Filmes por gênero

A GRANDE TESTEMUNHA (1966)

Au Hasard Balthazar
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Min vän Balthazar (Suécia)
Peregrinação exemplar (Portugal)
Al azar, Baltasar (Espanha)
Zum Beispiel Balthasar (Alemanha)
Hvad med Balthazar? (Dinamarca)
Balthazar (Finlândia)
Pais: França, Suécia
Gênero: Drama
Direção: Robert Bresson
Roteiro: Robert Bresson
Produção: Mag Bodard
Design Produção: Pierre Charbonnier
Música Original: Jean Wiener
Fotografia: Ghislain Cloquet
Edição: Raymond Lamy
Efeitos Sonoros: Antoine Archimbaud, Jacques Carrère, Jean-Joël Barbier
Nota: 9.4
Filme Assistido em: 2008

Elenco

Anne Wiazemsky Marie
Walter Green Jacques
François Lafarge Gérard
Jean-Claude Guilbert Arnold
Philippe Asselin Pai de Marie
Nathalie Joyaut Mãe de Marie
Marie-Claire Fremont Mulher do padeiro
Jean-Joël Barbier Padre
François Sullerot Padeiro
Jacques Sorbets Oficial de Polícia
Tord Paag Louis
Jean Rémignard Notário

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio OCIC (Robert Bresson)

Prêmio San Giorgio (Robert Bresson)

Prêmio Cinema Novo (Robert Bresson)

Sindicato Francês dos Críticos de Cinema, França

Prêmio da Crítica de Melhor Filme (Robert Bresson)

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Robert Bresson)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Jacques e Marie, duas crianças que passam o verão juntos numa cidade francesa próxima da Suiça, recebem, como presente, um burro recém-nascido e lhe dão o nome de Balthazar. Pouco tempo depois, o pai de Jacques muda-se com a família para Paris, confiando a administração de sua granja ao pai de Marie, um professor do local.

Anos mais tarde, Balthazar, que havia sido devolvido ao proprietário original, com quem passou a ter uma vida muito sofrida, foge e consegue pegar o caminho de volta até a granja. Marie, agora com 16 anos, adora sua volta. Seu pai mantém o burro para puxar sua carroça. No entanto, Balthazar finalmente é vendido para o padeiro da aldeia.

Jacques retorna à granja face a uma ação judicial impetrada por seu pai contra o de Marie, por este não administrar o imóvel através de métodos modernos, como prometido. Ele diz ao pai da jovem que se encontra ali para resolver o assunto, mas por uma questão de orgulho, este não se mostra interessado numa negociação, sendo até duramente criticado pela esposa que vê de bom grado as intenções do jovem. Antes de retornar à Paris, Jacques volta a declarar seu amor pela garota de sua infância. Marie, no entanto, mostra-se indecisa e lhe diz que não se sente segura em relação ao seu amor por ele.

Gérard, líder de uma gangue de delinquentes juvenis e entregador de pães da padaria, começa  a dar em cima de Marie, tentando algumas intimidades no primeiro encontro, sem sucesso. Numa segunda oportunidade, ele tenta encontrar-se às escondidas na casa dela, mas o pai da jovem o vê e o manda embora. Não desistindo de ter Marie em suas mãos, ele passa a tratar Balthazar de forma muito cruel, pois sabe que a jovem fará qualquer coisa pelo bem-estar do animal.

Em casa, Gérard vive a roubar dinheiro dos pais. Sua mãe, que conhece bem o caráter do filho, o ameaça de tomar todos os presentes que já lhe deu, tais como sua moto e seu rádio, caso tome conhecimento de que ele voltou a se encontrar  com Marie. Pouco depois, ao receber uma intimação para que o filho compareça à Polícia, ela sugere que ele atravesse a fronteira durante a noite.

No entanto, em vez de seguir o conselho da mãe, Gérard prefere ficar na cidade, onde decide passar Balthazar em frente, desta vez para Arnold, um vagabundo e bêbado que passa a usar o animal como meio de transporte. Pouco tempo depois, entretanto, este o oferece ao proprietário de um circo, que o usa num de seus números. Certo dia, Arnold vai ao espetáculo e, no final do mesmo, consegue sair do circo com o burro. Por outro lado, graças ao testamento de um tio, ele toma posse de uma considerável fortuna.

Com a morte de Arnold, Balthazar é vendido para um comerciante de milho que não se preocupa com o bem-estar do animal, fazendo-o passar fome e expondo-o a trabalhos extremamente pesados. Não suportando tal meio de vida, Balthazar adoece e é levado de volta para a casa dos pais de Marie. Esta, no entanto, havia deixado a casa dos pais face à sua continuada relação com Gérard. Quando sua mãe lhe pergunta o que ela tanto vê naquele rapaz, Marie lhe responde: “Eu vivo com ele porque o amo. Se ele me pedisse, eu me mataria por ele”.

Entretanto, depois de se desentender com Gérard, Marie chega debaixo de chuva à casa do comerciante. Este, ao abrir a porta e vê-la totalmente enxarcada, sugere-lhe que volte para a casa dos pais. Ela, no entanto, lhe diz: “Não posso e não quero. Não me ponha para fora, terminei com Gérard e só preciso de um canto pra ficar”.

Em seguida, o comeriante entrega-lhe uma toalha para que ela troque sua roupa enxarcada pela chuva, e lhe serve algo para comer. Depois de matar a fome, Marie é extremamente grosseira com o homem que a acolheu, chamando-o de velho miserável que tem a mania de esconder dinheiro nos sapatos. Ele se ausenta por um instante e volta com um maço de dinheiro para ela. No entanto, depois de receber uma bela lição de moral, Marie devolve-lhe o dinheiro e lhe diz que, na realidade, só precisa de um amigo com quem possa compartilhar suas alegrias e tristezas. O comerciante aceita sua proposta, ressaltando que espera compartilhar bem mais alegrias do que tristezas.

No dia seguinte, Marie chega inesperadamente à casa dos pais a fim de pegar alguns pertences. Coincidentemente, Jacques chega de Paris para ter mais uma conversa com os pais dela a respeito da situação da granja. Na oportunidade, os dois vão até um banco existente fora da casa, onde costumavam se encontrar quando crianças. Lá, sentados, Marie lhe diz que sempre sonhou com alguém como ele, honesto, e lhe pergunta se ele estaria disposto a desposá-la. Jacques responde-lhe que sim. Continuando, a jovem lhe pergunta se ele não sentiria vergonha dela, ao que Jacques lhe responde que não. Apesar das respostas sinceras do rapaz, ela lhe diz que infelizmente não tem coração nem sentimentos. Com relação às juras trocadas quando crianças, afirma que as mesmas eram de um mundo irreal. Em seguida, levanta-se e lhe diz que não pode voltar tarde, indo embora.

Ao descobrir onde Marie se refugiou depois do desentendimento que tiveram, Gérard vai até lá em companhia de seus amigos delinquentes. Ao encontrá-la, ele lhe dá uma surra, rasga sua roupas, deixando-a pelada. Por outro lado, inconsolados com a ausência da jovem, seu pai e Jacques saem à sua procura e a encontram nua, presa no local onde Gérard a havia deixado. Os dois a soltam e a trazem para casa.

No dia seguinte, quando Jacques volta a procurá-la, a mãe de Marie lhe informa que a filha havia ido embora, dizendo-lhe que não mais voltaria. O pai da jovem adoece e, antes de morrer, recebe a unção dos enfermos dada por um padre da localidade.

Enquanto isso, juntamente com seus amigos delinquentes, Gérard carrega Balthazar com mercadorias proibidas que pretendem contrabandear através da fronteira. No entanto, descobertos, são perseguidos e feridos pelos guardas aduaneiros, conseguindo no entanto fugir. Por outro lado, mortalmente ferido, Balthazar morre na encosta de uma colina no meio de um rebanho de ovelhas.

imagem imagem imagem imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido por um dos grandes mestres do cinema, Robert Bresson, “A Grande Testemunha” é um magnífico e inesquecível filme do cinema francês de meados do século passado. Através dessa incomparável obra-prima, Bresson procura passar ao espectador a crueldade da exploração humana contra os animais e contra outros seres humanos. Enquanto a trama vai sendo desenvolvida, o espectador vai acompanhando a vida do protagonista, um burro de nome Balthazar, enquanto ele sofre os mais diversos tipos de crueldade, ao passar de dono em dono, dentre os quais se acham um sádico, um bêbado, um delinquente.

A cena final que mostra a morte de Balthazar no meio de um rebanho de ovelhas é, simplesmente, inesquecível. Por outro lado, a fotografia em preto e branco, assinada por Ghislain Cloquet, é excepcional.

Enfim, “A Grande Testemunha” é sem a menor dúvida, um filme extraordinário, dramático, comovente, imperdível.

CAA