Filmes por gênero

ESSE LOUCO, LOUCO AMOR (1969)

Le grand amour
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O grande amor (Portugal)
No no no con tua madre non ci sto (Itália)
El gran amor (Espanha)
The great love (USA)
Wahre Liebe rostet nicht (Alemanha)
Den stora kärleken (Suécia)
Den store kjærligheten (Noruega)
Wielka milosc (Polônia)
Pais: França
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Pierre Étaix
Roteiro: Pierre Étaix, Jean-Claude Carrière
Produção: Paul Claudon
Design Produção: Daniel Louradour
Música Original: Claude Stieremans
Fotografia: Jean Boffety
Edição: Henri Lanoë
Figurino: Daniel Louradour
Maquiagem: Irène Servet
Efeitos Sonoros: Jean Bertrand, Jean Nény, Michel Leroy, P. Millet
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1970

Elenco

Pierre Étaix Pierre
Annie Fratellini Florence
Nicole Calfan Agnès
Alain Janey Jacques
Ketty France Mme. Girard
Louis Maiss Sr. Girard
Jacqueline Rouillard Mme. Louise
Renée Gardès Uma comadre
Claude Massot Garçom do Café
Jean-Pierre Elga Sr. Bourget
Micha Bayard Secretária do Sr. Bourget
Marie Marc Avó de Florence
Magali Clément Irène
Mad Letty Madre Superiora
Josette Poirier Thérèse
Ralph Zavatta Homem suiço

Indicações

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Pierre Étaix)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Quando da cerimônia de casamento que vai unir Pierre à Florence, o futuro esposo relembra os acontecimentos que o levaram até aquela igreja. Assim, ele se recorda de sua juventude, de duas amigas que sempre estavam com ele e de seu primeiro encontro com Florence.

Ele logo se habituou a sair frequentemente com ela. Pouco tempo depois, já se achava literalmente adotado por sua família, tanto pela mãe burguesa sempre de bem com a vida, quanto pelo pai, tão orgulhoso de sua pequena usina de curtir couros.

Uma vez casados, Pierre assume um importante cargo na direção da usina de seu sogro. Sua vida é tranquila entre os jantares com a sogra, as noites diante da televisão, as assinaturas de cartas e cheques que constituem uma grande parte de seu trabalho. Enfim, ele vive uma felicidade quase sem nuvens. É aqui, sem dúvida, onde o sapato aperta. Essa ausência de nuvens não tardará a pesar fortemente sobre o clima conjugal de Pierre e Florence.

No dia em que uma velha secretária da usina é substituída por uma atraente jovem de minissaia é, para Pierre, uma revelação. Ele sente que se acha inteiramente apaixonado pela nova secretária. Em pouco tempo,  passa a pensar somente nela.

Quando Florence vai passar uns dias na Itália, Pierre convida a secretária para irem a um luxuoso restaurante. Mas a diferença de idade é tal que, ao conversar com  ela, ele se sente um velho. Ao saírem do restaurante, ele a acompanha até a casa dela, quando lhe diz: “Eu não a amo”.

No dia do retorno de sua mulher, ao esperá-la na plataforma da estação ferroviária, ele está absolutamente seguro que, daquele momento em diante, Florence ocupará todos os seus pensamentos.

imagem imagem imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Pierre Étaix, ‘’Esse Louco, Louco Amor’’ é uma deliciosa comédia romântica do cinema francês. Trata-se de seu primeiro filme a cores e, sem dúvida, o mais poético, o melhor.

Como sempre, seu humor é delicado, sutil, inventivo como nas cenas em que ele, em sua cama, deixa seu quarto e sai pelas estradas à procura de novos encontros.

Na direção, ele se mantém seguro ao longo de todo o filme, mantendo um ritmo uniforme ao longo de toda a projeção. Além disso, ele co-assina o roteiro e interpreta o papel principal ao lado de sua mulher, Annie Fratellini.

CAA