Filmes por gênero

CLEÓPATRA (1934)

Cleopatra
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Cléopâtre (França)
Kleopatra (Polônia, Finlândia, Austria)
Клеопатра (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Histórico
Direção: Cecil B. DeMille
Roteiro: Waldemar Young, Vincent Lawrence
Produção: Cecil B. DeMille
Música Original: Rudolph G. Kopp
Direção Musical: Nat W. Finston
Fotografia: Victor Milner
Edição: Anne Bauchens
Direção de Arte: Hans Dreier, Roland Anderson
Guarda-Roupa: Travis Banton
Efeitos Sonoros: Franklin Hansen, Harry Lindgren, Treg Brown
Efeitos Especiais: Barney Wolff
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1948

Elenco

Claudette Colbert Cleópatra
Warren William Júlio César
Henry Wilcoxon Marco Antônio
Joseph Schildkraut Rei Herodes
Ian Keith Otaviano
Robert Warwick Gen. Aquilas
Leonard Mudie Pothinos
Gertrude Michael Calpúrnia
Irving Pichel Apollodorus
C. Aubrey Smith Enobarbus
David Niven Escravo
Arthur Hohl Brutus
Lionel Belmore Fidius
Ian Maclaren Cássio
Edwin Maxwell Casca
William Farnum Lepidus
Ferdinand Gottschalk Glabrio
Eleanor Phelps Charmion
Claudia Dell Octavia
Jayne Regan Lady Vesta
Nicholai Konovaloff General romano
Charles Morris Cícero

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia (Victor Milner)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Gravação de Som (Franklin Hansen)

Oscar de Melhor Edição (Anne Bauchens)

Oscar de Melhor Diretor Assistente (Cullen Tate)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 48 A.C., o Primeiro Ministro egípcio, Pothinos, sequestra a Rainha Cleópatra e seu filósofo, Apollodorus, e os abandona no deserto, advertindo Cleópatra que ela será morta se retornar ao Egito. Preocupada com a possibilidade de seu irmão, Ptolomeu, se mostrar fraco e passar a atuar sob as regras romanas, Cleópatra e Apollodorus se dirigem ao acampamento de Júlio César, onde ela consegue uma audiência com ele.

Nessa oportunidade, ela lhe fala sobre a traição de Pothinos e sugere a possibilidade de César conquistar a Índia através do Egito. Mais tarde, ela tenta seduzir César e prova sua fidelidade ao matar Pothinos, quando este se achava escondido por trás das cortinas de seu quarto.

Cleópatra e César se apaixonam, para desgosto de seus seguidores em Roma, preocupados com a possibilidade dele se divorciar de sua esposa, Calpúrnia, casar-se com Cleópatra e se tornar rei, o que faria com que Roma deixasse de ser uma República.

César traz Cleópatra para Roma, ocasião em que o soldado Marco Antônio lhe chama atenção para que ele não permita que ela o transforme num egípcio. Por outro lado, Calpúrnia pede-lhe que não fale no Senado, pois ela havia sonhado com sua morte. Ele, no entanto, não dá ouvidos à esposa e, em companhia de Casca, Brutus, Cássio e outros, é assassinado antes de chegar ao Senado.

Devastada, Cleópatra retorna ao Egito, enquanto o Senado romano determina que Otaviano, sobrinho de César, governe Roma, ao lado de Marco Antônio. Este jura vingar a morte de César e punir o Egito.

Marco Antônio propõe um encontro com Cleópatra em uma praça pública, onde ele espera emboscá-la com seus soldados, mas ela faz com que ele vá ao seu navio, onde é recebido com uma grande festa, dançarinas e muita bebida, e termina embriagado e seduzido por ela. Os dois seguem juntos para o Egito, onde se apaixonam.

Dois meses depois, o rei Herodes adverte Cleópatra que Otaviano declarou Marco Antônio um traidor e insinua que suas relações com Roma seriam melhores se ele estivesse morto. Apollodorus também aconselha Cleópatra a matá-lo.

Pouco tempo depois, Roma declara guerra ao Egito. Com dificuldade, Marco Antônio consegue formar um pequeno exército para enfrentar as tropas romanas. A batalha é travada em terra e no mar e termina com a vitória dos romanos, apesar de Marco Antônio ter saído com vida. Secretamente, Cleópatra procura Otaviano e lhe oferece o Egito em troca da vida de Marco Antônio. Inicialmente, ele reluta, mas termina aceitando os termos por ela propostos. Marco Antônio, no entanto, confunde as razões que levaram Cleópatra a se aproximar de Otaviano e comete suicídio. Diante da situação, ela igualmente se suicida e o Egito se torna inteiramente uma província romana.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Cecil B. DeMille, a partir de um roteiro escrito por Waldemar Young e Vincent Lawrence, “Cleópatra” é um ótimo filme norte-americano produzido pela Paramount Pictures. Sua trama me parece bastante romanceada porque não creio que ela tenha sido uma das razões do assassinato de Júlio César.

Na direção, DeMille imprime um ritmo impecável, com ótimos cenários e cenas impressionantes como a orgia ocorrida no navio de Cleópatra, principalmente se levarmos em conta que se trata de um filme de 1934. No elenco, destacam-se as ótimas atuações de Claudette Colbert, Henry Wilcoxon e Warren William.

CAA