Filmes por gênero

RANCOR (1947)

Crossfire
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Encruzilhada (Portugal)
Feux croisés (França)
Encrucijada de odios (Espanha)
Odio implacabile (Itália)
Im kreuzfeuer (Alemanha)
Hämnden är rättvis (Suécia)
Blindt had (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Filme Noir, Crime
Direção: Edward Dmytryk
Roteiro: John Paxton
Produção: Adrian Scott
Música Original: Roy Webb
Direção Musical: C. Bakaleinikoff
Fotografia: J. Roy Hunt
Edição: Harry Gerstad
Direção de Arte: Albert D'Agostino, Alfred Herman
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: John Tribby, Clem Portman
Efeitos Especiais: Russell Cully
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1949

Elenco

Robert Ryan Montgomery
Robert Young Capitão Finlay
Robert Mitchum Sargento Felix Keeley
Gloria Grahame Ginny Tremaine
Paul Kelly Sr. Tremaine
Sam Levene Joseph Samuels
Jacqueline White Mary Mitchell
Steve Brodie Floyd Bowers
George Cooper Cabo Arthur Mitchell
Richard Benedict Bill Williams
Tom Keene Dick, detetive
William Phipps Leroy
Lex Barker Harry
George Meader Cirurgião da Polícia
Robert Bray Soldado da PM
Philip Morris Sgt. da Polícia
Marlo Dwyer Srta. Lewis
Don Cadell Soldado da PM
Kenneth MacDonald Major
Bill Nind Garçom

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Filme Social (Edward Dmytryk)

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (Edward Dmytryk, Dore Schary, John Paxton, Adrian Scott)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Roteiro (John Paxton)

Oscar de Melhor Direção (Edward Dmytryk)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Robert Ryan)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Gloria Grahame)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Edward Dmytryk)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Num escuro apartamento em Washington, dois homens batem fortemente num terceiro até a morte.  Pouco tempo depois, o Capt. Finlay da polícia, que tinha sido chamado à cena do crime, interroga a Srta. Lewis, a mulher que descobrira o corpo. Esta lhe diz que horas antes estivera em um Bar com a vítima, Joseph Samuels, em companhia de três soldados recentemente liberados do exército, um dos quais foi convidado por Samuels para ir até o apartamento deste.

A Srta. Lewis informa ainda que deixara Samuels em companhia dos soldados e que só voltou a procurá-lo quando este deixou de atender a seus telefonemas. Ao voltar ao apartamento de Samuels, encontrou o Sgt. Montgomery à procura do Cabo Arthur Mitchell. Montgomery lhe disse que ele e um outro amigo, Floyd Bowers, encontravam-se com Mitchell no apartamento de Samuels, quando este saiu de repente, prometendo voltar logo depois. Ao encontrar a carteira de Mitchell no apartamento, Finlay determina que o encontrem, bem como, traz seu melhor amigo, Sgt. Felix Keeley, para a interrogação.

Acreditando na inocência do amigo, Keeley diz a Finlay que Mitchell, um pintor, vem sofrendo de uma depressão pós-guerra, além de se achar separado de sua esposa, Mary.  Ao ser reinquirido, Montgomery repete que, após acompanhar Mitchell até o apartamento de Samuels, ele e Bowers deixaram o local logo após a repentina saída de Mitchell.

Com ajuda dos amigos, o cabo consegue fugir até um cinema com Keeley, ocasião em que lhe conta sua versão sobre o ocorrido: Logo depois de chegar ao apartamento com Samuels, Montgomery irrompeu no local com Floyd e iniciou uma luta contra Samuels. Sentindo-se mal, ele deixou o apartamento e se encontrou com uma simpática táxi-girl, Ginny Tremaine. Pouco depois, voltou ao hotel.

No cinema, Keeley diz a Mitchell que Mary encontra-se na cidade ansiosa para vê-lo, bem como, que Floyd foi encontrado em Maryland. Antes que a polícia consiga interrogar o nervoso Floyd, este concorda em ratificar as informações prestadas por Montgomery e promete não falar a ninguém sobre o incidente.

Quando Keeley e outro soldado, Bill Williams, batem à porta, Montgomery esconde-se e ouve quando Floyd revela que havia chamado seu amigo Leroy, o qual esteve ligeiramente no Bar com Mitchell e Samuels. Quando Keeler e Bill deixam o local, um furioso Montgomery ataca Floyd e o estrangula.

Mais tarde, Finlay interroga Keeley sobre o assassinato de Floyd, ocasião em que toma conhecimento a respeito de Ginny. A seguir, Keeley encontra-se com Mary e a faz ir até o cinema onde Mitchell continua escondido.  Depois de se encontrar com o marido, Mary se oferece a ir até o apartamento de Ginny, com Finlay.  Lá, infelizmente, não conseguem um álibi convincente para Mitchell.

Frustrado, Finlay reinterroga Montgomery que, inadvertidamente, se posiciona como o assassino ao expor todo o ódio que sente pelos judeus. Após um inflamado discurso contra os males do anti-semitismo, Finlay convence o inseguro Leroy, que havia sido convencido por Keeley a participar de uma trama para apanhar Montgomery.

Assim, este vai ao encontro dele, a quem diz que acabou de falar com Floyd e que o mesmo está a chantageá-lo. Depois que Leroy lhe dá o endereço onde encontrar Floyd, citando o prédio correto mas o nº do apartamento errado, Montgomery corre até lá. Ao entrar no apartamento de Floyd, depara-se com Finlay que calmamente enfatiza que a única forma dele ter entrado no verdadeiro apartamento de Floyd, era se ele já estivesse estado ali antes. Apavorado, Montgomery sai correndo do edifício, sendo mortalmente alvejado na rua por Finlay.

imagem

Comentários

Baseado no livro "The Brick Foxhole" de Richard Brooks, "Rancor" é um ótimo filme-noir do final da década de 40.  Realizado pelo grande cineasta Edward Dmytryk, sua trama gira em torno das investigações destinadas a desvendar um assassinato e, principalmente, os motivos que levaram ao mesmo.

Partindo de um roteiro muito bem construído por John Paxton, Dmytryk usa com perfeição as técnicas que caracterizam os filmes-noirs, resultando numa obra envolvente. Logo no início, ele já deixa seu recado ao apresentar a seqüência do assassinato de Samuels, utilizando-se de jogos de luz e de efeitos de sombras para ilustrar o crime cometido.  Por outro lado, procura construir um retrato cínico de uma sociedade que se diz liberal, mas que se mostra interiormente marcada pela intolerância e pelo preconceito.

A história é contada através de uma série de flashbacks, de diferentes pontos de vista. A fotografia em preto-e-branco de J.Roy Hunt merece ser destacada, assim como, o trabalho de edição. No elenco, notamos as presenças de duas figuras femininas bastante conhecidas dos filmes-noirs: Gloria Grahame, indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu trabalho como a táxi-girl, e Jacqueline White. Robert Ryan, como o psicopata, também recebeu indicação ao Oscar como Melhor Ator Coadjuvante.

CAA