Filmes por gênero

ABRIL EM PARIS (1952)

April in Paris
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Paris em Abril (Portugal)
Aprile a Parigi (Itália)
Abril en París (Espanha)
Pariisin huhtikuu (Finlândia)
April i Paris (Dinamarca, Suécia)
Április Párizsban (Hungria)
Nea Yorki - Parisi (Grécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Musical
Direção: David Butler
Roteiro: Jack Rose, Melville Shavelson
Produção: William Jacobs
Música Original: Howard Jackson
Direção Musical: Ray Heindorf
Coreografia: Donald Saddler
Fotografia: Wilfred M. Cline
Edição: Irene Morra
Direção de Arte: Leo K. Kuter
Figurino: Leah Rhodes
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: C. A. Riggs, Charles Forrest
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 1954

Elenco

Doris Day Ethel 'Dynamite' Jackson
Ray Bolger Winthrop Putnam
Claude Dauphin Philippe Fouquet
Eve Miller Marcia Sherman
George Givot François
Paul Harvey Secretário Robert Sherman
Herbert Farjeon Joshua Stevens
Wilson Millar Sinclair Wilson
Raymond Largay Joseph Welmar
John Alvin Tracy
Jack Lomas Taxista
Donald Kerr Usher
Robert Cornell Charles
Andrew Berner Jacques
Patricia Mitchell Marie
Veronica Pataky Sra. Fouquet
Delfina Salazar Yvonne
Patsy Weil Jeanne
Dee Carroll Secretária
Bess Flowers Passageira no Desembarque

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Washington, Winthrop Putman é Secretário Assistente do Assistente do Sub-Secretário de Estado.  Para participar do Festival de Artes de Paris, o governo decide convidar a grande atriz Ethel Barrymore, o ator Joshua Steven, o escritor Sinclair Wilson e o compositor Josef Weimer.

Por engano, Putman envia o convite que seria de Ethel Barrymore para Ethel Jackson, uma corista que está se apresentando num musical da Broadway.  Ao tomar conhecimento do ocorrido, ele vai à Nova York comunicar pessoalmente o engano à Ethel.  Ele chega ao teatro exatamente no momento em que a corista está sendo homenageada, por suas colegas, pelo importante convite recebido.  Putman apresenta-se como funcionário do governo, conta o ocorrido e pede desculpas.

Nesse ínterim, a notícia do convite já havia se espalhado, chegando aos jornais.  Face à repercussão altamente positiva, o Depto. de Estado decide manter a corista na delegação americana que vai à Paris.  Assim, quando Putman retorna à Washington, é festejado por todos, inclusive pelo Secretário Robert Sherman, pela brilhante idéia que tivera.

A viagem para a França se dá a bordo de um luxuoso transatlântico francês.  Durante a mesma, Ethel sente-se completamente deslocada ao lado do Secretário Sherman e dos demais membros sofisticados da delegação.  Depois de quatro dias tentando conjugar os verbos franceses, ela dá um basta ao ser convidada por Philippe Fouquet, um dos garçons do navio, a ir até a cozinha, onde improvisam um baile e todos se divertem.

Sherman pede a Putman que comunique à Ethel que ela deverá ser enviada de volta aos EUA por seu comportamento inadequado.  Ele a encontra na cozinha, onde os garçons lhe oferecem diversos drinques e termina aderindo à festa, dançando e cantando.

Quando o baile termina, ainda bastante alegres, Putman sugere à Ethel que juntos procurem o capitão do navio, pois o mesmo tem poderes para celebrar casamentos a bordo.  Assim, na cabine do capitão, os dois são declarados marido e mulher.  Ao sair, Philippe, que havia sido testemunha, descobre que o casamento foi celebrado por um dos garçons que se achava casualmente lá.

Na chegada à França, Marcia, filha de Sherman e noiva de Putman, que resolvera fazer uma surpresa, viajando de avião, aguarda todos no cáis.  Em Paris, no Palais de Chaillot, durante a cerimônia de abertura do Festival, Ethel e Marcia trocam tapas.  Ethel se retira.  Na saída, encontra Philippe que lhe conta ter sido o casamento uma farsa.

No hotel, Sherman, Putman e Marcia decidem assistir a um show anunciado para o 'Café Parisien'.  Ao chegarem lá, descobrem que a Casa Noturna é de propriedade de Philippe Fouquet, o garçom do navio, e que a principal estrela da noite é Ethel Jackson.

Marcia e Putman se desentendem por conta de Ethel.  Ela quer ir para o hotel, enquanto ele diz que precisa falar com a corista.  A noiva o ameaça, em relação ao seu futuro profissional, mas, decidido, ele rompe o noivado, perde o emprego e vai atrás da mulher que passou a amar.

imagem

Comentários

"Abril em Paris" é mais uma deliciosa comédia musical com Doris Day.  Realizado pelo cineasta David Butler, o filme conta a história de uma corista de shows musicais que, por engano, é convidada pelo Depto. de Estado a participar da delegação americana que estará presente no Festival de Artes de Paris.

Como sempre, Doris Day está magnífica com sua voz incomparável, bem como, nos números de dança dos quais participa.  Ray Bolger também está ótimo fazendo par com Day.  Embora não seja um Fred Astaire, nem tenha o rosto de Rock Hudson, ele dá um show como dançarino, coisa impensável para Hudson.

A fotografia de Wilfred M. Cline é muito boa.  Entre os números musicais, além de 'April in Paris', que dá o nome ao filme, encontram-se 'It Must Be Him', 'That's What Makes Paris Paree' e 'I'm Gonna Ring The Bell Tonight'.

CAA