Filmes por gênero

CRIMES DA ALMA (1950)

Cronaca di un amore
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Escândalo de amor (Portugal)
Chronique d'un amour (França, Bélgica)
Crónica de un amor (Espanha, Argentina)
Story of a Love Affair (Estados Unidos)
Chronicle of a love (Reino Unido)
Chronik einer Liebe (Alemanha)
En kärlekskrönika (Suécia)
Kronika pewnej milosci (Polônia)
Хроника одной любви (União Soviética)
Pais: Itália
Gênero: Drama, Crime, Romance
Direção: Michelangelo Antonioni
Roteiro: Michelangelo Antonioni, Daniele D'Anza, Piero Tellini e outros
Produção: Franco Villani
Design Produção: Piero Filippone
Música Original: Giovanni Fusco
Fotografia: Enzo Serafin
Edição: Eraldo Da Roma
Figurino: Ferdinando Sarmi
Maquiagem: Libero Politi
Efeitos Visuais: Stefano Ballirano, Stefano Camberini, Pablo M. Picabea
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Lucia Bosé Paola Molon Fontana
Massimo Girotti Guido Garroni
Ferdinando Sarmi Enrico Fontana
Gino Rossi Carloni, o detetive
Marika Rowsky Joy, a modelo
Rubi D'Alma Amiga de Paola
Vittoria Mondello Matilde
Franco Fabrizi Apresentador do Show de Modas
Rosi Mirafiore Empregada do Bar
Gino Cervi .
Anita Farra .
Renato Burrini .
Vittorio Manfrino .

Prêmios

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata Especial (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Trilha Sonora (Giovanni Fusco)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em uma agência de detetives de Milão, Carloni examina fotografias de uma jovem e atraente mulher, Paola Molon, fornecidas pelo seu marido, Enrico Fontana, um rico industrial. Eles se casaram sete anos atrás, pouco depois de se conhecerem. A recente descoberta dessas fotografias, por parte de Fontana, fez com que ele contratasse Carloni para descobrir o que puder sobre a vida de Paola antes do casamento. Assim, o detetive viaja para a cidade de Ferrara, onde Paola passou grande parte de sua juventude.

Ao chegar lá, ele descobre que ela era a melhor amiga de duas jovens da cidade. Ele vai ao apartamento de uma delas, Matilde, onde seu marido informa que Giovanna Carlini, amiga de Paola e Matilde, morrera em um trágico acidente em um elevador que caiu poucos dias antes de seu casamento com Guido Garroni, um jovem local com quem Paola também esteve envolvida. Pouco depois, quando Matilde retorna para casa, ela se recusa a cooperar com Carloni. Depois que o detetive vai embora, Matilde escreve uma carta para Guido, alertando-o para o fato de um homem suspeito estar investigando o passado de Paola.

De volta à Milão, quando Paola sai do Teatro Scala, vestida com um casaco de pele, ao lado do marido e de amigos, ela se assusta ao ver Guido em pé, em frente à rua. Mais tarde, ela recebe um telefonema dele e eles concordam em se encontrar no dia seguinte. Como combinado, eles se encontram no Lago Idroscalo, onde Guido, que agora é traficante de carros, compartilha a carta de Matilde para Paola. O pensamento de que alguém esteja vasculhando seu passado assusta Paola, fazendo-a pensar que, talvez, Matilde esteja tentando extorquir algum dinheiro dela. Com sua antiga atração reavivada, os dois concordam em se encontra de novo.

Enquanto isso, a investigação de Carloni se intensifica ao descobrir mais informações sobre o misterioso acidente no elevador, o súbito desaparecimento de Paola e o papel de Guido em tudo isso. Ele descobre, através da empregada de Giovanna, que Paola e Guido estavam com Giovanna quando ela morreu e que eles não gritaram nem se apressaram para ver se ela ainda estava viva. Ele também descobre que Paola deixou Ferrara dois dias após o acidente e que conheceu seu futuro marido pouco depois em Milão, nunca citando a morte de sua amiga.

Nos dias que se seguem, os dois voltam a se encontrar com frequência, inclusive em quartos alugados. Para ajudá-lo a ganhar dinheiro, Paola providencia para que ele seja intermediário em uma venda de carro. À medida que os dias passam, a frustração de Paola em relação ao seu casamento só faz aumentar, chegando ao ponto dela sugerir a Guido que a morte de seu marido só iria beneficiar os dois. Inicialmente, Guido repele a sugestão, mas termina influenciado pela manipulação emocional de Paola. Assim, eles se encontram em uma ponte deserta que Fontana costuma atravessar em seu caminho para casa. A ideia de Guido é de atirar nele quando ele se aproximar da tal ponte.

Por outro lado, pressionado para completar sua investigação, o mais breve possível, Carloni escreve sobre as circunstâncias suspeitas que envolveram a morte da amiga de Paola, e submete o relatório à apreciação de Fontana. Este, insensível às colocações apresentadas no relatório, entra em seu carro e se dirige para casa. No entanto, antes de chegar à ponte em que Guido o espera, Fontana se vê envolvido num acidente automobilístico, em que seu carro termina sendo envolvido por altas chamas, causando sua morte.

Mais tarde, quando a polícia chega à sua casa para informá-la sobre o acidente, Paola foge por acreditar que os policiais vieram para prendê-la. Ao encontrar-se com Guido, este a informa sobre a morte de Fontana, salientando que ele não teve qualquer participação no ocorrido. Depois que Paola reitera seu amor por ele, Guido pega um táxi e orienta o motorista para levá-lo à estação ferroviária.

imagem