Filmes por gênero

ENCONTRO COM O PASSADO (2009)

Ne te retourne pas
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Não olhes para trás (Portugal)
Don't look back (USA, UK)
Schatten der vergangenheit (Alemanha)
Pais: França, Itália, Luxemburgo, Bélgica
Gênero: Drama, Thriller Psicológico
Direção: Marina de Van
Roteiro: Marina de Van, Jacques Akchoti
Produção: Patrick Sobelman
Design Produção: Véronique Sacrez
Música Original: Luc Rollinger
Fotografia: Dominique Colin
Edição: Mike Fromentin
Figurino: Magdalena Labuze
Guarda-Roupa: Gaia Calderone
Maquiagem: Jacqueline Hoogendijk, Dominique Colladant
Efeitos Sonoros: Thomas Gauder, Carlo Thoss, Marc Bastien
Efeitos Especiais: Fabrice Laroche, Arnaud Delannoy
Efeitos Visuais: Pascal Giroux
Nota: 7.4
Filme Assistido em: 2010

Elenco

Sophie Marceau Jeanne #1
Monica Bellucci Jeanne #2
Andrea Di Stefano Teo / Gianni
Thierry Neuvic Teo 2
Brigitte Catillon Nadia 1 / Valérie, mãe italiana
Sylvie Granotier Nadia 2
Myriam Muller Nadia, jovem
Augusto Zucchi Fabrizio
Giovanni Franzoni Enrico
Francesca Melucci Criança morena de 9 anos
Vittoria Meneganti Criança morena de 11 anos
Adrien de Van Psiquiatra
Lubomir Kovatchev Psicólogo
Serena d'Amato Donatella
Thomas De Araujo Jérémie, aos 8 anos
Lucas Preux Jérémie 2
Thais Fischer Léa, aos 6 anos
Chloé Béziat Lea 2
Daniel Plier Michael
Didier Flamand Robert
Frédéric Frenay Açougueiro
Frédéric Frenay Açougueiro
Colette Kieffer Sonia
Luciano Massimo Liccardi Guillaume
Mounir Noum Benjamin
Raoul Schlechter Garçom

Sinopse

Jeanne, autora de livros de ficção, decide produzir sua autobiografia a contragosto de seu editor, que prefere apostar no seu já conhecido gênero de ficção. Somado ao estresse causado pela discordância profissional, ela passa a ter constantes alucinações que, em alguns casos, aparece na forma de uma garota que, aparentemente, quer guiá-la para algum lugar ou avisá-la de algo importante. Ela também começa a notar que alguns móveis de seu apartamento foram trocados de lugar sem seu conhecimento, o que causa estranheza em seu marido e seus dois filhos, os quais lhe asseguram que tudo se encontra como sempre esteve.

Paralelamente a tudo isso, Jeanne passa a sentir que seu corpo sofre alterações, adquirindo formas distintas e que seu cabelo perde a clara tonalidade, dando lugar a viçosas madeixas negras. Tal tormento se agrava quando ela passa a não reconhecer mais sua família que, para ela, em nada lembram as pessoas com quem convivia. Depois de passar por uma consulta a um psiquiatra, que acredita em sua recuperação, ela pede ao seu devotado marido que a leve até a casa de sua mãe.

A mãe de Jeanne, viciada em jogos de cartas, sempre demonstrou ser seu porto seguro. Desta vez, no entanto, o acolhimento se mostra diferente: primeiramente, porque ela admite não gostar da forma como a filha a retrata em seu novo livro; mas, principalmente, pela insistência de Jeanne em saber detalhes de sua infância, já que só tem lembranças a partir de seus oito anos de idade. As duas discutem quando ela insiste que tem que encontrar suas lembranças. Descontrolada, sua mãe diz que já lhe contou o suficiente sobre o passado e que o mesmo é muito doloroso para se ir atrás dele.

Num dos quartos da casa, Jeanne encontra uma foto antiga e, ao mostrá-la à mãe, esta lhe diz que são elas duas e uma antiga amiga italiana. Furiosa, Jeanne a acusa de não ser sua mãe, pois a imagem que tem de sua mãe, na época em que era criança, é exatamente da mulher que ela lhe afirmara ser uma antiga amiga italiana. Sempre lhe conheci com o rosto dela, reafirma. Depois de pedir-lhe perdão, sua “mãe” sai e a deixa trancada no quarto.

Jeanne consegue fugir pela janela e, ao se encontrar com seu marido, lhe diz que precisa ficar alguns dias fora e lhe pede para confiar nela. Em seguida, viaja de trem para a pequena cidade da Itália onde havia morado quando criança.

Uma vez lá, descobre a casa e o restaurante da mulher, da foto, que ela acredita ser sua mãe. Ao procurá-la no restaurante, a tal senhora nega conhecer as pessoas da foto, mas a escritora sente que ela não está sendo sincera. Aproveitando uma oportunidade, Jeanne consegue entrar na casa contígua e, à medida que passa pelos seus cômodos, sente que aqueles ambientes lhe são familiares, principalmente no que tange à decoração e aos objetos que vai encontrando sobre os móveis. Assim, aos poucos, ela vai recuperando a memória que havia perdido no passado.

Dessa forma, ela toma consciência do terrível acidente de automóvel que sofrera quando criança, no qual perdera seu pai e sua memória. Lembra-se, ainda, de uma conversa que sua mãe adotiva, ou seja, aquela que ficou na França, tivera consigo na época: “Depois do acidente, você não reconheceu seus pais. Você perdeu a memória e se apegou tanto a mim que se tornou minha filha”.

Sentindo-se curada dos problemas que a trouxeram à Itália, ela pega um trem que a leva de volta à França, onde é recebida com festa pelo marido e seus dois filhos.

imagem imagem imagem

Comentários

Realizado pela cineasta francesa Marina de Van, “Encontro com o Passado” é um intrigante drama psicológico sobre uma escritora que, desejando escrever sua autobiografia, luta contra o fato de ter apagado da memória tudo o que viveu até os oito anos de idade.

Às vezes perturbador e de difícil compreensão, o filme exige uma atenção especial por parte do espectador, sob pena dele se perder na compreensão da trama. Os efeitos especiais utilizados na segunda metade do filme beiram a perfeição.

No elenco, Sophie Marceau e Monica Bellucci, duas grandes estrelas do cinema europeu, interpretam o mesmo personagem com muita categoria.

CAA