Filmes por gênero

O ÓDIO (1995)

La haine
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'odio (Itália)
La haine (Estados Unidos, Reino Unido)
El odio (Espanha, Argentina)
Hass (Alemanha)
Medan vi faller (Suécia)
Hadet (Dinamarca)
Haat (Holanda)
Nienawisc (Polônia)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Mathieu Kassovitz
Roteiro: Mathieu Kassovitz
Produção: Christophe Rossignon
Design Produção: Giuseppe Ponturo
Música Original: Assassin
Fotografia: Pierre Aïm
Edição: Mathieu Kassovitz, Scott Stevenson
Figurino: Virginie Montel
Maquiagem: Sophie Benaiche
Efeitos Sonoros: Dominique Dalmasso, Vincent Tulli, Nicolas Becker
Efeitos Visuais: Antoine Simkine, Rip Hampton O'Neil, Rodolphe Chabrier
Nota: 9.2
Filme Assistido em: 1996

Elenco

Vincent Cassel Vinz
Philippe Nahon Chefe de Polícia
Saïd Taghmaoui Saïd
Hubert Koundé Hubert
Abdel Ahmed Ghili Abdel
Mathieu Kassovitz Jovem skinhead
Edouard Montoute Darty
Benoît Magimel Benoît
François Levantal Astérix
Solo Santo
Héloïse Rauth Sarah
Rywka Wajsbro Avó de Vinz
Olga Abrego Tia de Vinz
Choukri Gabteni Irmão de Saïd
Sabrina Houicha Irmã de Saïd
Félicité Wouassi Mãe de Hubert
Fatou Thioune Irmã de Hubert
Medard Niang Médard
Mathilde Vitry Jornalista
Arash Mansour Arash
Laurent Labasse Cozinheiro

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Direção (Mathieu Kassovitz)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme (Mathieu Kassovitz)

César de Melhor Edição (Mathieu Kassovitz, Scott Stevenson )

César de Melhor Produtor (Christophe Rossignon)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme Europeu (Mathieu Kassovitz)

Círculo de Críticos de Cinema da Austrália

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmios Lumière, França

Prêmio Lumière de Melhor Filme (Mathieu Kassovitz)

Prêmio Lumière de Melhor Direção (Mathieu Kassovitz)

Indicações

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Mathieu Kassovitz)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Direção (Mathieu Kassovitz)

César de Melhor Som (Dominique Dalmasso, Vincent Tulli )

César de Melhor Roteiro (Mathieu Kassovitz)

César de Melhor Fotografia (Pierre Aïm )

César de Melhor Ator (Vincent Cassel)

César de Melhor Revelação Masculina (Vincent Cassel, Hubert Koundé, Saïd Taghmaoui)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O filme retrata cerca de 19 horas consecutivas na vida de três amigos de vinte e poucos anos,  filhos de imigrantes que vivem em uma região pobre nos subúrbios de Paris, logo após a ocorrência de um motim: Vinz, que é judeu, está sempre de mau humor. Ele se vê como um gângster pronto para ganhar o respeito da comunidade por matar um policial. Hubert é um boxeador afro-francês e, nas horas vagas, comerciante de drogas, sendo o mais maduro dos três. Ele expressa o desejo de deixar esse mundo de violência e ódio para trás, mas não sabe como fazê-lo. Saïd é um árabe cujas características se situam entre as de Vinz e Hubert.

Um amigo deles, Abdel Ichaha, brutalmente espancado pela polícia pouco antes da ocorrência do motim, acha-se em coma. Ao encontrar um revólver, perdido por um dos policiais durante o motim, Vinz promete usá-lo para matar um policial caso Abdel não resista aos ferimentos e venha a morrer. Assim, ao tomar conhecimento da morte do amigo, ele fantasia realizando sua vingança.

Os três amigos passam por uma rotina sem rumo, lutando para se entreterem, muitas vezes sob vigilância policial. Quando Vinz quase atira em um policial e o grupo escapa por pouco, eles decidem tomar um trem para Paris, onde encontram muitas das mesmas frustrações já experimentadas.

Um desentendimento com um grupo de policiais sádicos à paisana, durante o qual Saïd e Hubert são humilhados por questões raciais, faz com que eles percam o último trem de volta para casa. Sem melhores opções, dormem em um Shopping Center e, ao acordarem, tomam conhecimento da morte de Abdel.

Em seguida, eles sobem ao teto do edifício, de onde passam a insultar um grupo de skinheads racistas e policiais. Pouco depois, Saïd e Hubert voltam a encontrar o mesmo grupo de skinheads que, desta vez, preparados para o confronto, batem bastante nos dois. No entanto, Vinz chega armado com o seu revólver, provocando a fuga do grupo, com exceção de um de seus membros. Ao se preparar para executá-lo a sangue frio, Vinz, no entanto, é persuadido por Hubert a não fazê-lo, ao alegar que sua verdadeira natureza não é a de um gângster que ele representa. Dessa forma, ele permite que o skinhead fuja.

No início da manhã, o trio retorna ao subúrbio, ocasião em que cada um se prepara para ir para sua respectiva casa. No entanto, Vinz e Saïd encontram um dos policiais à paisana que tinha sido insultado por eles na noite anterior. Ao ver o policial apontando um revólver para a cabeça de Vinz, Hubert corre em seu auxílio, mas a arma dispara acidentalmente, matando-o.

imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta Mathieu Kassovitz, “O Ódio” é um filme fascinante, em preto e branco, cuja trama gira em torno da violência nas cidades. Brilhantemente dirigido por Kassovitz, suas cenas de tensão e de humor negro contribuem para formar um ambiente pesado e realista.

Adicionalmente, a bela fotografia, a cargo de Pierre Aïm, e o ritmo dado por Kassovitz, ao longo de toda a projeção, fazem com que o espectador permaneça atento da primeira à última cena.

No elenco, os atores Vincent Cassel, Hubert Koundé e Saïd Taghmaoui se mostram perfeitos em seus respectivos papéis.

Enfim, “O Ódio” é um filme imperdível.

CAA