Filmes por gênero

CORRESPONDENTE ESTRANGEIRO (1940)

Foreign Correspondent
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Correspondente de guerra (Portugal)
Correspondant 17 (França)
Il prigioniero di Amsterdam (Itália)
Enviado especial (Espanha)
Corresponsal extranjero (Argentina, México)
Der Auslandskorrespondent (Austria, Alemanha)
Utrikeskorrespondenten (Suécia)
Udenrigskorrespondenten (Dinamarca)
Чуждeстранен кореспондент (Bulgária)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Guerra, Espionagem, Drama
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Charles Bennett, Joan Harrison
Produção: Walter Wanger
Música Original: Alfred Newman
Direção Musical: Alfred Newman
Fotografia: Rudolph Maté
Edição: Dorothy Spencer
Direção de Arte: Alexander Golitzen
Maquiagem: Norman Pringle
Efeitos Sonoros: Frank Maher
Efeitos Especiais: Lee Zavitz, Louis R. Loeffler, Paul Wtuliska
Efeitos Visuais: Paul Eagler, Ray Binger
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Joel McCrea Johnny Jones / Huntley Haverstock
Laraine Day Carol Fisher
Herbert Marshall Stephen Fisher
George Sanders Scott ffolliott
Albert Bassermann Van Meer
Robert Benchley Stebbins
Joan Leslie Irmã de Jones
Edmund Gwenn Rowley
Eduardo Ciannelli Sr. Krug
Harry Davenport Sr. Powers
Frances Carson Sra. Sprague
Ian Wolfe Stiles
Charles Wagenheim Assassino
Charles Halton Bradley
Barbara Pepper Dorine
Emory Parnell Capt. John Martin
Roy Gordon Sr. Brood
Gertrude Hoffman Sra. Benson
Leonard Mudie McKenna
Ferris Taylor Pai de Jones
Edward Conrad Latvian
Rebecca Bohannen Sophie
Louis Borel Capt. Lawson
Helena Phillips Evans Sra. Stiles
Paul Irving Dr. Williamson
Jane Novak Srta. Benson
Jack Rice Donald
Dorothy Vaughan Mãe de Jones
Alfred Hitchcock Homem com jornal na rua

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Roteiro Original (Charles Bennett, Joan Harrison)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Albert Bassermann)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Rudolph Maté )

Oscar de Melhor Direção de Arte (Alexander Golitzen)

Oscar de Melhores Efeitos Especiais (Thomas T. Moulton, Paul Eagler)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1939, pouco antes de estourar a 2ª Guerra Mundial, Johnny Jones, repórter criminal do jornal "The Globe" de Nova York, é transferido para Londres a fim de trabalhar como correspondente estrangeiro.  Seu chefe, Sr. Powers, providencia para que todos os seus documentos sejam expedidos em nome de Huntley Haverstock.

Uma vez na Inglaterra, sua primeira missão é a de tentar descobrir para o jornal, os termos de um tratado de paz secreto firmado por um diplomata holandês, Van Meer, com a Bélgica.  Assim, logo no dia seguinte, comparece a um almoço promovido pela "Sociedade para a Paz e o Entendimento" em homenagem ao diplomata.  Durante o almoço, entretanto, o presidente da Sociedade, Sr. Stephen Fisher, comunica aos presentes que, infelizmente, o homenageado não vai estar presente por ter se ausentado do País.  Na ocasião, o agora correspondente Haverstock conhece Carol, filha de Fisher, por quem se sente atraído.

De volta ao hotel, recebe um telegrama do Sr. Powers pedindo-lhe para que viaje imediatamente à Amsterdã, a fim de cobrir uma Conferência de Paz e fazer contato com Van Meer.  Uma vez no local, assiste quando um falso fotógrafo assassina o diplomata holandês.  Juntamente com o agente secreto britânico, Scott ffolliott, e Carol, Haverstock persegue o assassino até uma zona rural, onde o fugitivo desaparece misteriosamente próximo a uns moinhos abandonados.

Haverstock pede que os dois procurem a polícia, enquanto ele vai tentar descobrir alguma coisa por ali.  Uma vez só, entra num dos moinhos onde descobre o carro utilizado, pelo assassino, além de um grupo de espiões.  Continuando sua busca, encontra Van Meer em uma pequena sala, meio sonolento, que lhe diz ter sido drogado e raptado, e que o homem assassinado era um sósia seu.  A aproximação de alguns dos espiões obriga Haverstock a fugir e a procurar ajuda.  Ao voltar em companhia de três policiais, entretanto, não encontra mais ninguém no moinho.

De volta ao hotel, em Amsterdã, Haverstock é perseguido por dois homens mas, com a ajuda de Carol, consegue retornar à Londres em sua companhia.  Ao chegar à casa de Fisher, é apresentado ao Sr. Krug que, para seu espanto, era o chefe dos espiões que encontrara no moinho, o que o leva a concluir que Fisher usa a "Sociedade para a Paz e o Entendimento" como fachada para encobrir um grupo criminoso.

Sem demonstrar sua descoberta, chama Fisher em particular a quem diz que Van Meer está vivo.  Após conversar com Krug, Fisher insiste para que Haverstock passe a andar em companhia de um segurança, após o que telefona para Rowley, chamando-o à sua casa.  Depois de receber instruções para assassinar Haverstock, Rowley sai acompanhando o repórter.  No caminho para o hotel, alegando que estão sendo seguidos, o criminoso sugere que eles entrem na Capela de Westminster a fim de despistarem os supostos perseguidores.  Já dentro da Capela, Rowley sugere que dêem um pulo até a torre a fim de Haverstock aproveitar a ocasião para admirar a vista da cidade lá do alto.  Ao tentar empurrar o correspondente para a morte, é Rowley quem termina despencando do alto da torre.

Ao saber que a Inglaterra vai declarar guerra à Alemanha, Fisher avisa à filha que os dois vão viajar no dia seguinte para os Estados Unidos.  Enquanto isso, Scott ffolliott descobre o cativeiro onde se encontra Van Meer.  A Scotland Yard é acionada.

No avião em que Fisher e Carol embarcam, encontram-se também Haverstock e ffolliott.  As ordens são para que Fisher seja preso no aeroporto de destino.  Com a guerra declarada, o avião, confundido com um bombardeiro, é atacado, obrigando os pilotos a descerem em pleno oceano.  No pouso de emergência, Fisher é um dos passageiros mortos.  Os sobreviventes, entre eles Carol,  Haverstock e ffolliott, são recolhidos por um navio americano.  A bordo, Haverstock ou Johnny Jones, telefona para a redação de seu jornal, em Nova York, apresentando o maior furo jornalístico da época.

Depois de Johnny e Carol trocarem juras de amor, o correspondente do "The Globe" continuou cobrindo a guerra na Europa a partir de Varsóvia, Copenhagen, Oslo e Londres.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseando-se inicialmente nas memórias autobiográficas de Vincent Sheen e contando com as ajudas dos roteiristas  Charles Bennett e Joan Harrison, Hitchcock reformulou a história, realizando mais um dos seus grandes sucessos.

A grande força de "Correspondente Estrangeiro" reside, em grande parte, à incrível habilidade narrativa e visão cinematográfica do grande mestre do suspense.  Adicionalmente, o filme nos brinda com a bela fotografia em preto-e-branco de Rudolph Maté e com um ótimo trabalho na área de efeitos especiais.

São inúmeros os grandes momentos desse thriller, dentre os quais acham-se as seqüências do assassinato do sósia de Van Meer, debaixo de chuva, com tomadas aéreas que nos permitem ver a área totalmente coberta por guarda-chuvas, ou as cenas de alto suspense no moinho, ou ainda os momentos que culminam com o acidente aéreo e o resgate dos sobreviventes.  Hitchcock mostra-se realmente atento a cada detalhe.

No elenco, os maiores destaques ficam por conta das magníficas atuações de Albert Bassermann e Herbert Marshall, seguidas pelo trabalho de Joel McCrea.

CAA