Filmes por gênero

OS DOIS MUNDOS DE CHARLY (1968)

Charly
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: I due mondi di charly (Itália)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Ficção Científica
Direção: Ralph Nelson
Roteiro: Stirling Silliphant
Produção: Ralph Nelson
Design Produção: John DeCuir, Charles Rosen
Música Original: Ravi Shankar
Fotografia: Arthur J. Ornitz
Edição: Fredric Steinkamp
Direção de Arte: Charles Rosen
Figurino: Hazel Roy
Maquiagem: Vin Kehoe
Efeitos Sonoros: Jim Shields, Clem Portman
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 2008

Elenco

Cliff Robertson Charly Gordon
Claire Bloom Alice Kinian
Lilia Skala Dra. Anna Straus
Leon Janney Dr. Richard Nemur
Ruth White Sra. Apple
Dick Van Patten Bert
Edward McNally Gimpy
Barney Martin Hank
William Dwyer Joey
Dan Morgan Paddy
Leon Collins Sapateador
Frank Dolan Eddie

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Cliff Robertson)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro

Indicações

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Ralph Nelson)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Cliff Robertson)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Charly Gordon é um adulto mentalmente retardado. Ele gosta de brincar no parque infantil com outras crianças. Na escola, sua professora, Alice Kinian, pede-lhe para ir a uma determinada Universidade. Uma vez lá, enquanto Alice o submete a alguns testes de lógica, dois cientistas o observam por trás de um espelho de duas vias.

Charly trabalha numa padaria como faxineiro. Lá, ele é alvo de piadas de mau gosto feitas por seus colegas de trabalho, liderados por Gimpy. Sua condição mental, no entanto, faz com que não perceba ser ele o alvo das tais piadas.

No dia seguinte, Alice leva Charly de volta ao Laboratório, onde ele corre contra um rato, Algernon, em um labirinto. Algernon é o vitorioso, o que deixa Charly desanimado. Em seguida, Alice o leva para casa, onde pede-lhe para ver o apartamento dele, por sinal muito simples. Ela comenta que Algernon ficou esperto depois de ter sido operado e lhe pergunta se ele gostaria de ser submetido à mesma cirurgia. Depois que ele concorda com a operação, Alice discute suas qualificações com os médicos Dra. Anna Straus e Dr. Richard Nemur. Em princípio, estes se mostram céticos, mas Alice termina por convencê-los a tentarem a cirurgia em Charly.

Enquanto isso, seus colegas Gimpy, Joey e Hank o levam ao Bar de Paddy, onde começam com suas costumeiras brincadeiras de mau gosto, deixando-o deprimido. Em seguida, ele vai ao Parque onde Alice o encontra e lhe comunica sobre a aprovação da cirurgia. Contente, ele brinca nos balanços do Parque.

No dia seguinte, Charly submete-se à operação. Quando acorda, ele não se mostra mais inteligente e, dias depois, ao concorrer com Algernon no teste do labirinto, continua a ser o perdedor. Ao retornar a seu apartamento, verifica que o rato foi deixado em seu quarto.

Aos poucos, entretanto, Charly começa a apresentar melhoras em seu comportamento, chegando a bater Algernon no teste do labirinto. Alice continua a ensiná-lo e ele termina por se apaixonar pela professora. Com o tempo, ele passa a se dedicar a estudos mais avançados, seus colegas tentam enganá-lo, mas ele agora se mostra tão inteligente quanto eles. Charly começa a notar que Alice é uma mulher, o que a deixa desconfortável a ponto de pedir à Dra. Straus que a tire do programa.

O amadurecimento de Charly continua e ele é demitido da padaria, pois seus antigos colegas já não o querem por perto. Alice explica que o crescimento pode ser doloroso. Dr. Nemur procura colocá-lo em tarefas cada vez mais difíceis, mas a Dra. Straus acha que, primeiramente, ele precisa alcançar um maior amadurecimento emocional. Charly segue Alice e seu noivo até a casa dela, onde tenta estruprar o noivo. Ela grita com ele, chamando-o de um estúpido débil mental.

Charly começa a viver de modo imprudente, a andar de moto, a fumar e a participar de festas. Certa vez, ao retornar para casa, encontra Alice a aguardá-lo. Os dois começam um romance e ele a pede em casamento. Em seguida, têm umas férias maravilhosas e retornam para participarem de um seminário sobre o efeito “Algernon-Gordon”. Os médicos Dr. Nemur e Dra. Straus apresentam vídeos dos testes aos quais Charly fora submetido, enquanto este os observa dos bastidores. Logo depois, Charly entra no palco e responde a diversas perguntas que lhe são feitas. Em seguida, ele vira-se para a plateia e pergunta o que vai ser dele. Ninguém responde. Ele então afirma que vai voltar a ser o que era, uma vez que descobriu que a cirurgia a que se submeteu  tem ação apenas temporária. Logo depois, deixa repentinamente o seminário.

Na rua, ele acaba entrando em um Bar, onde um garçom mentalmente retardado é vítima de piadas e bricadeiras de mau gosto, por parte dos clientes. Os médicos e Alice discutem sobre o que fazer com Charly. Este se oferece para usar sua vasta inteligência em ações que possam ajudar outras pessoas. Pouco depois, entretanto, ele começa a ter bloqueios mentais. Alice o pede em casamento, mas ele roga-lhe que o deixe.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro de Daniel Keyes “Flowers for Algernon”, “Os Dois Mundos de Charly” é um ótimo drama realizado pelo cineasta Ralph Nelson. Sua trama gira em torno de um adulto mentalmente retardado que é submetido a uma cirurgia cerebral, por dois eminentes médicos cientistas, na esperança de que ele venha a se tornar uma pessoa dotada de um alto gráu de inteligência.

Nelson realiza um belo trabalho na direção, no que é ajudado pelo ótimo roteiro assinado por Stirling Silliphant e pelas magníficas atuações Cliff Robertson e Claire Bloom.

Na área técnica, merece ainda ser mencionada a excelente trilha sonora assinada por Ravi Shankar.

CAA