Filmes por gênero

BABETTE VAI À GUERRA (1959)

Babette s'en va-t-en guerre
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Babette goes to war (Estados Unidos)
Babette va alla guerra (Itália)
Babette se va a la guerra (Espanha, México)
Babette zieht in den Krieg (Alemanha)
Babette på krigsstigen (Suécia)
Babette idzie na wojne (Polônia)
Babette lähtee sotaan (Finlândia)
Babette går i krig (Dinamarca)
Бабет отива на война (Bulgária)
Pais: França
Gênero: Comédia
Direção: Christian-Jaque
Roteiro: Jacques Emmanuel, Jean Ferry
Produção: Raoul Lévy
Design Produção: Jean André
Música Original: Gilbert Bécaud
Fotografia: Armand Thirard
Edição: Jacques Desagneaux
Efeitos Sonoros: William Robert Sivel
Nota: 6.9
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Brigitte Bardot Babette
Jacques Charrier Gérard de Crécy
Ronald Howard Fitzpatrick
Michael Cramer Heinrich
René Havard Louis
Mona Goya Mme. Fernande
Viviane Gosset Duquesa de Crécy
Robert Berri Sgt. Bill
Françoise Belin Mado
Charles Bouillaud Pierrot
Alain Bouvette Émile
Max Elloy Firmin
Jacques Hilling Capitão
Jean-Pierre Zola Major alemão
Francis Blanche Schulz
Pierre Bertin Duque de Crécy
Yves Vincent Capitão Darcy
Noël Roquevert Capitão Gustave Frémond
Hannes Messemer General von Arenberg
Jean Carmet Antoine
Philippe Clair Membro da Resistência

Indicações

Festival Internacional de Cinema de Moscou, Rússia

Grand Prix (Christian-Jaque)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Junho de 1940. Babette é uma jovem e ingênua garçonete que trabalha em um restaurante francês. Ao ser demitida, desempregada, ela é recomendada, por um amigo nada delicado, à proprietária de uma pensão de mulheres.

No entanto, face à ameaça nazista, Babette e outras mulheres são evacuadas e levadas para a Inglaterra. Uma vez em Londres, ela conhece o belo tenente Gérard de Crécy, o qual consegue colocá-la como faxineira do Quartel General da França Livre.

Por outro lado, com a Grã-Bretanha prestes a ser invadida por tropas da Alemanha, após a queda da França, ao observar a enorme semelhança de Babette com a ex-amante do General von Arenberg, oficial alemão responsável pela tal invasão, o major Fitzpatrick, oficial da Inteligência britânica, a recruta para, após um período de treinamento intensivo, voltar à França acompanhada do Tenente Crécy com a missão de prepararem uma armadilha para o general e descobrirem seus planos.

Terminado o período de treinamento, os dois são lançados de pára-quedas sobre o solo francês. Entretanto, apesar de seus esforços, a missão não sai como planejado. Separada de seu parceiro, ela termina sendo contratada por Schulz, chefe da Gestapo, que por coincidência, também deseja tirar o General von Arenberg de seu caminho e descobre que Babette pode lhe ser útil ao monitorar os passos do general. Este, realmente, logo nota a presença da bela jovem que lhe faz evocar tantas lembranças de seu antigo amor. Os dois passam a sair juntos com uma certa frequência e, quando de um jantar em um albergue, Babette contribui de forma determinante para o sequestro do General pela Resistência.

De volta à Londres, enquanto seus superiores são condecorados, ela e o tenente Crécy tornam-se noivos e vão finalmente conhecer a felicidade.


imagem imagem imagem

Comentários

Realizada pelo cineasta Christian-Jaque, ‘’Babette vai à Guerra’’ não chega a ser uma grande comédia. Eu diria que se trata de um filme sem maiores pretensões, o primeiro francês a tratar a 2ª Guerra Mundial em tom de comédia.

A direção de Christian-Jaque não apresenta nada de excepcional. Acredito que tenha faltado ao filme um pouco mais de dinamismo. De qualquer forma, vale a pena vê-lo, aproveitando a ocasião para curtir um pouco a interessante canção de Gilbert Bécaud, ‘’La marche de Babette’’.

No elenco, em seu uniforme militar, Brigitte rompe com sua imagem de ‘’femme-fatale’’. Sua atuação é razoavelmente boa, mas o grande destaque fica para o ator Francis Blanche no papel de Chefe da Gestapo.

CAA