Filmes por gênero

CISNE NEGRO (2010)

Black Swan
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Le cygne noir (Canadá francês)
Il cigno nero (Itália)
El cisne negro (Argentina, Espanha, México, Peru)
Czarny labedz (Polônia)
Juodoji gulbe (Lituânia)
Must luik (Estônia)
Crni labud (Sérvia)
Fekete hattyú (Hungria)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Thriller Psicológico
Direção: Darren Aronofsky
Roteiro: Mark Heyman, Andres Heinz, John McLaughlin
Produção: Scott Franklin, Mike Medavoy, Arnold Messer, Brian Oliver
Design Produção: Thérèse DePrez
Música Original: Clint Mansell
Fotografia: Matthew Libatique
Edição: Andrew Weisblum
Direção de Arte: David Stein
Figurino: Amy Westcott
Guarda-Roupa: Jennifer Ingram, Kate Mulleavy
Maquiagem: Marjorie Durand, Todd Kleitsch, Chris Kelly e outros
Efeitos Sonoros: Craig Henighan, Brian Emrich, Steve Baine e outros
Efeitos Especiais: Roland Blancaflor, Conrad V. Brink Jr.
Efeitos Visuais: Dan Schrecker, Colleen Bachman, Christian Cardona
Nota: 9.0
Filme Assistido em: 2011

Elenco

Natalie Portman Nina Sayers
Mila Kunis Lily
Vincent Cassel Thomas Leroy
Barbara Hershey Erica Sayers
Winona Ryder Beth Macintyre
Benjamin Millepied David
Ksenia Solo Veronica
Kristina Anapau Galina
Janet Montgomery Madeline
Sebastian Stan Andrew
Toby Hemingway Tom
Sergio Torrado Sergio
Mark Margolis Sr. Fithian
Tina Sloan Sra. Fithian
Shaun O'Hagan Sebastian
Stanley Herman Tio Hank
Christopher Gartin Waiter Scott
Leslie Lyles Enfermeira

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Natalie Portman)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Academia Argentina de Cinema, Artes e Ciências, Buenos Aires

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Horror, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mila Kunis)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique )

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Marcello Mastroianni (Mila Kunis )

Associação dos Críticos de Cinema de Austin, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique )

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmios Blue Ribbon

Blue Ribbon de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Boston

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Edição (Andrew Weisblum )

Associação dos Críticos de Cinema de Ohio, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora Original (Clint Mansell )

Sociedade dos Críticos de Cinema de Denver, Colorado, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Círculo dos Críticos de Cinema da Flórida, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Associação dos Jornalistas Críticos de Cinema de Indiana, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmios dos Críticos de Cinema de Iowa, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Las Vegas

Prêmio Sierra de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio Sierra de Melhor Direção de Arte (David Stein )

Prêmio Sierra de 3º Melhor Filme

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Círculo dos Críticos de Cinema de Oklahoma, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mila Kunis)

Prêmio de 3º Melhor Filme

Prêmios Rembrandt, Holanda

Rembrandt de Melhor Atriz Internacional (Natalie Portman)

Festival de Cinema do SESC, Brasil

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Natalie Portman)

Sociedade dos Críticos de Cinema de San Diego, USA

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Associação de Críticos de Cinema de San Francisco

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de 2ª Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Associação dos Críticos de Cinema de Utah, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Phoenix, Arizona, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Oscar de Melhor Filme (Mike Medavoy, Brian Oliver, Scott Franklin)

Oscar de Melhor Fotografia (Matthew Libatique )

Oscar de Melhor Edição (Andrew Weisblum)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio David Lean de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Barbara Hershey)

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Design de Produção (Thérèse DePrez, Tora Peterson )

Prêmio de Melhor Figurino (Amy Westcott)

Prêmio de Melhores Efeitos Visuais Especiais (Dan Schrecker, Brad Kalinoski, Henrik Fett, LOOK! Effects)

Prêmio de Melhores Efeitos Sonoros (Craig Henighan, Ken Ishii, Dominick Tavella)

Prêmio de Melhor Maquiagem/Cabeleireiro (Judy Chin, Geordie Sheffer)

Prêmio de Melhor Filme (Mike Medavoy, Brian Oliver, Scott Franklin)

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Prêmio de Melhor Edição (Andrew Weisblum)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mila Kunis )

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Filme do Ano

Prêmio Atriz do Ano (Natalie Portman)

Prêmio Diretor do Ano (Darren Aronofsky)

Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Horror, USA

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Roteiro (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Filme de Horror/Suspense

Prêmios Amanda - Festival de Haugesund, Noruega

Amanda de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Academia Japonesa de Cinema, Japão

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Americano (Darren Aronofsky)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Boston

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Associação dos Críticos de Cinema de Ohio, USA

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique )

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Clint Mansell)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Barbara Hershey)

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Andres Heinz, John J. McLaughlin, Mark Heyman)

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Diretor (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique )

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme Estrangeiro (Darren Aronofsky)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Denver, Colorado, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Trilha Sonora Original (Clint Mansell)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Darren Aronofsky)

Prêmios Empire, Reino Unido

Prêmio Empire de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio Empire de Melhor Filme de Suspense

Prêmios Gotham, New York

Prêmio de Melhor Filme (Darren Aronofsky, Scott Franklin, Mike Medavoy, Arnold Messer, Brian Oliver)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Trilha Sonora para Mídia Visual (Clint Mansell)

Associação dos Jornalistas Críticos de Cinema de Indiana, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor Não Europeu (Darren Aronofsky)

Prêmios Júpiter, Alemanha

Prêmio Júpiter de Melhor Atriz Internacional (Natalie Portman)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Las Vegas

Prêmio Sierra de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio Sierra de Melhor Atriz Coadjuvante (Mila Kunis)

Prêmio Sierra de Melhor Figurino (Kate Mulleavy, Laura Mulleavy, Amy Westcott)

Prêmio Sierra de Melhor Roteiro (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio Sierra de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Prêmio Sierra de Melhor Edição (Kristina Boden, Andrew Weisblum)

Prêmio Sierra de Melhor Trilha Sonora (Clint Mansell)

Festival Robert de Copenhague, Dinamarca

Robert de Melhor Filme Americano (Darren Aronofsky)

Sociedade dos Críticos de Cinema de San Diego, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Prêmio de Melhor Edição (Andrew Weisblum)

Prêmio de Melhor Design de Produção (Thérèse DePrez)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Clint Mansell)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Satellite de Melhor Atriz em um Drama (Natalie Portman)

Prêmio Satellite de Melhor Figurino (Amy Westcott)

Prêmio Satellite de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio Satellite de Melhor Trilha Sonora (Clint Mansell)

Prêmio Satellite de Melhor Direção de Arte/Design de Produção (David Stein, Thérèse DePrez)

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Barbara Hershey)

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Música (Clint Mansell)

Associação dos Críticos de Cinema de Toronto, Canadá

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Círculo dos Críticos de Cinema de Vancouver, Canadá

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Darren Aronofsky)

Associação dos Críticos de Cinema de Washington DC

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin )

Prêmio de Melhor Direção de Arte

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Clint Mansell)

Prêmio de Melhor Direção (Darren Aronofsky)

Prêmio de Melhor Atriz (Natalie Portman)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Associação dos Críticos de Cinema de Utah, USA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mila Kunis)

Prêmio de Melhor Fotografia (Matthew Libatique)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Phoenix, Arizona, USA

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Mark Heyman, Andres Heinz, John J. McLaughlin)

Prêmio de Melhor Edição (Andrew Weisblum)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Nina Sayers, uma jovem bailarina de 20 e poucos anos, dança o prólogo de “O Lago dos Cisnes”, um balé em que uma princesa se transforma em Cisne Branco e que só pode voltar ao estado inicial, se um homem jurar fidelidade eterna a ela. Na medida em que Nina dança no papel da princesa, o mágico aparece e coloca a maldição sobre a princesa. Nina então acorda em seu apartamento, tendo a seqüência de dança sido apenas um sonho. Ela começa seu alongamento diário, falando à mãe sobre o sonho, enquanto esta não lhe dá atenção. Ela comenta ainda que o diretor de sua companhia de balé, Thomas Leroy, prometeu-lhe aproveitá-la mais nesta nova temporada.

Nina vai ao estúdio, onde toma conhecimento que a bailarina principal está sendo afastada, devido à sua idade ser superior a 40 anos. Como resultado, Thomas está procurando um novo rosto para substituí-la. Ele anuncia a todos que a primeira apresentação da temporada será uma reedição de “O Lago dos Cisnes.

Mais tarde, testes são realizados para encontrar a substituta de Beth como a Princesa Cisne. Nina dança o Cisne Branco impecavelmente e, em seguida, Thomas lhe pede para dançar o Cisne Negro. Quando ela começa a dançar, é interrompida pela chegada tardia da nova bailarina, Lily. De qualquer forma, Thomas não se mostra impressionado com seu desempenho, afirmando que ela falhou ao tentar captar a sensualidade do Cisne Negro.

Nina vai para casa, onde desaba em lágrimas. Em seguida, passa a praticar sua dança até o ponto em que machuca um de seus dedos do pé. No dia seguinte, procura Thomas em seu escritório e lhe diz que terminou a dança “Cisne Negro”, em casa, e que deseja o papel. Ele lhe responde que decidiu dar o papel a outra bailarina, Veronica. Um pouco decepcionada, ela diz 'ok' e se prepara para sair, quando ele a beija apaixonadamente. Irritada com esse avanço indesejado, Nina morde o lábio dele e sai correndo do seu gabinete, o que tanto impressiona Thomas.

Thomas anuncia oficialmente a "aposentadoria" de Beth e a ascensão de Nina ao posto de Rainha dos Cisnes. Tal anúncio, por outro lado, provoca ciúmes em algumas bailarinas, principalmente em Lily e Beth. Esta, com o rímel preto escorrendo pelo rosto, pergunta à Nina se, para ganhar o papel, ela teve que chupar o pau de Thomas. Ofendida, a jovem responde que nem todo mundo precisa recorrer a atos como esse. Beth continua a ofendê-la até que Thomas aparece e se retira em companhia de Nina. O dois vão até a casa dele, onde Thomas lhe pergunta se ela é virgem, se gosta de fazer sexo, deixando-a desconfortável. Finalmente, ele lhe diz que, para melhor desempenhar o seu papel, como bailarina, ela precisa descobrir sua sexualidade, passando-lhe então um dever de casa: procurar masturbar-se.

Na manhã seguinte, ao acordar, Nina começa a se tocar, conforme sugerido por Thomas, chegando ao orgasmo. Mais tarde, já no estúdio, toma conhecimento que Beth foi atropelada e que se acha hospitalizada. Thomas, entretanto, acredita que a bailarina se jogou contra o tráfego, numa tentativa de suicídio. Nina vai até o hospital, onde a encontra sedada.

Ao voltar a ensaiar, ela continua a ter dificuldades com seu desempenho. Desapontado, Thomas espera que todos saiam para ser seu parceiro. Enquanto dançam, ele move lentamente suas mãos por sob as coxas dela, tocando-a. Depois de um longo beijo, ela se mostra completamente seduzida. Ele se afasta dizendo-lhe que a seduziu, mas que, na verdade, o que queria era vê-la seduzindo sua dança.

Lily procura fazer intriga de Nina junto a Thomas, bem como a fazer de tudo para que a bailarina perca o papel de Princesa Cisne. No dia seguinte, por exemplo, irritado, Thomas lhe procura para dizer-lhe que Lily a viu chorando e reclamando que ele estaria pegando pesado, sugerindo que ela se afaste por um, dois dias, ou mesmo um mês. À noite, já em casa, quando se prepara para descansar, Nina é surpreendida quando Lily bate à sua porta. Depois de pedir-lhe desculpas pelo embaraço causado, Lily a convida para saírem juntas. Embora sua mãe seja contra a idéia, Nina termina atendendo ao convite de Lily.

As duas vão a um Bar, onde Lily a dopa, colocando comprimidos em sua bebida. Já de madrugada, ainda sem se sentir completamente lúcida, Nina volta para casa ainda em companhia de Lily. Uma vez lá, as duas vão para o seu quarto onde, depois de se beijarem apaixonadamente, Lily a despe e, rasgando-lhe a calcinha, começa a fazer-lhe sexo oral.

Na manhã seguinte, ao acordar com uma dor de cabeça de ressaca, Nina não encontra Lily e percebe que se acha atrasada para o ensaio. Ao chegar ao estúdio, encontra Lily dançando com o resto do grupo, fazendo o seu papel e usando os seus trajes. No intervalo, ao ser questionada por Nina, Lily lhe diz que não esteve com ela em seu quarto, que passou a noite com Tom e que a última vez que a viu foi no Bar. Envergonhada, Nina se afasta sem saber se dormiu ou não com Lily.

Ao tomar conhecimento que Thomas colocou Lily como sua substituta, Nina o procura para pedir-lhe que não o faça, convencida de que Lily está tentando roubar o seu papel. Thomas lhe fala da necessidade de se ter uma substituta, lhe adverte que ela está ficando paranóica e lhe diz que a única pessoa a tentar sabotar Nina é ela própria. Naquela noite, após praticar sua dança com o pianista, ela ouve uns risos e, ao seguir o barulho, encontra Thomas fazendo sexo com Lily em cima de uma mesa de trabalho. Seus olhos enchem-se de lágrimas e ela corre para seu camarim.

Ao acordar no dia seguinte, Nina pergunta à mãe por que suas mãos acham-se cobertas. Esta lhe responde que é para evitar arranhões que ela vem fazendo em suas costas. De repente, a jovem percebe que está mais uma vez atrasada para o balé. Ao vê-la furiosa, sua mãe lhe diz que já avisou Thomas que ela não se acha bem e que não poderá ir dançar. Sem ouvir a mãe, ela bate a porta e segue para o teatro. Ao chegar lá, encontra Lily já vestida a conversar com Thomas, pronta para entrar no palco em seu lugar. Nina diz a ele que está preparada para a estréia daquela noite e se dirige ao seu camarim. Thomas a segue e lhe comunica que já instruiu Lily para ser a estrela da noite. Em resposta, ela lhe diz que se não entrar no palco, a Companhia vai ficar marcada pela polêmica, depois do incidente com Beth. Impressionado com sua audácia, Thomas lhe pede para se preparar.

Nina finalmente entra no palco e se mostra tão rígida e tímida como ocorria nos ensaios. Ao ver Lily flertando com um dos bailarinos, ela perde a concentração, o que faz com que o 1º bailarino a largue no centro do palco. No intervalo, ela culpa seu partner e se dirige ao camarim, onde encontra Lily a se maquiar em sua mesa. As duas lutam e, num determinado momento, Nina acredita ter matado sua rival. Assim, esconde o corpo de Lily no banheiro e, em seguida, se prepara para voltar ao palco, agora vestida e maquiada para interpretar o “Cisne Negro”.

Ao voltar ao palco, Nina se mostra outra pessoa, ao dançar com um abandono apaixonado. Tudo que Thomas vinha lhe pedindo nos ensaios, ela passa a exibir, começando a se transformar fisicamente em um cisne negro no palco. Ela dança como nunca e maravilhada, a platéia a aplaude de pé. Nina corre para fora do palco em direção Thomas e, na frente de todos, o beija apaixonadamente, após finalmente seduzi-lo com seus movimentos. No camarim, ao se preparar para o próximo ato, ela recebe a visita de Lily que a felicita pelo seu magistral desempenho. Confusa, ao verificar que não matara sua rival, Nina finalmente descobre que ela é quem se acha ferida no abdômen, de onde retira um caco de vidro. Apesar de estar sangrando, ela se veste para o ato final, como o Cisne Branco.

Este último ato marca definitivamente sua consagração. Na cena final, o Cisne Branco vai para o topo de uma grande estrutura a fim de cometer suicídio, o que faz com muita graça. Uma vez no topo, ela olha para baixo e, em seguida, cai para trás. Quando a cortina desce, Thomas fica radiante e apaixonado por Nina. Sorrindo, ele se ajoelha para felicitá-la, enquanto as bailarinas se reúnem em torno da estrela. Nina não fala, apenas sorri e escuta os elogios. Lily é a primeira a observar a imensa mancha de sangue se formando em seu traje branco. Alguém grita por socorro, enquanto Thomas lhe pergunta o que ela fez. Nina, calma e silenciosamente pronuncia: “Eu estava perfeita”. Enquanto a platéia continua a aplaudi-la e, cercada pelo seu grupo de dança, ela dá seu último suspiro.

imagem imagem imagem

Comentários

“Cisne Negro” é um thriller psicológico sobre uma bailarina mentalmente em desintegração, com várias seqüências de dança inesquecíveis. Com muito movimento, apresenta exatamente o tipo de relações que se espera de um mundo em que se vive sob alta pressão, onde só pode haver um vencedor. Realizado pelo cineasta Darren Aronofsky, o filme é um espetáculo impressionante sob os mais diversos aspectos, principalmente para os amantes do balé.

Além da ótima direção desenvolvida por seu realizador, “Cisne Negro” nos brinda com o excelente trabalho de câmera de Matthew Libatique, mostrando perfeitamente a natureza frenética da história, com a trilha sonora de Clint Mansell, reformulando algumas peças de Tchaikovsky, e com o intenso trabalho de coreografia.

Do ponto de vista negativo, chamou-me atenção o fato de várias cenas apresentadas não deixarem claro se as mesmas estão realmente acontecendo ou se são apenas frutos da imaginação de Nina. De menor importância, há ainda uma cena de lesbianismo completamente gratuita.

Como grande destaque do filme, acha-se Natalie Portman no papel principal. Tendo estreado no cinema aos 13 anos, no filme “O Profissional”, no qual procurou aprender o ofício de “matadora” para vingar a morte de um irmão, com “Cisne Negro” ela se impõe como uma atriz de múltiplas facetas, tão confortável em um drama, uma comédia ou um filme de ficção científica.

CAA