Filmes por gênero

CORPO EM EVIDÊNCIA (1993)

Body of evidence
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Madonna, corpo de delito (Portugal)
Body (França)
Body of Evidence - Il corpo del reato (Itália)
El cuerpo del delito (Espanha, México, Argentina)
Älska till döds (Suécia)
Klædt af til mord (Dinamarca)
Sidla milosci (Polônia)
Тело как улика (Rússia)
Pais: Alemanha, Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance, Suspense
Direção: Uli Edel
Roteiro: Brad Mirman
Produção: Dino De Laurentiis, Martin Moszkowicz
Design Produção: Victoria Paul
Música Original: Graeme Revell
Direção Musical: Stuart Boros
Fotografia: Douglas Milsome
Edição: Thom Noble
Direção de Arte: Michael Rizzo
Figurino: Susan Becker
Guarda-Roupa: Violet Cane, Mary Hobin, C. Lawrence, Pamela Withers
Maquiagem: Joseph A. Campayno, Deborah K. Larsen, Pat Gerhardt
Efeitos Sonoros: Sandy Gendler, Val Kuklowsky, Dennis Hill e outros
Efeitos Especiais: Joe Quinlivan, Robert Worthington, Dale Martin
Nota: 5.7
Filme Assistido em: 1994

Elenco

Madonna Rebecca Carlson
Willem Dafoe Frank Dulaney
Joe Mantegna Robert Garrett
Anne Archer Joanne Braslow
Michael Forest Andrew Marsh
Charles Hallahan Dr. McCurdy
Julianne Moore Sharon Dulaney
Jürgen Prochnow Dr. Alan Paley
Frank Langella Jeffrey Roston
Mark Rolston Detetive Reese
Richard Riehle Detetive Griffin
Lillian Lehman Juíza Burnham
Aaron Corcoran Michael Dulaney
Corey Brunish Jamie
Stan Shaw Charles Biggs
John Davis Chandler Dr. Novaro
Frank Roberts Padre
Mark C. Vincent Repórter
Ross Huffman-Kerr Fotógrafo
Peter Paul Eastman 1º Jurado
John Busse Detetive Sikes
Ryal Haakenson Jurado
William Rossman Jurado

Prêmios

Prêmios Razzie, Los Angeles, California, Estados Unidos

Prêmio Razzie de Pior Atriz (Madonna)

Indicações

Fantasporto, Cidade do Porto, Portugal

Prêmio Internacional de Melhor Filme de Fantasia (Uli Edel)

Prêmios Razzie, Los Angeles, California, Estados Unidos

Prêmio Razzie de Pior Filme (Dino De Laurentiis)

Prêmio Razzie de Pior Ator (Willem Dafoe)

Prêmio Razzie de Pior Atriz Coadjuvante (Anne Archer)

Prêmio Razzie de Pior Direção (Uli Edel)

Prêmio Razzie de Pior Roteiro (Brad Mirman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O milionário Andrew Marsh morre em sua luxuosa mansão, após sofrer uma parada cardíaca.  Ao ser feita a autópsia, a polícia descobre que ele havia ingerido uma mistura de água com cocaína.

Considerada suspeita, Rebecca Carlson, uma jovem muito atraente, proprietária de uma Galeria de Arte e amante de Andrew, comparece a uma audiência com o promotor público, Robert Garrett, onde afirma que eles não usaram cocaína.  De qualquer forma, Garrett dá ordem de prisão pelo fato do morto ter deixado US$ 8 milhões para ela em seu testamento.  Frank Dulaney, seu advogado, consegue soltá-la sob fiança.

Ao ser ouvida por Garrett, Joanne Braslow, secretária de Andrew há seis anos, afirma que sua ligação com o patrão sempre foi puramente profissional, bem como, que vira Rebecca manuseando cocaína no toalete.  Quando Frank lhe fala da colocação feita pela Srta. Braslow, Rebecca reafirma que não toca em cocaína desde os 17 anos.  Ela o leva até o Dr. Novaro, a quem pede seu remédio.  O mesmo tem realmente a aparência de cocaína, mas é um produto usado para cólicas provocadas por dismenorréia.

Começado o julgamento, Dr. McCurdy, responsável pela autópsia, afirma que Andrew não usou cocaína em pó, uma vez que suas mucosas nasais achavam-se preservadas.  Segundo ele, os resíduos encontrados em seu corpo saíram de uma solução encontrada num spray nasal.

Chamado a depor, Dr. Alan Paley, clínico de um Pronto-Socorro, afirma ter atendido Andrew na emergência, quando o mesmo apresentou um quadro de intoxicação por cocaína, oportunidade em que o paciente afirmou que aquela teria sido sua primeira e última experiência com a droga.

Em seu depoimento, a Srta. Braslow reafirma ter visto Rebecca manusear cocaína.  Perguntada se foi paciente do Centro de Toxicômanos Mount Hood, responde que sim e que na época era viciada em cocaína.

Quando o tribunal encerra suas atividades do dia, Frank leva Rebecca até a casa desta, onde os dois terminam na cama.

Num 2º depoimento, ao ser perguntado se saíra com Rebecca, Dr. Paley afirma que sim.  Na oportunidade, a defesa apresenta uma prova de que ele a ameaçara de falso testemunho, caso ela se negasse a sair com ele.

Chamado a depor, o milionário Jeffrey Roston afirma ter sido amante de Rebecca e que, apaixonado, mudara seu testamento de modo a beneficiá-la em caso de sua morte.  Afirma ainda que, após ter-se submetido a uma cirurgia cardíaca, para afastar o risco de vida em que se encontrava, Rebecca afastou-se de sua vida.

Cada vez mais obcecado por sua cliente, Frank faz amor com ela em pleno estacionamento do Fórum.  Sharon, sua esposa, descobre sua infidelidade e o expulsa de casa.

Quando a defesa descobre uma fita onde a Srta. Braslow aparece nua, na cama com Andrew, o advogado a convoca para um novo depoimento.  Na ocasião, ela confirma que o amava.  Perguntada se era beneficiária do testamento de Andrew, afirma que, inicialmente, era contemplada com US$ 250 mil, valor reduzido para US$ 10 mil após Rebecca ter entrado para a vida do patrão.

Rebecca pede a Frank para depor.  Na ocasião, afirma que, na noite da morte de Andrew, os dois estiveram num restaurante, voltando cedo para casa;  uma vez lá, fizeram amor, após o que ela foi para sua casa, deixando-o muito bem.  Afirma ainda que soube de sua morte no dia seguinte, bem como, do testamento, vários dias depois através de seu advogado.  Ao lhe perguntarem sobre o por que dela ter-se afastado do Sr. Roston logo após ele ter afastado o risco de vida em que se achava, devido a seus problemas cardíacos, ela responde que seu afastamento deveu-se ao fato de o ter flagrado na cama com um outro homem.  Na platéia, Roston confirma o fato e se retira.

Os jurados se reúnem para darem o veredicto e, ao retornarem, consideram Rebecca inocente.  Horas mais tarde, Frank vai à casa dela, onde entra sem ser visto.  Próximo à cozinha, ouve Rebecca discutindo com o Dr. Paley.  Da discussão, depreende que Rebecca e Paley são amantes, bem como, que ele, na condição de clínico, indicara Andrew como o homem ideal para seus planos pois, além de milionário, era cardíaco e susceptível aos efeitos da cocaína.

Sentindo que, uma vez inocentada, Rebecca pretende descartá-lo, ele a agride, ela puxa uma arma, os dois lutam e terminam ambos mortos.  Quando Garrett chega ao local do duplo homicídio, Frank comenta que ele é quem deveria ter ganho a causa.  O promotor olha para o advogado e afirma que não tem dúvidas de que fora o vencedor.

imagem

Comentários

"Corpo em Evidência" é um filme muito fraco.  Realizado pelo cineasta Uli Edel, coloca como questão central se a amante de um milionário cardíaco teria ou não usado o seu próprio corpo como uma verdadeira arma letal, já que era a principal beneficiária de seu testamento.

Do ponto de vista técnico, não há nada a destacar, a não ser dizer que o roteiro de Brad Mirman talvez seja um dos piores aspectos do filme.

Madonna, sem dúvida, foi um dos grandes ícones femininos do século XX mas, como atriz, é muito fraquinha.  São várias as vezes em que ela se apresenta em cenas de sexo, como se toda a trama fosse apenas um pano de fundo para evidenciar seu corpo nu.  No elenco, Joe Mantegna e Willem Dafoe são as melhoras presenças.  Bons atores como Jürgen Prochnow , Julianne Moore, Anne Archer e Frank Langella são totalmente desperdiçados nessa medíocre produção de 1993.

CAA