Filmes por gênero

UM YANKEE NA R.A.F. (1941)

A yank in the R.A.F.
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Um americano na aviação (Portugal)
Un yankee dans la R.A.F. (França)
Il mio avventuriero (Itália)
Un americano en la RAF (Espanha)
En yankee flyger till London (Suécia)
Jankes w RAF-ie (Polônia)
Meidän lentäjien kesken (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: 2ª Guerra Mundial, Drama, Romance
Direção: Henry King
Roteiro: Karl Tunberg, Darrell Ware
Produção: Darryl F. Zanuck
Música Original: Alfred Newman
Direção Musical: Alfred Newman
Fotografia: Leon Shamroy
Edição: Barbara McLean
Direção de Arte: Richard Day, James Basevi
Figurino: Travis Banton
Guarda-Roupa: Sam Benson
Efeitos Sonoros: Roger Heman Sr., Bernard Freericks
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1944

Elenco

Tyrone Power Tim Baker
Betty Grable Carol Brown
John Sutton Comandante John Morley
Reginald Gardiner Oficial de vôo Roger Philby
Morton Lowry Líder de Esquadrão
Donald Stuart Soldado Harry Baker
Ralph Byrd Al Bennett
Frederick Worlock Major H. R. Stone
Richard Fraser Oficial de vôo Thorndyke
Ethel Griffies Lady FitzHugh
Lester Matthews Capitão
Dennis Hoey Oficial da Inteligência
Kurt Kreuger Piloto alemão
Fortunio Bonanova Garçon no Regency
James Craven Instrutor de Spitfire
Otto Reichow Piloto alemão
Denis Green Tenente Redmond
G. P. Huntley Rádio-Operador
Gilchrist Stuart Wales, oficial de vôo Senior
John Wilde Oficial de vôo Graves
Stuart Robertson Oficial da Inteligência

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhores Efeitos Especiais (Fred Sersen, Edmund H. Hansen)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No início da 2ª Guerra Mundial, Tim Baker, piloto americano, perde o emprego ao levar um avião para o Canadá, violando o Ato de Neutralidade.  Logo a seguir, recebe uma oferta para transportar um avião para a Inglaterra por US$ 1.000.  Em Londres, ao encontrar uma antiga namorada, Carol Brown, apresentando-se num "nightclub" londrino, ele decide permanecer na Inglaterra e se alistar na Real Força Aérea.

Tim atende a um treinamento numa Base Aérea.  No "nightclub", o Comandante John Morley junta-se a Roger Philby enquanto Carol canta"Let's have another little dream".  Carol diz a Morley que é casada.  Ele lhe dá uma carona e se abrigam numa igreja.  Carol admite que não é casada, mas que é comprometida.  Ela encontra Tim tirando um cochilo no seu apartamento.

Tim é designado para servir no Esquadrão de Morley.  Numa missão, ele voa sobre Berlim para derramar milhares de folhetos sobre a cidade.  Ao chegar, ele telefona para Carol e lhe diz que vai estar com ela em 45 minutos.  Tim pega carona com Roger, os dois encontram-se com Al Bennett e resolvem tomar um drink, o que faz com que ele só chegue ao apartamento de Carol às 4 horas da madrugada.  Ela não está lá.  Ela caminha com Morley na propriedade do pai dele e ele a pede em casamento.  Carol diz não por causa de Tim.  Ela o encontra em seu apartamento e ele lhe pede perdão.  Ela lhe diz que está tudo acabado e pede para que Tim e Roger saiam.

Numa missão contra os alemães, o avião de Tim e Morley é atingido e eles conseguem fazer um pouso de emergência numa praia da Holanda.  Um soldado nazista prende Morley, Roger e Tim.  Morley e Tim conseguem fugir num barco enquanto Roger é morto.  Tim acorda num hospital inglês.  Quando se restabelece, procura Carol e ela lhe diz que tem saido com Morley.  Ele coloca um anel à força no dedo dela e a beija.

A R.A.F. tem que proteger a retirada das tropas aliadas de Dunquerque. Tim pilota um Spitfire e, no dia seguinte, os jornais reportam que 350.000 homens foram evacuados.  Morley diz a Carol que Tim não voltou da missão.  Os dois vão esperar o último barco de Dunquerque.  Carol avista Tim e o beija.

imagem

Comentários

Durante os dois primeiros anos da 2ª Guerra Mundial, período em que os EUA permaneceram neutros, havia um forte sentimento de isolacionismo no País, principalmente entre os grupos de extrema esquerda.  Tais grupos logo identificaram Hollywood como um instrumento a favor de seus interesses, já que os Estúdios Cinematográficos eram francamente a favor da intervenção americana na guerra.  Dentro desse espírito, o executivo da Fox e produtor, Darryl F. Zanuck, realizou "Um Ianque na RAF", como uma forma de encorajar os EUA a intervirem na guerra até então européia.

Muito bem orquestrado pelo diretor Henry King, o filme parte de um engenhoso roteiro, assinado por Karl Tunberg e Darrell Ware, e consegue ser um interessante passa-tempo com o esperado final feliz dos filmes hollywoodianos.  Cenas reais de combate aéreo foram introduzidas para emprestarem uma maior credibilidade às ações.

Tyrone Power e Betty Grable, dois carismáticos ícones da geração de ouro do cinema americano, conseguem criar uma excelente química entre eles, enquanto King dosa muito bem o romance com o espetáculo aéreo.  O filme apresenta, ainda, a bela fotografia de Leon Shamroy e os excelentes efeitos visuais e sonoros que o levaram à indicação do Oscar.
 
CAA