Filmes por gênero

PATCH ADAMS - O AMOR É CONTAGIOSO (1998)

Patch Adams

Ficha Técnica

Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Dramática
Direção: Tom Shadyac
Roteiro: Steve Oedekerk
Produção: Mike Farrell, Barry Kemp, Marvin Minoff, Charles Newirth
Design Produção: Linda DeScenna
Música Original: Diane Warren, Marc Shaiman, Eric Clapton
Fotografia: Phedon Papamichael
Edição: Don Zimmerman
Direção de Arte: James Nedza
Figurino: Judy L. Ruskin
Efeitos Especiais: Rod M. Janusch, David Blitstein, Ivo Kos, Michael McGee
Efeitos Visuais: Sheena Duggal
Nota: 6.5
Filme Assistido em: 1999

Elenco

Barry Shabaka Henley Emmet
Monica Potter Carin Fisher
Josef Sommer Dr. Eaton
Richard Kiley Dr. Titan
Robin Williams Hunter 'Patch' Adams
Philip Seymour Hoffman Mitch Roman
Harve Presnell Dean J. P. Anderson
Harold Gould Arthur Mendelson
Peter Coyote Bill Davis
Irma P. Hall Joletta
Bruce Bohne Trevor Beene
Douglas Roberts Lawrence 'Larry' Silver
Michael Jeter Rudy
Bob Gunton Dean Walcott
Daniel London Truman Schiff
Frances Lee McCain Judy
Daniella Kuhn Adelane
James Greene Bile
Ellen Albertini Dow Aggie Kennedy
Ryan Hurst Neil
Jay Jacobus Jack Walton
Piers Mackenzzie Dr. Hashman
Jake Bowen Bryan

Sinopse

No ambiente silencioso e esterilizado de um hospital, um palhaço com sapatos gigantescos e um enorme nariz vermelho surge pela porta.  Os pacientes que se cuidem... Rir é contagioso.  A história real de Patch, paciente e, mais tarde, médico de uma instituição para doentes mentais, celebra o triunfo da busca insistente por um ideal.

Sua vontade de tornar-se médico surgiu quando, ainda adolescente, foi internado numa clínica devido a uma depressão. Seu sonho começou a se tornar realidade no final dos anos 60, quando Patch estudou na Escola de Medicina da Virgínia e, em seguida, abriu o Instituto Gesundheit com uma abordagem mais personalizada da prática médica. Tudo estava bem, mas em meados dos anos 80, o Instituto Gesundheit começou a receber atenção da mídia sobre seus procedimentos terapêuticos nada ortodoxos.  

Os conflitos começaram.  Em 1993, Patch escreveu um livro sobre seu trabalho explicando suas prescrições inspiradas no humor e o porquê de querer vestir-se de gorila, de encher uma sala com balões ou uma banheira com macarrão - tudo para conseguir um sorriso, realizar uma conexão emocional com seus pacientes, ou conseguir levar um simples momento de prazer aos doentes.  O doutor Patch proclama: "Todos sabemos como o amor é importante e, mesmo assim, quão freqüentemente o demonstramos?  Quantas pessoas doentes neste mundo sofrem de solidão, tédio e medo que não podem ser curadas com uma simples pílula?".

Utilizando métodos nada convencionais e surpresas incríveis para aplacar a ansiedade dos pacientes, Patch foi o pioneiro na idéia, até então radical, de que os médicos devem tratar as pessoas, e não apenas a doença.  Compaixão, envolvimento e empatia têm tanto valor quanto remédios e avanços tecnológicos.

Comentários

Baseado em fatos reais ocorridos nos anos 70, "Patch Adams - O Amor é Contagioso" é um bom filme, comovente e, ao mesmo tempo, engraçado.  Realizado pelo diretor  Tom Shadyac, o filme apresenta algumas pequenas falhas em seu roteiro, o que não chega a comprometer o andamento da trama.

A trilha sonora é maravilhosa, a fotografia de Phedon Papamichael é belíssima, mas é Robin Williams quem rouba todas as cenas.  No elenco, merecem ainda destaques as atuações de Monica Potter e Philip Seymour Hoffman.

CAA