Filmes por gênero

NÚPCIAS REAIS (1951)

Royal wedding
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Casamento real (Portugal)
Mariage royal (França, Bélgica, Canadá)
Bodas reales (Espanha)
Boda real (México, Venezuela)
Sua altezza si sposa (Itália)
Königliche Hochzeit (Austria, Alemanha)
Wedding Bells (Reino Unido)
Kungligt bröllop (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Musical
Direção: Stanley Donen
Roteiro: Alan Jay Lerner
Produção: Arthur Freed
Música Original: Burton Lane, Albert Sendrey
Direção Musical: Johnny Green
Fotografia: Robert H. Planck
Edição: Albert Akst
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Jack Martin Smith
Maquiagem: William Tuttle, Sydney Guilaroff
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Efeitos Especiais: Warren Newcombe
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Fred Astaire Tom Bowen
Jane Powell Ellen Bowen
Peter Lawford Lord John Brindale
Sarah Churchill Anne Ashmond
Keenan Wynn Irving Klinger / Edgar Klinger
Albert Sharpe James Ashmond
Francis Bethencourt Charles Gordon
Wilson Benge Eddie
John R. Reilly Pete Cumberly
John Hedloe Billy
William Cabanne Dick
James Fairfax Harry
Kerry O'Day Linda
Viola Roache Sarah Ashmond
Pat Williams Barbara
Alex Frazer Chester
Mae Clarke Telefonista
Margaret Bert Empregada de Ellen
Lucille Lamarr Dançarina
Virginia Lee Dançarina
Janet Lavis Dançarina
Judy Lenson Dançarina

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Canção Original (Burton Lane, Alan Jay Lerner)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Ao final de uma vitoriosa temporada na Broadway, com o show “Every Night at Seven”, os irmãos Tom e Ellen Bowen tomam conhecimento, através de seu agente, Irving Klinger, que o show foi reservado pelo irmão deles, Edgar, que reside em Londres, para uma temporada no Teatro Mayfair durante as festividades programadas em comemoração ao casamento da princesa Elizabeth. Alguns dias depois, os irmãos embarcam em um transatlântico para a Inglaterra, ocasião em que Ellen chama a atenção de Lord John Brindale, um inveterado conquistador que pisca o olho para ela. Durante a viagem, os dois se divertem com suas similaridades e iniciam um romance.

Uma vez em Londres, Tom se apaixona por uma bailarina recém-contratada, Anne Ashmond. Ela lhe diz que, desde criança, amava dançar e às vezes se imaginava dançando no teto. Horas mais tarde, ela o leva até um pub gerenciado por seu pai, James Ashmond, que é facilmente conquistado pelo amigável Tom.

Anne admite a Tom que ela é noiva de um americano, Hal Rayton, que vive em Chicago, e os dois concordam em continuarem a sair juntos sem a pressão de um romance. Durante os ensaios, Ellen mantém uma promessa por ela feita ao irmão de não estar saindo à noite, apesar dele sair com Anne todos os dias. Na véspera da festa que antecede à estreia, Lord Brindale procura Ellen e Tom em seu hotel para dizer-lhes que pretende ir ao teatro no dia seguinte. No entanto, pouco antes da festa, Ellen fica de coração partido ao receber flores e um cartão dele, através do qual ele alega não poder comparecer por ter que ir a uma festa no palácio real. Por outro lado, Tom mostra-se igualmente decepcionado quando Anne, alegando que vai ficar em casa aguardando um telefonema de seu noivo, que não tem escrito há meses, não poderá igualmente comparecer à festa.

Concordando que o show é o mais importante, Tom e Ellen decidem ir juntos à festa. Na noite seguinte, o show é um sucesso, e Ellen fica muito feliz quando Lord Brindale deixa de comparecer ao palácio real para ficar com ela. Agora sozinho, Tom vai até o pub e toma conhecimento, através do pai de Anne, que o noivo americano dela não telefonou. Como James e sua esposa Sarah pretendem ver os presentes do casamento real no dia seguinte, Tom promete acompanhá-los. De volta ao hotel, ele olha para uma fotografia de Anne e se imagina dançando no teto. Enquanto isso, Ellen e Lord Brindale se mostram extremamente apaixonados, o que o leva a pedi-la em casamento.

Na manhã seguinte, quando Edgar traz os jornais para Ellen e Tom, este pede ao irmão para ligar para Irving, em Nova York, a fim de pedir para que ele procure obter qualquer informação sobre Hal Rayton. À noite, pouco antes do início do show, Edgar informa que Irving descobriu que Hal se casou meses atrás. Terminado o show, Tom informa Anne sobre o casamento de Hal e fica surpreso ao ver que ela se mostrou feliz com a notícia. Os dois admitem que se amam, mas quando ela lhe pergunta se ele quer se casar com ela, ele se recusa, dizendo que seria um fracasso como marido.

Na manhã do casamento real, Londres é pura alegria. Inspirados pelo júbilo da multidão, Tom e Ellen percebem que não podem ser felizes, a menos que se casem. Assim, decididos a se casarem imediatamente, os dois irmãos vão ao encontro de Anne e do Lord Brindale e, uma vez casados, de mãos dadas, os dois casais desfilam no meio de uma multidão de londrinos que festejam o casamento real.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Stanley Donen, a partir de um roteiro escrito por Alan Jay Lerner, “Núpcias Reais” é uma deliciosa comédia musical produzida pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1951.

Na direção, Donen nos brinda com um belo trabalho. Os números musicais executados por Jane Powell e, principalmente, por Fred Astaire, são maravilhosos. A fotografia a cores, a cargo de Robert Planck, é outro quesito que merece elogios.

Enfim, “Núpcias Reais” é um filme imperdível para todos aqueles que amam as inesquecíveis comédias musicais da Hollywood dos anos 1940/1950.

CAA