Filmes por gênero

A MALVADA (1950)

All about Eve
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Eva (Portugal)
Ève (França, Bélgica)
Eva contro Eva (Itália)
Eva al desnudo (Espanha)
La malvada (Argentina, México, Peru)
Hablemos de Eva (Venezuela)
Alles über Eva (Alemanha)
Allt om Eva (Suécia)
Wszystko o Ewie (Polônia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Joseph L. Mankiewicz
Roteiro: Joseph L. Mankiewicz
Produção: Darryl F. Zanuck
Música Original: Alfred Newman
Música Não Original: Franz Liszt
Fotografia: Milton R. Krasner
Edição: Barbara McLean
Direção de Arte: George W. Davis, Lyle R. Wheeler
Figurino: Edith Head
Guarda-Roupa: Charles Le Maire, Edith Head
Maquiagem: Ben Nye, Gladys Witten
Efeitos Sonoros: Roger Heman, W. D. Flick
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 9.7
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Anne Baxter Eve Harrington
Bette Davis Margo Channing
Walter Hampden Mestre de Cerimônias
Thelma Ritter Birdie Coonan
Hugh Marlowe Lloyd Richards
Marilyn Monroe Srta. Caswell
Barbara Bates Phoebe
Gregory Ratoff Max Fabian
Celeste Holm Karen Richards
Gary Merrill Bill Sampson
George Sanders Addison DeWitt
Eugene Borden Francês na Festa de Margo
Claude Stroud Pianista na Festa de Margo
Barbara White Jovem à procura de autógrafo
Ed Fisher Gerente de Palco
Helen Mowery Repórter
Leland Harris Porteiro

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Joseph L. Mankiewicz)

Oscar de Melhor Filme (Darryl F. Zanuck)

Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Edith Head, Charles Le Maire)

Oscar de Melhor Gravação de Som (Thomas T. Moulton )

Oscar de Melhor Roteiro (Joseph L. Mankiewicz)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (George Sanders)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (Estados Unidos)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmio de Melhor Atriz (Bette Davis)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Atriz (Bette Davis)

Prêmio Especial do Júri (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Americano (Joseph L. Mankiewicz)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Atriz Estrangeira (Bette Davis)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Joseph L. Mankiewicz)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de uma Comédia Americana (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmio Kinema Junpo, Tóquio, Japão

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmios PGA, Los Angeles, Califórnia, USA

Prêmio PGA Hall of Fame - Cinema

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Anne Baxter)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Alfred Newman)

Oscar de Melhor Atriz (Bette Davis)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Celeste Holm)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Thelma Ritter)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Milton R. Krasner)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Lyle R. Wheeler, George Davis, Walter Scott, Thomas Little)

Oscar de Melhor Edição (Barbara McLean)

Festival Internacional de Cannes, França

Grand Prix do Festival (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Joseph L. Mankiewicz)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Bette Davis)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (George Sanders)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Thelma Ritter)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

A elite do teatro encontra-se reunida, em Nova York, para a cerimônia anual de entrega dos troféus Sarah Siddon aos que se destacaram em suas áreas.  Entre os presentes, encontram-se Addison DeWitt, um conceituado crítico teatral, Karen Richards, esposa do dramaturgo Lloyd Richards, Max Fabian, um produtor de peças teatrais, Margo Channing, uma famosa atriz de meia-idade, e Eve Harrington, a mais jovem atriz que será agraciada com o referido troféu.

Em 'flashbacks', Karen relembra que Eve se aproximou do teatro como uma fã da mega-estrela da Broadway, Margo, não faltando a uma de suas apresentações e esperando sempre para vê-la chegar e sair do teatro.  Na época, Margo estrelava a peça 'Aged in Wood', produzida por Fabian e dirigida por seu namorado, Bill Sampson.

Certa noite, após uma das apresentações, Karen pede à Margo que conheça uma das suas mais ardorosas fãs.  E, assim, Eve conquista a simpatia de Margo, que a leva para sua casa como sua secretária particular.  O que Margo não esperava era que sua protegida, aparentemente inocente, viesse a se mostrar uma pessoa extremamente astuciosa e ambiciosa.  

Birdie, sua camareira de língua ferina, sente o cheiro de problemas no ar e alerta Margo de que Eve não é a pessoa que parece ser.  A simpatia de Margo por Eve vai se transformando, aos poucos, em hostilidade.  Finalmente, ela resolve pedir a Fabian que consiga um trabalho para Eve em seu escritório.

Eve, em seus planos ambiciosos para chegar ao estrelato, resolve usar a influência de Karen.  Esta, simpatizando com a moça, decide criar as condições para colocá-la como substituta de Margo.  Assim, após um final de semana fora de Nova York, Margo perde o trem de volta e não consegue chegar a tempo ao teatro.  Tal fato permite à Eve subir ao palco no lugar de Margo pela primeira vez.  Na manhã seguinte, as manchetes dos jornais destacam a magnífica estréia de Eve, como substituta de Margo.  Em entrevista, Eve critica atrizes de meia-idade que atuam em papéis tipicamente de pessoas mais jovens.  Tais fatos irritam profundamente Margo.  

Em seu apartamento com Karen, Lloyd culpa Addison de estar por trás das ambições de Eve.  Mais tarde, os dois casais (Margo e Bill, e Karen e Lloyd) se encontram para uma celebração especial: o casamento, no dia seguinte, de Bill e Margo.  Margo retira-se das intrigas do palco em favor do seu casamento.

Continuando com seus planos maquiavélicos, Eve parte para roubar o marido de Karen, Lloyd, de modo a ter o dramaturgo de maior sucesso da América escrevendo peças especialmente para ela.  

Addison DeWitt percebe claramente as manipulações de Eve.  Assim, desejoso de tê-la como sua amante, o elegante crítico investiga seu passado e decide enfrentá-la.  Num dramático confronto, ele põe abaixo tudo o que ela havia dito ao entrar para o seleto mundo teatral de Nova York, ao afirmar:  "Em primeiro lugar, seu nome não é Eve Harrington e sim, Gertrude Slescynski; seus pais são pobres e não têm notícias suas há três anos;  você recebeu US$ 500 para deixar a cidade, onde trabalhava numa cervejaria, após um rumoroso envolvimento com o seu chefe".  Arrasada, ela concorda com suas pretensões, verificando que se tornou vítima de suas próprias armadilhas.

O filme volta à cerimônia de premiação, onde Eve acaba de receber o troféu Sarah Siddon de melhor atriz.  Depois da cerimônia, Margo a cumprimenta.

Ao regressar para seu apartamento, cansada, Eve encontra, esperando-a, uma bela adolescente chamada Phoebe, presidente de um fã-clube do Brooklyn.  Sua primeira reação é a de chamar a polícia, mas lisonjeada, ela vê, na jovem, a Eve que vivia a seguir Margo...

imagem

Comentários

"A Malvada" é, sem dúvida, um dos grandes filmes de todos os tempos.  A história é muito boa, o roteiro e a direção de Mankiewicz são excelentes e o elenco é de primeiríssima qualidade.  A música de Alfred Newman também merece destaque.

A interpretação de Bette Davis, como Margo Channing, é considerada pela maioria dos críticos de cinema como uma das melhores de sua carreira.  Anne Baxter, como a obsessiva fã de Margo, está soberba.  A maioria dos outros atores e atrizes também está muito bem, com destaques para George Sanders, Celeste Holm e Thelma Ritter.  Marilyn Monroe, em seu sexto filme, tem um pequeno papel como a Srta. Caswell, uma aspirante à atriz.

Indicado a 14 Oscars, "A Malvada" foi contemplado com seis, entre os quais os de melhor filme, melhor roteiro e melhor direção.

CAA