Filmes por gênero

A MORTE NUM BEIJO (1955)

Kiss me deadly
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O beijo fatal (Portugal)
En quatrième vitesse (França, Bélgica)
Un bacio e una pistola (Itália)
El beso mortal (Espanha, México)
Rattennest (Alemanha)
Natt utan nåd (Suécia)
Kys mig til døde (Dinamarca)
Целуй меня насмерть (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Suspense, Crime, Mistério
Direção: Robert Aldrich
Roteiro: A.I. Bezzerides
Produção: Robert Aldrich
Música Original: Frank De Vol
Fotografia: Ernest Laszlo
Edição: Michael Luciano
Direção de Arte: William Glasgow
Maquiagem: Robert J. Schiffer
Efeitos Sonoros: Jack Solomon
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Ralph Meeker Mike Hammer
Albert Dekker Dr. G.E. Soberin
Paul Stewart Carl Evello
Wesley Addy Tenente Pat Murphy
Maxine Cooper Velda Wickman
Cloris Leachman Christina Bailey
Gaby Rodgers Lily Carver / Gabrielle
Mort Marshall Ray Diker
Fortunio Bonanova Carmen Trivago
Juano Hernández Eddie Yeager
Strother Martin Harvey Wallace
Nick Dennis Nick
Marian Carr Friday
Percy Helton Doc Kennedy
Jack Lambert Sugar Smallhouse
Jack Elam Charlie Max
Marjorie Bennett Gerente
James McCallion Horace
Robert Cornthwaite Agente do FBI
James Seay Agente do FBI
Bing Russell Detetive da Polícia
Charles Lane Médico
Mara McAfee Enfermeira
Trude Wyler Enfermeira

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Certa noite, o detetive Mike Hammer se dirige para sua casa em Los Angeles quando é parado por uma mulher que se acha na estrada. Embora a censure por estar vestida apenas com uma capa de chuva, ele lhe dá uma carona. Em pânico, ela lhe pede para deixá-la na próxima parada de ônibus. Antes que ele consiga mais informações sobre ela, eles são parados em uma barreira e a polícia revela que eles estão procurando uma mulher que fugiu de um sanatório nas proximidades. Depois de passar pela barreira, a mulher, chamada Christina, admite ser ela a fugitiva, mas insiste que estava sendo mantida prisioneira no sanatório. Quando eles param em um posto de gasolina, ela entrega ao atendente uma carta para ser colocada no correio e parece aliviada.

Mike fica intrigado com seu comportamento e, pouco depois, um carro bloqueia seu caminho e ele é nocauteado por seus ocupantes. Ao despertar, minutos depois, ele ouve Christina gritar como se estivesse sendo torturada, mas não consegue identificar seus captores, embora perceba que um deles usa um par de sapatos diferenciado. Logo depois, Christina, agora morta, é colocada em seu carro, que é empurrado de um penhasco para parecer que eles morreram em um acidente. Mike consegue saltar do carro a tempo e, três dias mais tarde, é acordado no hospital por sua secretária e namorada, Velda Wickman.

Amigo de Mike, o capitão da polícia Pat Murphy, também se mostra feliz com sua recuperação. Quando Mike deixa o hospital, ele é detido por agentes federais, que o questionam a respeito de Christina. Ele se recusa a dar qualquer informação, e depois que é libertado, o capitão Murphy o avisa para não investigar o caso. Em seu apartamento, no entanto, ele diz à Velda que vai de qualquer forma investigar o caso, ocasião em que ela revela que um homem, chamado Ray Diker, ligou enquanto ele se encontrava no hospital. A conversa é interrompida pelo capitão Murphy, que revoga sua licença de detetive particular e seu porte de arma e, em seguida, descarta especulações de Mike sobre Diker, um editor de ciência do jornal que desapareceu recentemente. Apesar da interferência de um atacante desconhecido, Mike localiza Diker que, embora apavorado, lhe diz que o sobrenome de Christina era Bailey e lhe dá o endereço dela.

Quando o detetive visita a pensão onde Christina morava, ele descobre que sua colega de quarto, Lily Carver, não mora mais lá, mas consegue seu novo endereço. Lembrando que Christina afirmou que seu nome lhe foi dado em homenagem à poetisa Christina Rossetti, Mike pega seu livro de poemas em seu criado-mudo e, em seguida, procura por Lily. Ao entrar em seu apartamento, ele encontra uma mulher nervosa apontando uma pistola para ele. Lily lhe explica que Christina estava muito assustada ultimamente, mas não sabe os motivos nem a identidade dos homens que vieram interrogá-la após sua morte. Quando Mike volta para casa, ele recebe um telefonema de um homem não identificado, oferecendo-lhe um sinal de apreço se ele fingir que nunca conheceu Christina.

Na manhã seguinte, um carro novo encontra-se estacionado em frente ao prédio de Mike. Desconfiado, ele pede ao seu mecânico, Nick, para examiná-lo. O mecânico encontra duas bombas dentro do veículo e, em seguida, Mike visita Velda. Ela lhe revela que Diker ligou, informando-lhe vários outros nomes, e quando Mike confere as pistas, descobre que há dois outros "acidentes de automóvel" em que pessoas ligadas à Christina foram mortas. Mike também descobre que Charlie Max e Sugar Smallhouse, dois assassinos contratados, estão procurando por ele, e depois de saber que trabalham para o gangster Carl Evello, ele o procura. Impressionado com a forma como Mike se comporta, Evello concorda em falar com ele e confessa ter sido ele quem lhe enviou o carro equipado.

Evello tenta suborná-lo para que permaneça em silêncio, mas Mike foge e procura Carmen Trivago, um dos nomes dados a ele por Diker. Carmen admite que seu amigo, Nicholas Raymondo, era um cientista que deu a entender ter um segredo importante, antes de ser morto. Em seguida, Mike volta a procurar Lily, que ele encontra escondida no porão depois que alguns homens vieram procurá-la. Na esperança de protegê-la, ele a leva para seu apartamento. Enquanto isso, Nick, que investigou as bombas encontradas no carro, a pedido de Mike, é assassinado. Preocupado, ele procura Velda, que lhe suplica para parar com suas buscas, lembrando-lhe que esse caso já custou inúmeras vidas. Na ocasião, ela lhe revela que Diker a apresentou a um negociante de arte moderna que mencionou tanto Evello, quanto o Dr. Soberin, quando falou de sua galeria. Mike pede que ela tente obter mais informações e, em seguida, vai até um bar onde desmaia de tanto beber.

Ao despertar, ele descobre que Velda foi sequestrada e que a carta que Christina pedira para ser colocada no correio, foi dirigida a ele. Em seu escritório, Mike abre a carta, que diz apenas "Lembre-me!”. Pouco depois, Charlie Max e Sugar Smallhouse o atacam e o levam para uma casa de praia, onde ele é interrogado por um estranho, que ele reconhece ser o homem que se achava com um par de sapatos diferenciado na noite em que Christina foi morta. Embora lhe administrem uma dose de tiopental, o soro da verdade, com o fim de descobrirem o significado da carta de Christina, ele permanece falando coisas sem sentido. Algum tempo depois de ser deixado preso a uma cama, ele consegue se livrar de suas amarras e, quando Evello entra no recinto, ele o prende à mesma cama. Quando Sugar Smallhouse entra no recinto para matar Mike, ele equivocadamente mata Evello e é morto pelo detetive.

Em seguida, Mike retorna a seu apartamento, onde, juntamente com Lily, tenta decifrar a mensagem de Christina, usando um dos poemas de Rossetti. Dessa forma, ele deduz que Christina engoliu uma pista importante e vai até o necrotério, onde Doc Kennedy tinha extraído uma chave de seu estômago. No dia seguinte, Mike e Lily vão ao Clube Atlético de Hollywood, onde ele usa a chave para abrir um armário registrado em nome de Raymondo. No armário, ele encontra uma caixa de ferro, envolvida em couro. Ao tentar abri-la, ele se queima. Pedindo a um auxiliar que não deixe ninguém chegar perto da mesma, ele vai até seu carro, onde descobre que Lily desapareceu. Preocupado, ele entra em contato com o capitão Murphy, que exige a chave do armário, mas ele lhe diz que precisa da mesma para negociar a vida de Velda. Quando o policial revela que o verdadeiro corpo de Lily foi encontrado há mais de uma semana, ele percebe que foi enganado. Por outro lado, ao ver a queimadura no pulso Mike, o capitão Murphy diz: “Projeto Manhattan, Los Alamos, Trinity”, o que faz com que o detetive lhe entregue a chave.

No Atlético Clube, no entanto, o auxiliar que cuidava do armário que continha a caixa de ferro é morto e a caixa roubada. Com a ajuda relutante de Diker, Mike toma conhecimento de que o líder da quadrilha é o Dr. Soberin. Assim, ele decide segui-lo até sua casa da praia, onde o encontra admirando a caixa que lhe foi trazida pela mulher que se fez passar por Lily, cujo verdadeiro nome é Gabrielle. Apesar da curiosidade dela, o médico não lhe explica que a caixa contém material atômico e, curiosa, ela o mata. Logo em seguida, quando Mike entra no recinto, ela atira e a bala lhe fere de raspão. Enquanto ele cambaleia para fora, Gabrielle abre a caixa e o material incandescente começa a queimar. Em seguida, Mike encontra Velda e os dois correm para a beira-mar, de onde veem a casa ser engolida por uma grande explosão.


imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Robert Aldrich, a partir de um roteiro escrito por A.I. Bezzerides, “A Morte Num Beijo” é um ótimo filme ‘noir’ produzido pela Parklane Pictures Inc. em 1955. Sua trama, baseada num livro de Mickey Spillane, é marcada por uma boa dose de tensão, notadamente na segunda parte do filme.

Embora não se trate de uma obra premiada, a direção de Aldrich é de primeira linha. Ele consegue impor um ótimo ritmo e manter uma boa dose de tensão ao longo de toda a projeção. Merece ainda ser destacada a bela fotografia, em preto e branco, assinada por Ernest Laszlo.

No elenco, Ralph Meeker brilha no papel do detetive Mike Hammer, seguido pelas boas atuações de Paul Stewart e Maxine Cooper.


CAA