Filmes por gênero

QUANDO EU TE AMEI (1950)

The toast of New Orleans
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Nas redes do amor (Portugal)
Il pescatore della Louisiana (Itália)
Las redes del amor (Argentina, Espanha, Venezuela)
Der fischer von Louisiana (Alemanha, Austria)
Flödande toner (Suécia)
Halászlegény frakkban (Hungria)
Rakkauden sävel (Finlândia)
Den syngende fisker (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Musical
Direção: Norman Taurog
Roteiro: Sy Gomberg, George Wells
Produção: Joe Pasternak
Música Original: George Stoll, Albert Sendrey
Direção Musical: George Stoll
Fotografia: William E. Snyder
Edição: Gene Ruggiero
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Daniel B. Cathcart
Figurino: Helen Rose, Walter Plunkett
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer, Joe Edmondson
Efeitos Especiais: A. Arnold Gillespie, Warren Newcombe
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1990

Elenco

Kathryn Grayson Suzette Micheline
Mario Lanza Pepe Abellard Duvalle
David Niven Jacques Riboudeaux
J. Carrol Naish Nicky Duvalle
James Mitchell Pierre
Richard Hageman Maestro P. Trellini
Rita Moreno Tina
Clinton Sundberg Oscar
Sig Arno Prefeito
Romo Vincent Manuelo
Marietta Canty Angelique, empregada de Suzette
Wallis Clark Sr. O'Neill
Sandy Lawrence Secretária
Dino Bolognese Garçom
Guy de Vestel Garçom
Jack George Padre
Robert Emmett Keane Membro do Board da Ópera
Alex Gerry Maître do Dominiques
Nick Thompson Pescador
Henry Corden Pescador
Gene Coogan Pescador
Fred Essler Emile, o alfaiate
Bess Flowers Mulher jantando no Dominiques

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Canção Original (Nicholas Brodszky, Sammy Cahn)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No início do século XX, no pantanal de Louisiana, a vila de pescadores de Bayou Minou acha-se agitada com a preparação das festividades anuais de bênção de sua frota pesqueira. Durante o festival, a vila acolhe dois convidados de honra de Nova Orleans: a cantora de ópera Suzette Micheline e o diretor de Ópera Jacques Riboudeaux.

Pouco depois de chegar à Babou Minou, Suzette conhece e se sente atraída por Pepe Abellard Duvalle, sobrinho do pescador Nicky Duvalle. No entanto, ela logo se torna incomodada com suas maneiras rudes, e furiosa quando ele interrompe seu recital no festival, transformando sua apresentação solo em um dueto. Por outro lado, ficando bastante impressionado com a bela voz de tenor de Pepe, Jacques o convida para ser treinado em Nova Orleans e cantar em sua Ópera.

Inicialmente, Pepe rejeita a oferta, mas muda de idéia quando uma forte tempestade afunda o barco do seu tio. Assim, ele e Nicky deixam Mayou Minou na esperança de que Pepe venha a ganhar bastante dinheiro para comprarem um novo barco.

Quando Pepe chega à Nova Orleans, Jacques decide torná-lo mais apresentável ao público e pede a ajuda de Suzette. Adicionalmente, contrata os serviços de seu amigo Oscar para ensinar ao jovem as boas maneiras próprias da alta sociedade. Em seguida, leva Pepe à presença do maestro P. Trellini, o qual fica encantado com a voz do jovem e concorda em treiná-lo. Certa noite, Pepe e Nicky acompanham Jacques e Suzette a um luxuoso restaurante, mas eles quase estragam a noite com suas maneiras rudes do interior.

Enquanto Oscar continua em seus esforços para lapidar a forma grosseira de Pepe, Trellini obtém um grande progresso em relação à voz do jovem. Jacques finalmente se torna tão confiante em relação ao seu novo tenor que planeja incluí-lo em sua próxima turnê internacional.

Para Suzette, os novos gostos e o comportamento refinado de Pepe fazem pensar ser inevitável um romance entre os dois. Assim, ela fica dividida entre sua atração por ele e seu desejo de agradar Jacques, responsável pelo sucesso de sua carreira como cantora de óperas. Certo dia, quando Pepe tenta beijá-la, ela o rejeita e corre ao encontro de Jacques para perguntar-lhe se ele quer ou não se casar com ela.

Nesse meio-tempo, Nicky, extremamente saudoso em relação à Bayou Minou e impaciente com os esforços do sobrinho para se tornar rico, passa a pensar seriamente em voltar para sua vila de pescadores. Por outro lado, Pepe diz a Jacques que se acha apaixonado por Suzette, mas que pretende deixar Nova Orleans por ter sido por ela desdenhado. Embora Jacques agora perceba que Suzette lhe propôs casamento apenas com a intenção de salvar sua carreira, ele encoraja Pepe a permanecer em Nova Orleans a fim de continuar seu treinamento em sua Ópera.

Tina e Pierre, dois grandes amigos de Pepe, de Bayou Manou, o visitam um dia, mas ficam desapontados ao descobrirem que ele se tornou uma pessoa fria e rígida. Suzette e Jacques também se mostram finalmente alarmados com a mudança de personalidade do jovem tenor.

Após rejeitar uma proposta de casamento de Pepe, Suzette explica para Jacques que esteve apaixonada pelo jovem antes dele se tornar tão refinado, mas que agora não sente mais nada por ele. Quando Tina e Pierre vão embora de Nova Orleans, aborrecidos com o amigo, este percebe finalmente que mudou para pior. Assim, durante uma apresentação de Madame Butterfly, Pepe retoma seu verdadeiro e natural comportamento e, como conseqüência, fica pronto para reiniciar seu romance com Suzette.

imagem

Comentários

“Quando Eu Te Amei” é um bom musical do início dos anos 50. Realizado pelo cineasta Norman Taurog, sua trama gira em torno de um pescador que vive no sul da Louisiana e que, ao ser descoberto por um diretor da Ópera de Nova Orleans, deixa a vila onde mora para tentar o sucesso como tenor da referida Ópera, ocasião em que se apaixona por uma jovem soprano.

Embora não possa ser comparado aos grandes musicais de Hollywood, o filme é um bom passatempo, leve, alegre, que merece ser visto principalmente por aqueles que adoram óperas e/ou fãs do grande tenor Mario Lanza.

Na direção, Taurog realiza um bom trabalho. Como musical, um dos pontos que merecem ser destacados é aquele referente à sua trilha sonora. Além de “Be My Love”, canção indicada ao Oscar, o filme é repleto de grandes músicas, a maior parte trechos de conhecidas óperas como, por exemplo, “Che Gelida Manina”, da ópera “La Bohème” de Giacomo Puccini, “La Fleur Que Tu M’avais Jetée”, da ópera “Carmen” de Georges Bizet, e “Celeste Aida”, da ópera “Aida” de Giuseppe Verdi.

No elenco, o melhor desempenho é o de David NIven. Com exceção de Kathryn Grayson, que não está tão bem como era de se esperar, os demais atores do elenco principal nos brindam com um trabalho razoavelmente bom.

CAA