Filmes por gênero

ENTRE A MULHER E O DIABO (1950)

La Beauté du Diable
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La bellezza del diavolo (Itália)
O preço da juventude (Portugal)
La belleza del diablo (Espanha)
Der pakt mit dem teufel (Alemanha)
Beauty and the Devil (USA, UK)
Djävulens bländverk (Suécia)
De macht van de duivel (Holanda)
Urok szatana (Polônia)
Pais: França, Itália
Gênero: Drama, Fantasia
Direção: René Clair
Roteiro: René Clair, Armand Salacrou
Produção: Salvo D'Angelo
Música Original: Roman Vlad
Direção Musical: Roger Desormière
Fotografia: Michel Kelber
Edição: James Cuenet
Direção de Arte: Franco Lolli
Figurino: Mayo
Efeitos Sonoros: Robert Biard
Nota: 9.0
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Michel Simon Mefistófeles / Prof. Henri Faust, idoso
Gérard Philipe Henri Faust, jovem / Mefistófeles, jovem
Nicole Besnard Marguerite, jovem cigana
Simone Valère A Princesa
Carlo Ninchi O Príncipe
Raymond Cordy Antoine, mordomo do Prof. Faust
Tullio Carminati O Diplomata
Paolo Stoppa Oficial
Gaston Modot Cigano

Prêmios

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Ator Estrangeiro (Michel Simon)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Design de Produção (Aldo Tommasini, Léon Barsacq)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Trilha Sonora (Roman Vlad)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (França)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Numa Universidade, ocorre um evento para comemorar o 50º aniversário da entrada, naquela Casa, do eminente Prof. Henri Faust , um homem que viveu apenas para aprofundar e enriquecer o conhecimento humano. Sua vida sempre foi um exemplo para os estudantes e para o próprio corpo docente.

Terminada a homenagem, o velho alquimista é procurado por Mefistófeles, seguidor de Lúcifer, que lhe oferece a juventude perdida e uma nova vida. Faust recusa-a e segue para sua casa. Uma vez lá, ele volta a ser assediado por Mefistófeles, mas continua a resistir. Segundo o seguidor de Lúcifer, para ganhar a juventude que lhe está sendo oferecida, ele precisará apenas assinar um documento com o seu próprio sangue. Faust alega, mais uma vez, que jamais venderá sua alma ao diabo. Entretanto, Mefistófeles não desiste e arma uma série de armadilhas para capturar sua alma.

Pouco depois, Faust se vê num espelho com o rosto de um jovem rapaz, sem óculos. Perplexo, sai à procura de Mefistófeles, gesticulando bastante e, de repente, cai desacordado, sendo ajudado por um grupo de ciganos que o leva para o acampamento deles. Ao voltar a si, descobre que voltou à juventude, sem dores no corpo, podendo correr e ler sem o auxílio de óculos. Com o peito a transbordar de alegria, Faust reúne os ciganos para comemorar sua felicidade, quando verifica que se acha sem nenhum dinheiro. Decide, então, ir até sua casa para pegar alguns francos. Lá, depois de apanhar o valor desejado, é surpreendido pelo seu mordomo, Antoine, que acredita tratar-se de um ladrão. Diante do ocorrido, ele não vê condições de voltar a morar em sua casa e decide juntar-se ao grupo de ciganos, onde conquista o coração da jovem Marguerite.

Um dia, quando a trupe realiza uma de suas apresentações, ele é preso por ter pegado dinheiro na casa do Prof. Faust e, principalmente, pelo desaparecimento do eminente cientista. Antoine é seu principal acusador. No tribunal do júri, depois de ser pedida sua morte, ele tenta explicar o que realmente ocorreu consigo, quando Mefistófeles surge com o corpo do idoso professor. Ao júri, este testemunha que tudo está bem e que ele tinha apenas feito uma pequena viagem. Diante da intervenção de Mefistófeles, o agora jovem Prof. Faust é declarado inocente e solto.

Um emissário do Príncipe vai à casa do professor, agora habitado por Mefistófeles, solicitar-lhe para que compareça ao Palácio. Uma vez lá, o príncipe lhe pede todo seu empenho num projeto que resulte no aumento da produção de ouro, a fim de melhorar as finanças do Estado. Mefistófeles coloca o agora jovem Faust, à frente desse projeto, e o sucesso, nessa empreitada, é comemorado com um grande baile no Palácio. O jovem chega ao local, quase ao final da festa, ocasião em que pede ao seguidor de Lúcifer que lhe consiga uma oportunidade de ficar a sós com a princesa, sendo por este atendido. No dia seguinte, ainda graças à intervenção de Mefistófeles, o agora jovem Faust recebe, das mãos do Príncipe, um diploma que lhe concede o título de Cavaleiro.

Terminada a cerimônia, ele procura Mefistófeles para dizer-lhe que se acha apaixonado pela princesa e que tem certeza que ela também o ama. Assim, ele volta a pedir-lhe para fazer com que os dois tenham um novo encontro a sós. Mefistófeles lhe responde que pode atendê-lo, mas depois que fez tanta coisa por ele, precisa saber se não trabalhou em vão. Pergunta-lhe, então, se ele conseguiu encontrar a felicidade, ao que o jovem Faust responde que se considera a pessoa mais feliz do mundo.

Assim, depois de fazê-lo dormir, Mefistófeles pede a Lúcifer para que o jovem Faust seja levado para um local sujo, fora do Palácio, e que se torne uma pessoa miserável. Em seguida, o feiticeiro se desloca até o local, infestado de ratos, onde ainda encontra Faust adormecido. Depois de sair do sono profundo em que se achava, ele diz a Mefistófeles que a felicidade que pensava ter encontrado, não passou de um sonho. Em seguida, lembrando-se que o feiticeiro é possuidor de um grande poder, o jovem Faust lhe diz que pagará qualquer preço para ter de volta sua felicidade. Assim, por falta de opções, o jovem quebra uma garrafa e faz um corte na palma de uma de suas mãos. Certo de que suas armadilhas obtiveram o resultado desejado, Mefistófeles entrega-lhe uma caneta para que ele assine, com o seu próprio sangue, o documento de venda de sua alma ao diabo.

Em seguida, curioso, o jovem Faust pergunta-lhe sobre seu futuro. Em resposta, o discípulo de Lúcifer pede-lhe para que fique olhando para um espelho próximo, onde o jovem vê seu relacionamento amoroso com a princesa, a morte do príncipe por envenenamento, os comentários da Corte sobre a infidelidade da princesa, seu envolvimento com a cigana Marguerite, o flagrante que a princesa dará quando ele e Marguerite estiverem juntos, seu sofrimento com as lamúrias de uma mulher com ciúmes, seu desejo de ficar livre para se consagrar à sua nova paixão. Continuando, Mefistófeles lhe diz que ele conseguirá o poder absoluto, e que, no último dia de sua vida, sozinho, saberá que um credor impiedoso estará rondando sua alma.

Entretanto, ao descobrir ser Mefistófeles o responsável pelo roubo de uma grande quantidade de moedas em ouro, uma multidão invade o palácio, onde ele se encontra, a fim de destruí-lo. Ao ser descoberto e encurralado, o discípulo de Lúcifer se joga do alto de um parapeito, morrendo. Na queda, o documento de venda de sua alma ao diabo, assinado por Faust, que se achava em poder de Mefistófeles, é completamente destruído pelo fogo.

Sentindo-se livre, o jovem Faust une-se à Marguerite e os dois partem na caravana dos ciganos.

imagem

Comentários

“Entre a Mulher e o Diabo” é mais uma pérola do cinema francês. Escrita e dirigida pelo cineasta René Clair, sua trama gira em torno de um eminente e bem sucedido professor que, após ser homenageado pelos 50 anos de extrema dedicação ao aprofundamento e enriquecimento do conhecimento humano, é assediado por um discípulo de Lúcifer que lhe promete a juventude perdida em troca de sua alma.

O trabalho de René Clair é, sem dúvida, o ponto alto dessa produção, ao conseguir um filme muito bem feito, inteligente. Adicionalmente, o design de produção, os efeitos especiais e a fotografia contribuem positivamente para o resultado final.

No elenco, Michel Simon, nos papéis de Mefistófeles e do Prof. Henri Faust, idoso, é disparado o que mais se destaca, roubando todas as cenas em que participa. Gerard Philippe vem logo a seguir.

Resumindo, “Entre a Mulher e o Diabo” é, sem dúvida alguma, um filme imperdível.

CAA