Filmes por gênero

ONDAS DO DESTINO (1996)

Breaking the Waves
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Amor omnie (Dinamarca)
Ondas de paixão (Portugal)
L'amour est un pouvoir sacré (Canadá francês)
Le onde del destino (Itália)
Rompiendo las olas (Espanha)
Contra viento y marea (México, Argentina)
Przelamujac fale (Polônia)
Kroz talase (Sérvia)
Lom valov (Eslovênia)
Рассекая волны (Rússia)
Pais: Dinamarca, Suécia, França, Holanda, Noruega, Islândia, Espanha
Gênero: Drama
Direção: Lars von Trier
Roteiro: Lars von Trier, Peter Asmussen
Produção: Peter Aalbæk Jensen, Vibeke Windeløv, Marianne Slot e outros
Design Produção: Karl Juliusson
Fotografia: Robby Müller
Edição: Anders Refn
Figurino: Manon Rasmussen
Guarda-Roupa: Binkie Darling, Anne-Marie Gudnitz
Maquiagem: Sanne Gravfort, Jennifer Jorfaid, Morten Jacobsen
Efeitos Sonoros: Kristian Andersen, Per Streit, Peter Schultz e outros
Efeitos Especiais: Lars Andersen, Jan Weincke, Birger Bohm, Otto Stenov
Efeitos Visuais: Søren Buus, Niels Valentin Dal, Per Kirkeby, Steen Hansen
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1997

Elenco

Emily Watson Bess McNeill
Stellan Skarsgård Jan Nyman
Katrin Cartlidge Dodo McNeill
Adrian Rawlins Dr. Richardson
Jonathan Hackett Padre
Jean-Marc Barr Terry
Sandra Voe Mãe
Udo Kier Marinheiro sádico
David Bateson Jovem marinheiro
Mikkel Gaup Pits
Roef Ragas Pim
Phil McCall Avô
Robert Robertson Presidente
Sarah Gudgeon Sybilla
David Gallacher Médico
Dorte Rømer Enfermeira
Finlay Welsh Investigador
Brian Smith Policial
Gavin Mitchell Policial
Callum Cuthbertson Rádio Operador
Bob Docherty Homem no barco
Ray Jeffries Homem no ônibus

Prêmios

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Prêmio de Melhor Filme Europeu (Peter Aalbæk Jensen, Vibeke Windeløv)

Prêmio FIPRESCI (Lars von Trier)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio de Melhor Revelação Britânica do Ano (Emily Watson)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio Nova Geração (Emily Watson)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Lars von Trier)

Prêmio de Melhor Fotografia (Robby Müller)

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Festival Internacional de Cannes, França

Grande Prêmio do Júri (Lars von Trier)

Festival Internacional de Cinema de Estocolmo, Suécia

Prêmio FIPRESCI (Lars von Trier)

Festival Robert de Copenhague, Dinamarca

Robert de Melhor Filme (Lars von Trier)

Robert de Melhor Edição (Anders Refn)

Robert de Melhor Maquiagem (Jennifer Jorfaid, Sanne Gravfort)

Robert de Melhor Fotografia (Robby Müller)

Robert de Melhor Design de Produção (Karl Júlíusson)

Robert de Melhor Roteiro (Lars von Trier)

Robert de Melhores Efeitos Sonoros (Per Streit )

Robert de Melhor Atriz (Emily Watson)

Robert de Melhor Atriz Coadjuvante (Katrin Cartlidge)

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Atriz (Emily Watson)

Bodil de Melhor Filme (Lars von Trier)

Bodil de Melhor Atriz Coadjuvante (Katrin Cartlidge)

Festival Internacional do Uruguai

Prêmio de Melhor Filme (Lars von Trier)

Prêmios Amanda - Festival de Haugesund, Noruega

Amanda de Melhor Filme Nórdico (Lars von Trier)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme Estrangeiro (Lars von Trier)

Prêmios Leão Tcheco, Praga, República Tcheca

Leão Tcheco de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Lars von Trier)

Festival do Filme de Arte, Trencianske Teplice, Eslováquia

Prêmio IGRIC de Melhor Filme Estrangeiro

Fotogramas de Plata, Madrid, Espanha

Fotogramas de Plata de Melhor Filme Estrangeiro (Lars von Trier)

Festival Internacional de Cinema de Fort Lauderdale, Flórida

Prêmio President de Melhor Direção (Lars von Trier)

Prêmio President de Melhor Atriz (Emily Watson)

Prêmios Guldbagge, Suécia

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Lars von Trier)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Diretor (Lars von Trier)

Prêmio de Melhor Fotografia (Robby Müller)

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Golden Satellite de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Lars von Trier)

Festival de Cinema do SESC, Brasil

Prêmio da Crítica de Melhor Filme Estrangeiro (Lars von Trier)

Festival Internacional de Vancouver, Canadá

Prêmio do Filme Mais Popular (Lars von Trier)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Emily Watson)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Atriz Britânica do Ano (Emily Watson)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Lars von Trier)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Emily Watson)

Instituto Australiano de Cinema

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Vibeke Windeløv, Peter Aalbæk Jensen)

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Filme Europeu (Lars von Trier)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Sociedade dos Críticos de Cinema de Boston

Prêmio de Melhor Direção (Lars von Trier)

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Prêmio de Melhor Fotografia (Robby Müller)

Prêmios Camerimage, Lodz, Polônia

Prêmio Golden Frog (Robby Müller)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Diretor (Lars von Trier)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Emily Watson)

Prêmio de Melhor Atriz (Emily Watson)

Prêmios Chlotrudis - Massachusetts, USA

Prêmio Chlotrudis de Melhor Atriz (Emily Watson)

Associação dos Críticos de Cinema de Dallas-Fort Worth - USA

Prêmio de Melhor Filme

Círculo dos Críticos de Cinema da Flórida, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Independent Spirit, California, Estados Unidos

Prêmio Independent Spirit de Melhor Filme Estrangeiro (Lars von Trier)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata Européia (Lars von Trier)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Golden Satellite de Melhor Atriz em um Drama (Emily Watson)

Prêmio Golden Satellite de Melhor Direção (Lars von Trier)

Prêmio Golden Satellite de Melhor Fotografia (Robby Müller)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Bess McNeill é uma jovem mulher escocesa, com um histórico de problemas psicológicos. Ela se casa com Jan Nyman, ateu, trabalhador de uma plataforma petrolífera, apesar da desaprovação de sua comunidade e da Igreja Calvinista Presbiteriana Escocesa, a qual pertence. Bess é pura de coração, mas extremamente simples e infantil em suas crenças. Durante suas frequentes visitas à igreja, ela reza a Deus e usa sua própria voz para expressar o que acredita ser a resposta do Senhor.

Ela tem dificuldade em viver sem o marido, quando ele se encontra longe na plataforma de petróleo. Ocasionalmente, Jan telefonema para ela, afim de expressar seu amor e seus desejos sexuais. Certo dia, após ser gravemente ferido em um acidente de trabalho, Jan é levado de volta para o continente. Bess acredita que sua oração foi a razão do acidente, que Deus quis castigá-la por seu egoísmo. Por outro lado, sentindo-se incapaz de realizar o ato sexual e mentalmente afetado pela paralisia, Jan pede à Bess para encontrar um amante. Ela se sente arrasada com a situação. Por outro lado, ele tenta o suicídio, mas falha. Inconsciente, é internado em um hospital.

Com o passar dos dias, as condições de Jan se deterioram. Ele continua a insistir que ela deve encontrar um amante, que essa nova relação seria como se eles próprios estivessem juntos, o que revitalizaria seus espíritos. Como sua cunhada, Dodo, constantemente lhe reassegura que tudo o que ela venha a fazer não afetará a recuperação de Jan, Bess começa a acreditar que essas sugestões representam a vontade de Deus. Assim, ela tenta seduzir o médico de Jan, mas é por ele rejeitada. Tal rejeição faz com que ela passe a pegar homens na rua, permitindo-se ser brutalizada em encontros sexuais cada vez mais cruéis. A aldeia inteira se escandaliza com suas ações e ela termina excomungada.

Dodo e o médico de Jan concordam que a única maneira de manter Bess segura de si mesma, é fazer com que ela fique o mais longe possível de Jan. É, então, que ela decide fazer o que acredita ser o maior sacrifício pelo marido: em um navio abandonado, cheio de marinheiros ignorantes e grosseiros, ela termina sendo estuprada e assassinada.

A igreja se nega a promover um funeral para ela e condena sua alma ao inferno. Enquanto isso, com a saúde completamente restaurada, Jan, marcado por uma profunda tristeza, encarrega-se dessa tarefa.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta dinamarquês Lars von Trier, “Ondas do Destino” é um excelente filme de meados dos anos 1990. Sua trama gira em torno do drama vivido por uma jovem mulher, Bess McNeill, e do amor por ela dedicado a Jan, seu marido, que lhe pede para ter relações sexuais com outros homens, quando ele fica imobilizado a partir de um acidente de trabalho.

A direção de Lars von Trier é consistentemente boa, apresentando um ótimo ritmo do início ao fim. Os diálogos são inteligentes, dentro de um roteiro muito bem estruturado. Merece ainda ser destacada a bela fotografia a cargo de Robby Müller.

No elenco, a atuação da atriz britânica Emily Watson é simplesmente extraordinária. Vale ressaltar que, anteriormente, ela só havia participado, como atriz coadjuvante, de um único filme feito para a televisão.

Enfim, “Ondas do Destino” é, sem qualquer dúvida, um filme altamente recomendável.

CAA