma dançarina de strip-tease, entram no conversível e se dirigem à fronteira com os EUA.

Quando o conversível para no Posto de Fiscalização, chegam também, a pé, Ramon Miguel 'Mike' Vargas, um honrado investigador mexicano do Depto. de Narcóticos, em companhia de sua linda mulher americana, Susan Vargas, que se acham em lua-de-mel.

Pouco depois de entrar em território americano, o conversível explode violentamente, matando seus ocupantes.  Mike, Susan e outras testemunhas correm, juntamente com a polícia, até o local.  O promotor Adair também chega ao local, criticando o fato de Hank Quinlan, um corrupto capitão de polícia texana, não ter aparecido.  Ao mesmo tempo em que pede que sua mulher volte para o hotel, Vargas oferece seu apoio não oficial ao caso, como observador.  Assim, planeja ir à Cidade do México como testemunha de acusação no julgamento de Grandi, um traficante de drogas que ajudara a colocar na prisão.

Enquanto isso, Susan é abordada por Pancho, um criminoso que a leva à presença do irmão de Grandi, 'Tio' Joe Grandi.  Este a ameaça, com uma arma e um charuto que quase a queima na boca, dizendo-lhe que Vargas tem que ficar de fora do julgamento do irmão.  Ela o lembra que, a essa altura, seu marido já deve estar à sua procura.

De volta ao hotel, Vargas encontra Susan, que acabara de chegar de seu encontro com Grandi.  Por questões de segurança, sugere que ela siga logo para a Cidade do México, onde ficará a aguardá-lo.  Ao sair do hotel, Vargas é atacado por um jovem da gangue de Grandi, que lhe joga ácido no rosto.

Quinlan e seu comparsa, o Sgt. Menzies, juntamente com outros policiais, sob o pretexto de investigarem a explosão, vão até o Clube de Strip-Tease, onde conversam com a proprietária.  Ao sair de lá, Quinlan vai ao bordel de Tanya, sua antiga amante, onde lhe pergunta se ouviu alguma coisa a respeito do atentado à bomba, prometendo-lhe voltar depois.

Na manhã seguinte, Grandi planeja envolver Susan num crime de sexo/drogas, a fim de forçar Vargas a desistir de testemunhar contra seu irmão preso.  Quinlan sugere a Vargas que Susan estará mais segura no Motel Mirador, no México.  Vargas aceita a sugestão sem saber que o Motel é de propriedade de Grandi.

Juntamente com Vargas, Quinlan procura Manolo Sanchez, um antigo empregado de Linnekar e amante da filha deste, Marcia.  Ele diz que Sanchez tinha motivos para acabar com a vida de Linnekar.  Vargas sai por um instante, a fim de telefonar para Susan e, ao voltar, percebe que Quinlan 'plantou' evidências que podem incriminar Sanchez.

Ao verificar que Vargas percebeu que as evidências foram 'plantadas', Quinlan procura Grandi, já que ambos querem vê-lo longe do caso.

Enviados por Grandi e sob a orientação de Quinlan, Pancho e seu grupo chegam ao Motel para aterrorizar Susan.  Depois de cortarem sua linha telefônica, uma das líderes do grupo ameaça abrir a porta com uma chave-mestra para uma noite de orgias com drogas.

Vargas começa, por conta própria, a investigar Quinlan, determinado a mostrar que ele 'plantou' as evidências contra Sanchez.  Menzies procura Quinlan para lhe falar das intenções de Vargas.  Quinlan corre até o hotel onde Vargas conversa com o promotor.  Ao chegar lá, zomba do investigador mexicano, ao mesmo tempo em que o promotor diz ter certeza de que Quinlan é um policial correto.

No Motel, Susan é drogada.  Como parte do plano de Grandi, ela é raptada e levada inconsciente para um apartamento do Hotel Ritz, de sua propriedade, onde é deixada semi-nua numa cama, ao lado de restos de drogas.  Quinlan força Grandi a telefonar para a polícia e dizer a Menzies que as autoridades podem encontrar Susan drogada no Hotel Ritz.  Em seguida, Quinlan mata Grandi.

Al Schwartz avisa Vargas que sua esposa encontra-se presa, acusada de envolvimento com drogas e de ter cometido um assassinato.  Por outro lado, convencido de que Quinlan tem a ver com o ocorrido, Menzies alia-se a Vargas para desmascará-lo.

O plano de Vargas consiste em Menzies usar um microfone escondido para gravar uma conversa com Quinlan que o incrimine.  Menzies consegue gravar a conversa, como planejado mas, ao final, Quinlan descobre o microfone e atira em seu melhor amigo.  Vargas, que vinha seguindo os dois, aparece de repente para pegar Quinlan.  Este, rapidamente, aponta a arma em direção a Vargas, mas, embora mortalmente ferido, Menzies consegue matar o capitão de polícia corrupto.

Schwartz chega com Susan num carro e corre para o local onde se acham Menzies e Quinlan.  Vargas, por outro lado, abraça sua mulher dizendo-lhe que, afinal, está tudo acabado.

imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo fabuloso ator, roteirista e diretor, Orson Welles, "A Marca da Maldade" é um excelente filme-noir, que prende o espectador, do início à cena final, pela qualidade da trama e seu nível de suspense.

Embora tenha sido eleito o melhor filme do ano, quando da realização da Feira Mundial de Bruxelas, em 1958, tendo Truffaut e Godard entre os jurados, "A Marca da Maldade" não é, injustamente, um filme premiado.

Além do magnífico trabalho de Orson Welles, ao adaptar para o cinema o livro "Badge of Evil", de Whit Masterson, o filme conta com a extraordinária fotografia de Russell Metty, com a ótima trilha sonora de Henry Mancini e, sobretudo, com um elenco estelar, onde se destacam as atuações de Orson Welles, Janet Leigh, Charlton Heston e Akim Tamiroff.

CAA