Filmes por gênero

TUDO O QUE O CÉU PERMITE (1955)

All that heaven allows
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O que o céu permite (Portugal)
Tout ce que le ciel permet (França, Bélgica)
Secondo amore (Itália)
Sólo el cielo lo sabe (Espanha)
Was der Himmel erlaubt (Alemanha, Austria)
Morgondagen är vår (Suécia)
Omstreden huwelijk (Holanda)
Med kærlighedens ret (Dinamarca)
Ycе, что дозволено небесам (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Douglas Sirk
Roteiro: Peg Fenwick
Produção: Ross Hunter
Música Original: Frank Skinner
Direção Musical: Joseph Gershenson
Fotografia: Russell Metty
Edição: Frank Gross
Direção de Arte: Alexander Golitzen, Eric Orbom
Figurino: Bill Thomas
Guarda-Roupa: Rose Brandi
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Leslie I. Carey, Joe Lapis
Efeitos Especiais: Fred Knoth
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Jane Wyman Cary Scott
Rock Hudson Ron Kirby
Agnes Moorehead Sara Warren
Alex Gerry George Warren
Virginia Grey Alida Anderson
Charles Drake Mick Anderson
Gloria Talbott Kay Scott
William Reynolds Ned Scott
Conrad Nagel Harvey
Jacqueline deWit Mona Plash
Donald Curtis Howard Hoffer
Tol Avery Tom Allenby
Merry Anders Mary Ann
Hayden Rorke Dr. Hennessy
Leigh Snowden Jo-Ann Grisby
Nestor Paiva Manuel
Gia Scala Marguerita, filha de Manuel
Forrest Lewis Sr. Weeks
Eleanor Audley Sra. Humphrey
Lillian Culver Sra. Taylor
David Janssen Freddie Norton
Helen Andrews Myrtle
Forbes Murray Membro do Country Club

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na cidade de Stoningham da Nova Inglaterra, a viúva Cary Scott fica desapontada quando sua amiga, Sara Warren, não comparece a um almoço combinado e resolve convidar o paisagista Ron Kirby para compartilhar a refeição. Imediatamente, ela sente-se atraída pela força e calma de Ron, mas sua juventude e seu status social tornam um romance impensável para ela. Naquela noite, seus filhos Ned e Kay, chegam em casa e aprovam o relacionamento da mãe com o sisudo e hipocondríaco Harvey. Cary e Harvey vão ao Country Club, onde um novo vizinho, Tom Allenby, já está sendo cobiçado por uma jovem mulher loira. Depois que a fofoqueira do bairro, Mona Plash critica o vestido vermelho de Cary como inadequado, Howard Hoffer, um homem casado, dá uma cantada que Cary rejeita.

Harvey a leva para casa e lá propõe casamento, mas Cary, que anseia por uma paixão que sentia com o falecido marido, o rejeita. Semanas depois, quando Ron retorna para podar as árvores, ela se mostra surpresa com a decepção que sente quando ele anuncia que está deixando aquele serviço para se dedicar à sua propriedade. Quando ele a convida para conhecer suas árvores, ela relutantemente concorda e, ao chegar lá, ao observar um moinho abandonado, um pássaro a assusta e ela cai nos braços de Ron, compartilhando um beijo apaixonado. Semanas mais tarde, ela aceita seu convite para um jantar dançante na casa de seus amigos Alida e Mick Anderson.

Durante a noitada, ao dançar com Ron, uma alegre Cary percebe quanto ela admira o seu estilo de vida e sente uma pontada de ciúme ao ver a bela sobrinha de Alida, Mary Ann, flertando com ele. Durante o inverno, os dois passam o tempo juntos e ela se surpreende quando ele lhe mostra o trabalho de remodelação que vem fazendo no moinho. Quando ele lhe diz que está preparando a casa para os dois compartilharem, ela insiste que a união deles seria impossível, porque os amigos e as crianças não aceitariam. Ao se preparar para sair, Cary começa a chorar e os dois confessam seu amor mútuo.

Dias depois, a fofoqueira Mona, ao vê-los juntos, espalha o boato de que eles começaram seu relacionamento antes dela se tornar viúva. Sua fiel amiga, Sara, sugere que ela traga Ron para uma festa, no final de semana, a fim de que seus amigos possam conhecê-lo. No entanto, durante o encontro, os casais presentes desdenham de Ron ao se referirem a ele como o “jardineiro”. Depois que Howard declara que Cary é uma mulher provocadora, Ron o esmurra e o casal se retira da festa. Ao chegar em casa, Cary fala para os filhos que vai se casar com Ron, e embora eles sejam favoráveis à relação com Harvey, demonstram preocupação por recearem que ela venha a vender a casa da família. Depois que Ned ameaça nunca mais voltar para casa, e Kay chora ao dizer que sua vida foi arruinada pela fofoca, Cary diz a Ron que eles devem esperar um pouco para se casarem. Na ocasião, ele pede para que ela escolha entre seu amor e sua necessidade de aceitação social. Assim, embora arrasada, ela rompe seu relacionamento com ele e, semanas mais tarde, sente-se esmagada ao vê-lo com Mary Ann.

Ao chegar o Natal, Kay mostra seu anel de noivado e Ned anuncia que vai se mudar para Paris e deseja vender a casa da família. Ao ver seu presente, um aparelho de TV, Cary percebe que ao rejeitar Ron, ela decretou para si própria, um futuro marcado apenas por solidão e tédio. No dia seguinte, ao procurar Dr. Dan Hennessy, este lhe afirma que suas dores de cabeça são causadas por uma forte depressão, e que ela deveria se casar com Ron. Atendendo ao conselho médico, ela o procura, mas, ao chegar à casa dele, hesitante, retorna para seu carro. Ron, que estivera caçando, a avista do topo de uma colina e, em sua pressa para tentar alcançá-la, cai de um penhasco e sofre uma concussão. Naquela noite, Alida informa Cary que Ron se encontra inconsciente e, quando as duas o procuram, Cary admira a bela casinha que ele construiu e se angustia ao perceber o tempo que levou para descobrir seus verdadeiros valores. Quando Ron finalmente acorda, na manhã seguinte, ele fica encantado com sua presença, que lhe assegura que finalmente ela se encontra em casa.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Douglas Sirk, a partir de um roteiro escrito por Peg Fenwick, “Tudo o Que o Céu Permite” é um ótimo melodrama norte-americano produzido pela Universal International Pictures (UI) em 1955.  Sua trama, baseada num livro de Edna e Harry Lee, conta o drama vivido por uma viúva de meia idade que, ao se apaixonar por seu jardineiro mais jovem, vê-se obrigada a lutar contra algumas amigas e, principalmente seus dois filhos, que desaprovam seu casamento.

Na direção, Sirk realiza um dos melhores trabalhos de sua carreira. Na área técnica, merecem ainda ser destacadas a bela fotografia a cores de Russell Metty e a maravilhosa trilha sonora com músicas de Brahms, Franz Liszt e Lowell Mason. No elenco, Jane Wyman brilha no papel principal, seguida por Agnes Moorehead, como sua melhor amiga. Com boas atuações, embora nada excepcional, destacam-se Rock Hudson, Gloria Talbot e William Reynolds.

CAA