Filmes por gênero

A CARRUAGEM DE OURO (1952)

Le carrosse d'or
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La carrozza d'oro (Itália)
A comédia e a vida (Portugal)
The golden coach (Estados Unidos)
La carroza de oro (Espanha)
Die goldene karosse (Austria, Alemanha)
Guldkareten (Dinamarca)
Zlota karoca (Polônia)
Золотая карета (União Soviética)
Pais: França, Itália
Gênero: Comédia Dramática, Romance
Roteiro: Jean Renoir, Jack Kirkland, Renzo Avanzo, G. Doynel, Giulio Macchi
Produção: Francesco Alliata
Design Produção: Mario Chiari
Música Não Original: Antonio Vivaldi
Fotografia: Claude Renoir
Edição: David Hawkins
Figurino: Maria De Matteis
Efeitos Sonoros: Joseph de Bretagne, Ovidio del Grande
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1956

Elenco

Anna Magnani Camilla
Odoardo Spadaro Don Antonio
Nada Fiorelli Isabella
Dante Arlequin
Duncan Lamont Ferdinand, o Vice-Rei
George Higgins Martinez
Ralph Truman Duque de Castro
Gisella Mathews Marquesa Irene Altamirano
Jean Debucourt Bispo de Carmol
Raf De La Torre O procurador
Elena Altieri Duquesa de Castro
Paul Campbell Felipe
Riccardo Rioli Ramon, o Toreador
William Tubbs Estalajadeiro
Renato Chiantoni Capitão Fracasse
Fedo Keeling Visconde
Alfredo Kolner Florindo
Cecil Mathews O Barão
Alfredo Medini Polichinelo
Rino Dr. Balanzon
John Pasetti Capitão da Guarda
Giulio Tedeschi Balthazar, o Barbeiro
Maja Niles Nobre peruana

Prêmios

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Figurino (Maria De Matteis)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No século XVIII, o vice-rei de uma cidade peruana adquire uma magnífica carruagem de ouro na Europa. Ele decidiu pagá-la, utilizando fundos públicos, e presentear sua amante, a Marquesa Irene Altamirano, com a mesma. Por coincidência, a carruagem chega no mesmo navio que transporta uma trupe de artistas, da comédia italiana, composta de homens, mulheres e crianças que se apresentam como cantores, atores e acrobatas. O grupo é liderado por Don Antonio, que também interpreta o personagem de Pantaleão no palco e apresenta Camilla, que desempenha o papel de Colombina.

Apesar de não encontrarem um palco para se apresentar, os membros da trupe procuram recondicionar o teatro da cidade em ruínas, o que vem a ocorrer depois que o herói local, Ramon, um toureiro, se envolve com Camilla. Paralelamente, o vice-rei Ferdinand se sente atraído por ela e autoriza que a trupe se apresente em seu palácio. Num encontro, ele presenteia Camilla com um magnífico colar, provocando os ciúmes de sua amante. Por outro lado, Felipe, que tem acompanhado a trupe em suas viagens, e também é apaixonado por ela, provoca uma briga de bastidores e decide ir embora para se alistar no exército espanhol.

Não conseguindo conter sua paixão pela jovem, o vice-rei anuncia que decidiu pagar a carruagem de ouro com seu próprio dinheiro, como prova de seu amor. Tal fato faz com que a marquesa se sinta ultrajada, juntamente com o restante da nobreza, já que ele vive a pedir dinheiro para financiar as defesas militares contra diversos casos de insurgência. Liderados pelo Duque de Castro, eles ameaçam retirar Ferdinand do cargo de vice-rei, um ato que só pode ter sucesso se aprovado pelo Bispo de Carmol. Quando Ferdinand vacila diante dessa intimidação, Camilla o rejeita.

Depois de assistir a uma apresentação triunfante de Ramon na Praça de Touros, Camilla impetuosamente lhe dá seu colar e o incentiva a visitar seu alojamento naquela noite, propondo que se tornem um casal de celebridades, a fim de reforçar o seu poder como artista. Lá, ele encontra Felipe, que retornou do serviço no exército, espera conquistar Camilla e levá-la para viver uma vida simples entre os nativos. Enquanto os dois pretendentes lutam com espadas, o vice-rei chega para dizer à Camilla que desafiou a nobreza para lhe presentear com a carruagem de ouro. Ao ser questionado, ele admite que está aguardando a chegada, no dia seguinte, do Bispo de Carmol, que deverá resultar em sua deposição. Na ocasião, Felipe e Ramon são presos por duelarem em público.

Na manhã seguinte, tudo é resolvido quando Camilla presenteia o Bispo com a carruagem de ouro, num gesto de piedade. Na oportunidade, o Bispo anuncia seu plano de usar a carruagem para transportar os sacramentos aos doentes e moribundos camponeses, pedindo a todos que se reconciliem e vivam em paz. Na ocasião, Camilla afirma que seu grande e verdadeiro amor é e será sempre o teatro, quando ela se acha atuando no palco.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Jean Renoir, “A Carruagem de Ouro” é uma produção franco-italiana produzida em 1952. Sua trama é marcada por uma profunda humanidade e o talento de Renoir nos impressiona desde o primeiro momento.

Os diálogos são inteligentes, dentro de um roteiro muito bem estruturado. Merecem ainda ser destacados o belo figurino assinado por Maria De Matteisa, ganhadora do prêmio Fita de Prata concedido pelo Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema da Itália, a excelente fotografia a cargo de Claude Renoir, sobrinho do cineasta, e a maravilhosa música de Vivaldi. No elenco, Anna Magnani brilha no papel de Camilla.

Enfim, “A Carruagem de Ouro” é uma bela festa para os olhos e os ouvidos.

CAA