Filmes por gênero

FANFAN LA TULIPE (1952)

Fanfan la Tulipe
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: As aventuras de Fanfan la Tulipe (Portugal)
Fanfán el invencible (Espanha)
Fanfan, der Husar (Austria, Alemanha)
Fearless little soldier (Reino Unido)
Fan-Fan the Tulip (Estados Unidos)
Den gyllene tulpanen (Suécia)
Fanfan, Ridderen af tulipanen (Dinamarca)
Фанфан-Тюльпан (União Soviética)
Pais: França, Itália
Gênero: Aventura, Comédia
Direção: Christian-Jaque
Roteiro: René Wheeler, René Fallet
Produção: Alexandre Mnouchkine
Design Produção: Robert Gys
Música Original: Georges Van Parys, Maurice Thiriet
Fotografia: Christian Matras
Edição: Jacques Desagneaux
Figurino: Marcel Escoffier
Guarda-Roupa: Jean Fay
Maquiagem: Carmen Brel
Efeitos Sonoros: Guy Villette, Lucien Lacharmoise
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Gérard Philipe Fanfan La Tulipe
Gina Lollobrigida Adeline La Franchise
Marcel Herrand Louis XV
Henri Rollan Maréchal d'Estrée
Nerio Bernardi La Franchise
Geneviève Page Marquesa de Pompadour
Jean-Marc Tennberg Lebel
Sylvie Pelayo Henriette de France
Noël Roquevert Marechal Fier-à-Bras
Olivier Hussenot Tranche-Montagne
Lolita De Silva Dama de Honra
Irène Young Marion
Georgette Anys Madame Tranche-Montagne
Hennery Guillot
Lucien Callamand Marechal de Brandebourg
Jean Parédès Capitão da Houlette
Gil Delamare Soldado
Jackie Blanchot Soldado
Joé Davray Soldado
Gérard Buhr Soldado

Prêmios

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Prata de Melhor Direção (Christian-Jaque)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Direção (Christian-Jaque)

Indicações

Festival Internacional de Cannes, França

Grand Prix do Festival (Christian-Jaque)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Para escapar do casamento com uma filha de camponeses, Fanfan foge de Paris e entra para o exército francês, depois que Adeline, uma vidente, prevê uma carreira brilhante e até mesmo seu casamento com Henriette, filha do rei Louis XV da França. Mas, após assinar seu compromisso com o exército, ele descobre que Adeline é filha do sargento-recrutador, La Franchise, e que a mesma "previsão" ela já havia feito para muitos outros jovens recrutados por seu pai. Mesmo assim, ele jura que fará cumprir a previsão.

Certo dia, ele salva a vida da Marquesa de Pompadour, amante do rei, quando ela é atacada por ladrões da estrada após um acidente. Em gratidão, ela lhe presenteia com um broche em forma de tulipa e ele recebe a alcunha de “Fanfan La Tulipe”.

Dias mais tarde, no entanto, ao desejar fazer uma visita à Henriette e penetrar em seu castelo, ele é preso e condenado à morte. Ao tomar conhecimento do ocorrido, Adeline procura o rei, a quem pede clemência, sendo por ele atendida na esperança de receber favores em contrapartida. Pouco tempo depois, no entanto, ela é sequestrada e Fanfan, juntamente com um amigo, lançam-se em perseguição aos criminosos e chegam, por acaso, ao quartel general inimigo, onde terminam capturando seus generais.

Quando o rei descobre o ocorrido, ele fica inicialmente desapontado, porque em sua opinião, uma vitória não pode ser concebida sem grandes perdas, mas se consola dizendo que ficará para a próxima vez. Em gratidão, Fanfan é perdoado e recebe o direito de se casar com Adeline, que se torna a filha adotiva do rei.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Christian-Jaque, a partir de um roteiro escrito por René Wheeler e René Fallet, “Fanfan La Tulipe” é um ótimo filme de capa e espada realizado pelo cinema francês em 1952. Sua trama é marcada por boas doses de ação, heroísmo e muito bom humor.

A direção de Christian-Jaque é consistentemente boa, apresentando um ótimo ritmo do início ao fim. Os diálogos são inteligentes, dentro de um roteiro muito bem estruturado. Merece ainda ser destacada a bela fotografia a cargo de Christian Matras.

No elenco, Gérard Philipe brilha no papel principal com uma atuação simplesmente excepcional, seguido pelas ótimas atuações de Gina Lollobrigida  e Noël Roquevert.

CAA