Filmes por gênero

O HOMEM ELEFANTE (1980)

The Elephant Man
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'homme éléphant (França, Canadá)
El Hombre Elefante (Espanha, Argentina)
Der Elefantenmensch (Alemanha, Austria)
Elefantmannen (Suécia)
Elefantmanden (Dinamarca)
Az elefántember (Hungria)
Czlowiek slon (Polônia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Drama
Direção: David Lynch
Roteiro: David Lynch, Eric Bergren, Christopher De Vore
Produção: Jonathan Sanger
Design Produção: Stuart Craig
Música Original: John Morris
Fotografia: Freddie Francis
Edição: Anne V. Coates
Direção de Arte: Robert Cartwright
Figurino: Patricia Norris
Guarda-Roupa: Tiny Nicholls
Maquiagem: Wally Schneiderman, Michael Morris, Beryl Lerman e outros
Efeitos Sonoros: David Lynch, Peter Horrocks, Alan Splet e outros
Efeitos Especiais: Graham Longhurst
Efeitos Visuais: David Smith
Nota: 9.4
Filme Assistido em: 2010

Elenco

Anthony Hopkins Dr. Frederick Treves
John Hurt John Merrick
Anne Bancroft Sra. Kendal
John Gielgud Carr Gomm
Wendy Hiller Sra. Mothershead
Freddie Jones Bytes
Hannah Gordon Sra. Anne Treves
Helen Ryan Princesa de Gales
John Standing Fox
Lesley Dunlop Nora
Phoebe Nicholls Mãe de Merrick
Claire Davenport A Mulher Gorda
Orla Pederson O Homem Esqueleto
Patsy Smart Mulher Desesperada
Frederick Treves Alderman
Richard Hunter Hodges
James Cormack Pierce
Gerald Case Lord Waddington
Kathleen Byron Lady Waddington
Nula Conwell Enfermeira Kathleen
Joan Rhodes Cozinheiro
Deirdre Costello Prostituta
Pauline Quirke Prostituta
Alfie Curtis Leiteiro
Michael Elphick Porteiro noturno

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator (John Hurt)

Prêmio de Melhor Filme (Jonathan Sanger )

Prêmio de Melhores Design de Produção / Direção de Arte (Stuart Craig )

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme Estrangeiro (David Lynch)

Sindicato Francês dos Críticos de Cinema, França

Prêmio da Crítica de Melhor Filme Estrangeiro (David Lynch)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio de Melhor Fotografia (Freddie Francis)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (David Lynch)

Oscar de Melhor Ator (John Hurt)

Oscar de Melhor Filme (Jonathan Sanger)

Oscar de Melhor Figurino (Patricia Norris )

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (David Lynch, Eric Bergren, Christopher De Vore )

Oscar de Melhor Trilha Sonora (John Morris)

Oscar de Melhor Edição (Anne V. Coates)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Design de Produção (Stuart Craig, Robert Cartwright, Hugh Scaife)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Direção (David Lynch)

Prêmio de Melhor Edição (Anne V. Coates)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (David Lynch, Eric Bergren, Christopher De Vore)

Prêmio de Melhor Fotografia (Freddie Francis)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Roteiro (Eric Bergren, Christopher De Vore )

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (John Hurt)

Prêmio de Melhor Direção (David Lynch)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (David Lynch)

Academia Japonesa de Cinema, Japão

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Fotografia (Freddie Francis )

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Drama adaptado de material previamente publicado (David Lynch, Eric Bergren, Christopher De Vore )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

John Merrick, um desafortunado cidadão da Inglaterra vitoriana, é portador do caso mais grave de neurofibromatose múltipla, já conhecido, tendo cerca de 90% de seu corpo deformado. Tal situação faz com que ele seja considerado um débil mental, pela sua dificuldade de falar, sendo explorado pelo inescrupuloso proprietário de um circo de variedades, onde é apresentado como um monstro.

Quando o Dr. Frederick Treves, médico e professor de anatomia na Faculdade de Medicina de Londres, o descobre, decide levá-lo para internação em um hospital, a fim de poder melhor estudá-lo. Em sua primeira entrevista com o médico, Merrick não responde às perguntas que lhe são feitas e, muito assustado, consegue fugir. Pouco depois, entretanto, sentindo-se mais confiante no Dr. Treves, ele retorna e, aos poucos, vai demonstrando que não apenas fala, como também adora ler livros, sendo inclusive conhecedor dos escritos bíblicos.

O tempo faz com que os dois se tornem grandes amigos. Convidado para um chá na casa do Dr. Treves, Merrick fica encantado com Anne, esposa do médico, pela forma carinhosa com que ela o recebeu. Numa outra ocasião, ele é apresentado à Sra. Kendal, uma grande atriz, que lhe oferece um porta-retratos com sua fotografia. A amizade e a dedicação do médico e da Sra. Kendal para com Merrick vêm a se tornar os maiores responsáveis pela recuperação de sua auto-estima, tornando-o uma pessoa emocionalmente e intelectualmente sadia, sensível ao extremo, digna.

No hospital, alguns médicos mostram-se contra a permanência de Merrick no local, por acharem que se trata de um caso incurável. Quando o Comitê Administrativo do hospital se reúne para decidir sobre o assunto, este recebe a visita da Princesa de Gales, trazendo a decisão da Rainha de garantir moradia permanente para ele em dependência do hospital.

O grupo que explorava Merrick, num circo de variedades, consegue levá-lo à força e ele volta a ser exposto. O ‘homem-elefante’, foge mais uma vez e, localizado pela polícia, é levado de volta ao hospital.

Convidado pelos amigos, Merrick assiste a um magnífico espetáculo apresentado num dos melhores teatros de Londres, após o qual a Sra. Kendal diz ao público que a apresentação daquela noite foi muito especial para ela, porque foi especial para mais alguém, um homem que ama o teatro. Continuando, ela diz que gostaria de dedicá-la, em nome de toda a Companhia, ao Sr. John Merrick, seu mais querido amigo. A platéia, de pé, o ovaciona.

imagem imagem imagem

Comentários

“O Homem Elefante” é um magnífico filme daquele que considero o maior diretor inglês de todos os tempos, David Lynch. Sua trama é baseada na história verídica de John Merrick, um homem da Inglaterra vitoriana que se tornou conhecido por ser portador do caso mais grave de neurofibromatose múltipla, até então conhecido.

O filme é perfeito e ainda apresenta uma forte mensagem moral. Além de seus inesquecíveis trabalhos na direção de grandes filmes, aqui, Lynch nos mostra, pela quinta vez consecutiva, quanto ele também é muito bom como roteirista, trabalho que assina juntamente com Eric Bergren e Christopher De Vore.

Outra decisão acertada da equipe técnica foi a de rodar este filme de 1980 com uma fotografia em preto e branco, capturando melhor a atmosfera do período em que a história se desenvolve. Devo registrar ainda que a música é mais um dos aspectos que tornam esse filme especial.

No elenco, os quatro ou cinco principais atores são de primeiríssima grandeza, com destaque especial para o magnífico trabalho apresentado por John Hurt, no papel de John Merrick, o homem elefante. Anthony Hopkins, com uma fisionomia bem jovem aos 43 anos, nos brinda também com uma atuação digna de premiação.
 
 CAA