Filmes por gênero

PACTO DE SANGUE (1944)

Double indemnity
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Pagos a dobrar (Portugal)
Assurance sur la mort (França, Bélgica)
La fiamma del peccato (Itália)
Perdición (Espanha)
Pacto de sangre (Argentina, Peru)
Frau ohne Gewissen (Austria, Alemanha)
Kvinna utan samvete (Suécia)
Kvinden uden samvittighed (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Suspense, Crime, Drama
Direção: Billy Wilder
Roteiro: Billy Wilder, Raymond Chandler
Produção: Buddy G. DeSylva, Joseph Sistrom
Música Original: Miklós Rózsa
Música Não Original: Framz Schubert, César Franck
Fotografia: John F. Seitz
Edição: Doane Harrison
Direção de Arte: Hans Dreier, Hal Pereira
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Loren L. Ryder, Walter Oberst, Stanley Cooley
Efeitos Especiais: Farciot Edouart
Nota: 9.4
Filme Assistido em: 1956

Elenco

Barbara Stanwyck Phyllis Dietrichson
Fred MacMurray Walter Neff
Edward G. Robinson Barton Keyes
Porter Hall Sr. Jackson
Jean Heather Lola Dietrichson
Tom Powers Sr. Dietrichson
Byron Barr Nino Zachetti
Richard Gaines Edward S. Norton Jr.
Fortunio Bonanova Sam Garlopis
John Philliber Joe Peters
Douglas Spencer Lou Schwartz
Edmund Cobb Condutor do trem
Betty Farrington Nettie, empregada dos Dietrichson
Bess Flowers Secretária de Norton
Miriam Franklin Secretária de Keyes
Sam McDaniel Charlie

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Direção (Billy Wilder)

Oscar de Melhor Roteiro (Billy Wilder, Raymond Chandler)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (John F. Seitz)

Oscar de Melhor Gravação de Som (Loren L. Ryder)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Miklós Rózsa)

Oscar de Melhor Atriz (Barbara Stanwyck)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Billy Wilder)

Prêmio de Melhor Atriz (Barbara Stanwyck)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Los Angeles, nas primeiras horas da manhã, o vendedor de seguros Walter Neff, de 35 anos, chega ao edifício onde trabalha.  Em sua sala, ferido e sangrando, ele apanha um ditafone e grava uma confissão de assassinato dirigida ao gerente Barton Keyes, onde explica como cometeu o 'crime perfeito', ao matar o Sr. Dietrichson, o que fez por dinheiro e por uma bela mulher.  A seguir, explica que se envolvera com a Sra. Phyllis Dietrichson poucos meses antes, ao procurar seu marido, na mansão da família, para renovar o seguro de seus carros.

Durante o flashback, é mostrado que, não se encontrando o Sr. Dietrichson em casa, Neff é recebido pela Sra. Phyllis, vestida de forma sensual e procurando mostrar-se extremamente sedutora.  Após esse primeiro encontro, fica clara a mútua atração sexual entre eles.  Ao sair, é acertado que ele voltaria no dia seguinte, às 20:30h, para falar com o Sr. Dietrichson.

O chefe de Neff, Barton Keyes, é um veterano investigador de seguros, inflexível, capaz de rapidamente identificar uma reivindicação desonesta.

De volta ao seu escritório, Neff encontra um recado de Phyllis mudando o encontro do dia seguinte para a parte da tarde. No novo horário combinado, ele volta à mansão dos Dietrichson, onde é recebido por Phyllis.  Na oportunidade, nota que nem o Sr. Dietrichson, nem a empregada Nettie encontram-se em casa.

Na sala de estar, ela lhe fala da perigosa profissão de seu velho marido, ao lidar com equipes de perfuração de campos de petróleo em Long Beach e do seu interesse de, além de renovar os seguros dos carros, fazer uma cobertura adicional para o caso dele sofrer um acidente.   Em seguida, ela lhe fala de sua insatisfação com seu casamento.  Neff fica chocado com a idéia do seguro de acidente, com a clara intenção de matar o marido e ficar com o valor segurado.

De volta ao seu apartamento, Neff é surpreendido quando a campainha toca e ele vê que Phyllis encontra-se à sua porta.  Ao entrar, ela lhe diz que não teve a mínima intenção maliciosa ao propor o seguro e que estava ali para tirar qualquer má impressão causada.  A idéia de fazer um seguro sem que ele o saiba é devido ao fato de, em caso de sua morte, todos os seus bens irem para as mãos de Lola, a filha do primeiro casamento dele.

Incontrolavelmente seduzido por Phyllis, Neff declara seu amor por ela.  Na ocasião, ela confessa que já chegou a pensar em matar o marido, imaginando-o preso na garagem com o escapamento do carro ligado.  Em pensamento, Neff começa a admitir a possibilidade de ajudá-la a cometer 'o crime perfeito', tendo em vista seu grande conhecimento sobre como funciona um seguro de vida.  Quando ela se prepara para sair, ele lhe diz que vai ajudá-la a matar o marido, de uma forma que pareça acidente para a polícia e também em condições específicas, que façam o seguro ser pago em dobro.  Eles planejam conseguir US$ 100.000 e fugirem em seguida.

Alguns dias depois, Neff retorna à mansão para pegar a assinatura do Sr. Dietrichson na apólice de renovação do seguros dos carros, o que é feito tendo Lola como testemunha, oportunidade em que, alegando a necessidade de ter o documento assinado em duas vias, faz com que ele assine também a apólice referente ao seguro contra acidentes.

Em seguida, ele se despede e, ao abrir a porta de seu carro, descobre que Lola encontra-se sentada no banco da frente.  Ela lhe pede uma carona, pois pretende encontrar-se com Nino Zachetti, um italiano de 25 anos, com quem ela mantém uma relação clandestina.

Dias depois, Phyllis telefona para Neff para lhe avisar que o dia de executarem o plano chegou.  É que o marido vai pegar o trem para uma viagem de quatro dias.  Assim, eles se encontram na hora em que o Sr. Dietrichson vai para a estação.  Conforme planejado, Neff o mata quebrando-lhe o pescoço e, em seguida, se disfarça e se faz passar por ele, embarcando no trem.  No local em que o trem reduz a velocidade, Neff salta do mesmo.  Phyllis chega trazendo o corpo do marido.  Os dois arrastam o cadáver até colocá-lo num ponto que faça parecer que a morte foi causada pela queda do trem.

Quando das investigações, o presidente da Companhia de Seguros, Edward S. Norton Jr. não aceita a hipótese de acidente, acreditando tratar-se de suicídio, hipótese não coberta pela apólice.  Com base em várias estatísticas sobre suicídio, Barton Keyes descarta essa possibilidade, preferindo a hipótese de assassinato, em que sua viúva e beneficiária seria a principal suspeita.  Segundo ele, o problema seria o de encontrar a pessoa que a ajudou, já que ela não teria condições físicas de fazer tudo sozinha.

Ao se encontrar com Neff, Lola diz que Phyllis era enfermeira quando sua mãe foi hospitalizada, acreditando ser sua madrasta a responsável pela morte dela.  Continuando, diz que, logo a seguir, ela estava casada com seu pai, por dinheiro, e que agora resolvera matá-lo para por as mãos no valor do seguro.  Lola acredita, ainda, que Phyllis está tendo um caso com seu ex-namorado, Nino Zachetti, o qual pode tê-la ajudado a cometer o crime.

Pouco tempo depois, para seu alívio, Neff toma conhecimento que Keyes comunga das mesmas suspeitas de Lola.  Ressentido com Phyllis, Neff vai à sua mansão.  Antes de recebê-lo, ela apanha uma arma e a esconde.  A conversa entre os dois não é nada amigável.  Ele a culpa de tê-lo usado por ser um 'expert' em seguros, pretendendo em seguida livrar-se dele.  Por outro lado, diz que está usando Zachetti para se livrar de Lola e, provavelmente, procurará alguém para cuidar de Zachetti.

Neff vai até a janela e, ao voltar, recebe uma bala em seu ombro.  Arrependida, ela lhe pede que a abrace.  Enquanto se abraçam, Neff desfecha dois tiros em Phyllis.  A seguir, ele encontra Zachetti e o convence a procurar Lola, pois tem certeza que os dois se amam.

O filme volta ao escritório de Neff, onde ele está terminando de fazer sua confissão para Keyes, através do ditafone.  Ao ouvir um ruído, ele se volta e vê Keyes parado na porta a ouvir sua confissão.  Este ainda tenta chamar um médico...

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro "Three of a Kind" de James M. Cain, "Pacto de Sangue" é um dos melhores filmes-noir do cineasta Billy Wilder, um sarcástico, engenhoso e sórdido 'thriller' sobre adultério, corrupção e assassinato.

Seu roteiro, muito bem estruturado, foi escrito por Wilder, juntamente com o detetive romancista Raymond Chandler.  A história teve por base um crime ocorrido em março de 1927, em Nova York, perpetrado pela dona-de-casa Ruth Snyder e por seu amante, Judd Gray, um vendedor de 32 anos.

Embora não tenha sido agraciado com nenhum Oscar, o filme recebeu 7 indicações da Academia de Hollywood.  Entre seus pontos mais fortes, destacam-se, além de seu ótimo roteiro e da direção eficiente de Wilder, a bela trilha sonora de Miklós Rózsa e a magnífica interpretação de Barbara Stanwyck.

CAA