Filmes por gênero

PERDOA-ME POR ME TRAÍRES (1983)

imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Drama
Direção: Braz Chediak
Roteiro: Braz Chediak, Nelson Rodrigues Fº, Gilvan Pereira, Joffre Rodrigues
Produção: J. B. Tanko
Música Original: Chico Buarque de Hollanda, Radamés Gnatalli
Direção Musical: Radamés Gnattali, Roberto Gnattali
Fotografia: Hélio Silva
Edição: Rafael Valverde
Direção de Arte: Anna Quadros, Gioconda Coelho, Iaponi Araújo
Figurino: Maria da Conceição Conte
Maquiagem: Josefina de Oliveira
Nota: 7.5
Filme Assistido em: 1983

Elenco

Nuno Leal Maia Gilberto
Vera Fischer Judite
Lídia Brondi Glorinha
Rubens Correia Raul
Monah Delacy Tia Odete
Jorge Dória Médico
Ângela Leal Enfermeira
Henriette Morineau Madame Luba
Zaíra Zambelli Nair
Anselmo Vasconcelos Pola Negri
Virgínia Valli Mãe
João Jedes Amante
Flávio Moreira da Costa Irmão
Roberta Priscilla Glorinha, menina
João Joedes .
Virginia Vale .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Glorinha, garota de 16 anos, mora com o tio Raul e a tia Odete.  Reprimida pelo tio, a menina busca um sentido para a vida.  Tenta encontra-lo num bordel, para onde vai com a colega de escola e prostituta Nair.  Glorinha, porém, assusta-se com o lugar e, depois de se encontrar ali mesmo com o primeiro cliente, um deputado que só chega ao orgasmo recitando pontos de física, ela desiste da prostituição. 

No outro dia, a amiga Nair lhe pede para ir ao médico com ela.  Grávida, Nair precisou fazer um aborto mas a cirurgia acabou dando errado.  Agonizante, a menina pede um beijo à Glorinha, que nega-lhe o pedido. 

No dia seguinte, tio Raul pergunta à garota se ela esteve com Nair na tarde passada e ela nega. Ele diz que já sabe de tudo, pois o médico ligou para a casa, atrás de Glorinha, e ele foi até o encontro de Nair. Com raiva por causa do beijo não dado, Nair contou, antes de morrer, tudo o que sabia sobre Glorinha. Raul resolve contar à menina toda a verdade sobre a história de sua família.

Glorinha acreditava que sua mãe tinha se matado e seu pai morrido de desgosto logo em seguida.  Mas Raul lhe diz que as coisas, na verdade, não aconteceram bem assim.  Seu pai, Gilberto, de uma hora para a outra começou a ter um ciúme doentio da mulher, Judite, e acabou tendo um colapso nervoso.  Antes disso, eles viviam em lua-de-mel há dois anos e tomavam banhos juntos todos os dias.  A crise começou quando ela recusou abrir a porta do banheiro na hora do banho.  Com a recusa da higiene conjunta, uma espécie de regra entre o casal, Gilberto começou a achar que a sua mulher tinha um amante.

Neurótico e obsessivo, internou-se em seguida numa casa de repouso, por vontade própria.  Decidiu ficar incomunicável e não recebeu sequer um telefonema nos seis meses de sua estadia na clínica.  Um dia voltou para casa sem avisar e surpreendeu a mulher toda arrumada, pronta para sair.  Judite estranhou a chegada do marido, mas contornou a situação dizendo que estava saindo para cumprir uma promessa.

Gilberto acreditou e não importunou mais a mulher.  No mesmo dia, porém, Raul, seus outros dois irmãos e a mãe de Gilberto apareceram para uma conversa urgente.  Raul disse ao irmão que Judite tinha um amante e garantiu que sabia até mesmo o nome dele e a freqüência com que se encontravam.  Ele não acreditou no irmão, mas Judite acabou confessando.  Não teve um amante e sim vários, prefere os que ainda têm espinhas, já se entregou até mesmo por um "bom dia" e só se arrepende do marido.  Ele diz que a culpa foi toda sua e pede perdão à mulher, dizendo: "Perdoa-me por me traíres".  Raul então preparou um copo de veneno e obrigou a cunhada a tomar. Ela aceitou e tomou contente, como se estivesse indo ao encontro da sua libertação.

Revelado isto, a história volta para o presente.  Tio Raul diz a Glorinha que só contou a verdadeira história à menina porque ela terá o mesmo fim de sua luxuriosa mãe.  Nesta conversa derradeira entre Raul e a sobrinha, repleta de subterfúgios e explosões, ele acaba revelando que matou Judite porque ela o repeliu e, antes da cunhada morrer, lhe deu um beijo na boca.  Diz ainda que criou Glorinha, cara e corpo da mãe, só para ele.  Garante que ama a menina e propõe que eles bebam veneno juntos.  Glorinha pede para o tio tomar primeiro e, enquanto ele agoniza, telefona para o bordel dizendo para não desmarcar o encontro do dia seguinte porque ela irá ao encontro do deputado, com certeza.  Tio Raul ainda vive mais um pouco para vê-la atirar-lhe o líquido na cara.

imagem

Comentários

Baseado na peça homônima do dramaturgo Nelson Rodrigues, "Perdoa-me por me traíres" é um bom filme brasileiro.

Realizado pelo cineasta Braz Chediak, o filme brinda os espectadores com uma excelente trilha sonora, com músicas de Chico Buarque de Hollanda e direção musical de Radamés e Roberto Gnattali, bem como, com ótimas interpretações.

Como na maioria dos filmes adaptados da formidável obra de Nelson Rodrigues, "Perdoa-me por me traíres" apresenta um desfecho surpreendente e violento.

CAA