Filmes por gênero

A ÉPOCA DA INOCÊNCIA (1993)

The age of innocence
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A Idade da Inocência (Portugal)
La edad de la inocencia (Espanha, México)
Le temps de l'innocence (França)
L'età dell'innocenza (Itália)
Zeit der unschuld (Alemanha)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Martin Scorsese
Roteiro: Jay Cocks, Martin Scorsese
Produção: Barbara De Fina
Design Produção: Dante Ferretti
Música Original: Elmer Bernstein
Fotografia: Michael Ballhaus
Edição: Thelma Schoonmaker
Direção de Arte: Speed Hopkins
Figurino: Gabriella Pescucci
Guarda-Roupa: Hartsell Taylor, Michael Adkins, Deirdre Williams e outros
Maquiagem: Allen Weisinger, Ronnie Specter, Manlio Rocchetti e outros
Efeitos Sonoros: Skip Lievsay, Frank Kern, Eugene Gearty e outros
Efeitos Especiais: John Ottesen, Ron Ottesen, Mike Maggi
Efeitos Visuais: Bill Taylor, Catherine Sudolcan, Mark Sawicki e outros
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1994

Elenco

Daniel Day-Lewis Newland Archer
Michelle Pfeiffer Condessa Ellen Olenska
Winona Ryder May Welland
Richard E. Grant Larry Lefferts
Miriam Margolyes Sra. Mingott
Siân Phillips Sra. Archer
Patricia Dunnock Mary Archer
Geraldine Chaplin Sra. Welland
Robert Sean Leonard Ted Archer
Carolyn Farina Janey Archer
Alec McCowen Sillerton Jackson
Mary Beth Hurt Regina Beaufort
Stuart Wilson Julius Beaufort
Jonathan Pryce Rivière
Michael Gough Henry van der Luyden
Alexis Smith Louisa van der Luyden
Norman Lloyd Sr. Letterblair
Tracey Ellis Gertrude Lefferts
Martin Scorsese Fotógrafo
Brian Davies Philip
Linda Faye Farkas Cantora de Ópera
Michael Rees Davis Cantor de Ópera

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino (Gabriella Pescucci )

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Winona Ryder)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Miriam Margolyes)

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Americano (Martin Scorsese)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Elvira Notari (Martin Scorsese, Michelle Pfeiffer)

Fotogramas de Plata, Madrid, Espanha

Fotogramas de Plata de Melhor Filme Estrangeiro (Martin Scorsese)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Design de Produção (Dante Ferretti )

Prêmio Fita de Prata de Melhor Figurino (Gabriella Pescucci )

Prêmios Júpiter, Alemanha

Prêmio Júpiter de Melhor Atriz Internacional (Winona Ryder)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Winona Ryder)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Martin Scorsese, Jay Cocks )

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Dante Ferretti, Robert J. Franco)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Elmer Bernstein)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Michelle Pfeiffer)

Prêmio de Melhor Direção (Martin Scorsese)

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Winona Ryder)

Prêmio de Melhor Fotografia (Michael Ballhaus)

Prêmio de Melhor Design de Produção (Dante Ferretti)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Winona Ryder)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Atriz Estrangeira (Michelle Pfeiffer)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Martin Scorsese)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Composição Instrumental escrita para o Cinema ou Televisão (Elmer Bernstein)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Prêmio de Melhor Design de Produção (Dante Ferretti )

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Fotografia (Michael Ballhaus )

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Michael Ballhaus)

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Winona Ryder)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Nova York, por volta de 1870, Newland Archer, um jovem advogado descendente de uma família tradicional, acha-se comprometido com May Welland, também oriunda de uma das linhagens americanas mais importantes. Ele foi educado segundo as convenções dessa sociedade e sabe perfeitamente como agir e se portar nela. May não tem essa consciência, mas também aceita todas as convenções, mantendo-se aparentemente à margem das intrigas e maledicências alheias.

A tranquilidade do casal muda quando um antigo amor de infância de Newland e prima de May, a bela condessa Ellen Olenska, retorna da Europa com a pretensão de se divorciar de seu abusivo marido, um conde polonês que se casara por conta de sua fortuna, principalmente depois de rever Newland. Apesar da situação social delicada, Ellen é apoiada pela influente e rica família.

Newland é indicado como o advogado para cuidar do divórcio, mas aconselha Ellen a desistir do processo, alertando-a sobre o escândalo que afetaria sua família. Por outro lado, ele começa a apreciar seus pontos de vista não convencionais em relação à sociedade de Nova York e, por consequência, a se mostrar desiludido em relação à sua noiva May, por sua inocência e falta de opinião pessoal. Entretanto, ele se sente compelido a agir em nome da família e a persuadir a condessa a permanecer casada. Em seguida, ao perceber que está voltando a se apaixonar por ela, ele larga tudo e viaja no dia seguinte para se reunir com May e seus pais, que se acham em férias na Flórida. Ao se encontrar com a noiva, ele sugere que os dois antecipem seu casamento, o que a deixa preocupada por não saber o que está por trás dessa pressa inesperada.

De volta à Nova York, no entanto, Newland telefona para a condessa e admite que se acha apaixonado por ela. Logo em seguida, ele recebe um telegrama de May informando-lhe que seus pais já combinaram a data do casamento deles. Depois que se casam e voltam da lua-de-mel, Newland e May se instalam em Nova York. Com o passar do tempo, ele se esquece completamente da condessa. No entanto, quando ela retorna da Europa para cuidar de sua avó, ela e Newland concordam em consumar seu affair. Mas, de repente, Ellen anuncia sua intenção de regressar à Europa. May dá uma festa de despedida para a condessa, e depois que os convidados vão embora, ela anuncia ao marido que se acha grávida e que, duas semanas antes, havia comentado tal fato com a condessa.

Os anos passam. Newland, agora com 57 anos, tem sido um pai amoroso e um marido fiel. O casal teve três filhos. Quando May morre de pneumonia infecciosa, ele lamenta profundamente tamanha perda. Seu filho Ted o convence a viajar para a França. Uma vez em Paris, Ted agenda uma visita à condessa, que seu pai não via há mais de 25 anos. No entanto, ao chegarem defronte a seu apartamento, Newland pede ao filho que entre sozinho. Do lado de fora, ele pensa no tempo em que estiveram juntos e, em seguida, vai embora.

imagem

Comentários

Adaptação do romance homônimo de Edith Wharton, “A Época da Inocência” é um ótimo filme do cinema americano do início da década de 1990. Realizado pelo grande cineasta Martin Scorsese, sua trama descreve os costumes da aristocracia nova-iorquina do final do século XIX, com suas tradições e maneiras de viver.

Além do roteiro, Scorsese nos faz mergulhar em seu fascínio por essa época através dos cenários, figurinos e acessórios como joias, móveis, pratarias, etc.

No elenco, Daniel Day-Lewis e a magnífica Michelle Pfeiffer, no papel de uma ‘’femme fatale’’, dão à obra uma classe e um refinamento sem precedentes.

CAA