Filmes por gênero

A MARVADA CARNE (1985)

imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Verflixtes Fleisch (Alemanha)
Csodahús (Hungria)
Pais: Brasil
Gênero: Comédia
Direção: André Klotzel
Roteiro: André Klotzel, Carlos Alberto Sofredini
Produção: Cláudio Kahns
Design Produção: Beto Mainieri, Adrian Cooper
Música Original: Rogério Duprat, Hélio Ziskind, Passoca
Fotografia: Pedro Farkas
Edição: Alain Fresnot
Direção de Arte: Adrian Cooper
Figurino: Marisa Guimarães
Guarda-Roupa: Marico Kawamura, Nives Gardini
Maquiagem: Maria Antônia Lombardi, Maria Aparecida de Freitas
Efeitos Sonoros: Walter Rogério, Tide Borges, Antônio César, José Luiz Sasso
Efeitos Especiais: Bob Costa
Efeitos Visuais: Saulo Silveira, Eduardo Cestari
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1986

Elenco

Adilson Barros Nhô Quim
Fernanda Torres Carula
Dionísio Azevedo Nhô Totó
Genny Prado Nhá Policena
Lucélia Machiaveli Nhá Tomaza
Regina Casé Mulher Diaba
Chiquinho Brandão Malandro
Tio Celso Preto Velho
Nelson Triunfo Curupira
Tonico Membro da dupla caipira
Tinoco Membro da dupla caipira
Paco Sanchez Serafim
Henrique Lisboa Padre
Nereide Bonamigo Mulher de Serafim
Noêmia Scaraveli Carminha
Alessandra F. de Menis Filha de Serafim

Prêmios

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Direção (André Klotzel)

Prêmio do Público (André Klotzel)

Kikito de Ouro de Melhor Edição (Alain Fresnot )

Prêmio Edgar Brasil de Fotografia (Pedro Farkas )

Kikito de Ouro de Melhor Filme (André Klotzel)

Kikito de Ouro de Melhor Roteiro (André Klotzel, Carlos Alberto Sofredini)

Kikito de Ouro de Melhor Fotografia (Pedro Farkas )

Kikito de Ouro de Melhor Cenografia (Adrian Cooper)

Kikito de Ouro de Melhor Trilha Sonora (Rogerio Duprat )

Kikito de Ouro de Melhor Atriz (Fernanda Torres)

Prêmio do Júri Especial (Dionísio Azevedo)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Nhô Quim vive lá nos cafundós do Judas e leva aquela vidinha besta no meio do mato em companhia do cachorro e da cabra de estimação.  Cansado, cai no mundo para encontrar uma solução para duas questões que o incomodam: Arranjar uma boa moça para se casar e comer a tal carne de boi, um desejo que fica ruminando sem parar dentro dele.

Nas suas andanças, Nhô Quim vai dar na casa de Nhô Totó e Nhá Policena, cuja filha, Carula, está em conflito com o Santo Antonio que não anda colaborando para ela arranjar um bom partido.

Nhô Quim fica por ali, trabalhando na roça e logo a moça descobre os seus desejos, e faz chegar aos ouvidos dele que Nhô Totó tem um boi reservado para a ocasião do casamento da filha.

Nhô Quim, juntando o útil ao agradável, resolve pedi-la em casamento.  O pai consente, só que antes o noivo tem que passar por algumas provas para testar sua esperteza e argúcia.  Nhô Quim topa a parada mas percebe que a coisa não acaba mais e toma uma atitude drástica: Foge com Carula para casar e, já na volta, descobre que não existe o tal boi e que, portanto,  não seria ainda daquela vez que iria matar o seu grande desejo.

O tempo passa e a vidinha cai no remanso, a filharada vai crescendo e aquela vontade lá dentro nunca resolvida.  Ele tem que comer a carne de boi!  Enfim, toma a decisão:  Arranja um dinheiro ao enganar o tinhoso e se manda para a cidade grande disposto a finalmente realizar o seu grande desejo.

imagem

Comentários

"A Marvada Carne" é uma ótima comédia do cinema brasileiro.  Realizado por André Klotzel, que também co-assina o roteiro, o filme narra a história de um humilde caipira e sua determinação de enfrentar quaisquer obstáculos para atingir seu objetivo.

Com diálogos primorosos, o filme é delicioso do início ao fim.  A fotografia de Pedro Farkas é brilhante, assim como, a música de Rogério Duprat.

No elenco, destacam-se as atuações de Fernanda Torres, Adilson Barros e Dionísio Azevedo, este último no papel do desconfiado Nhô Totó.

CAA