Filmes por gênero

ESTE MUNDO É UM HOSPÍCIO (1944)

Arsenic and Old Lace
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O mundo é um manicômio (Portugal)
Arsenic et vieilles dentelles (França)
Arsenico e vecchi merletti (Itália)
Arsénico por compasión (Espanha)
Arsen und Spitzenhäubchen (Alemanha)
Arsénico y encaje antiguo (Argentina)
Arsenik och gamla spetsar (Suécia)
Arsenik og gamle kniplinger (Dinamarca)
Arsenicum en oude kant (Holanda)
Мышьяк и старые кружева (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia
Direção: Frank Capra
Roteiro: Philip G. Epstein, Julius J. Epstein
Produção: Jack L. Warner
Música Original: Max Steiner
Fotografia: Sol Polito
Edição: Daniel Mandell
Direção de Arte: Max Parker
Figurino: Orry-Kelly
Guarda-Roupa: Cora Lobb
Maquiagem: Perc Westmore
Efeitos Sonoros: C.A. Riggs
Efeitos Especiais: Robert Burks, Byron Haskin
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Cary Grant Mortimer Brewster
Priscilla Lane Elaine Harper
Raymond Massey Jonathan Brewster
Jack Carson Agente O'Hara
Edward Everett Horton Sr. Witherspoon
Peter Lorre Dr. Einstein
James Gleason Tenente Rooney
Josephine Hull Abby Brewster
Jean Adair Martha Brewster
John Alexander 'Teddy Roosevelt' Brewster
Grant Mitchell Reverendo Harper
Edward McNamara Sgt. Brophy
Garry Owen Motorista de Táxi
John Ridgely Saunders
Vaughan Glaser Juiz Cullman
Chester Clute Dr. Gilchrist
Charles Lane Reporter
Edward McWade Gibbs
Hank Mann Fotógrafo

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O crítico teatral Mortimer Brewster, apesar de ser também o aclamado autor de “A Bíblia dos Solteiros”, finalmente resolve se casar com sua namorada, Elaine Harper. Antes de saírem em lua-de-mel para as Cataratas de Niágara, os dois tomam um táxi para a velha casa dos Brewster, no Brooklyn, agora ocupada por suas duas tias solteironas, Abby e Martha, e pelo irmão, Teddy, a fim de contarem as novidades.

Antes que o feliz casal chegue, tia Abby conversa com o vizinho, Rev. Harper, pai de Elaine, enquanto Teddy toca piano. Harper comenta não gostar da idéia de sua filha se casar com um homem que já escreveu um livro combatendo o casamento. O Sargento Brophy e o Agente O'Hara, para quem Brophy está passando sua ronda, passam por lá para arrecadar brinquedos consertados para uma instituição de caridade. Torna-se evidente que Teddy é um lunático, por acreditar ser ele o Presidente Theodore "Teddy" Roosevelt, fato que todos consideram como sendo uma excentricidade inofensiva. Além disso, ele tem o hábito de tocar sua corneta, o que perturba os vizinhos. Mortimer tem procurado colocá-lo no Sanatório Happy Dale, até agora sem êxito.

Tia Martha chega em casa quando o Rev. Harper se prepara para sair. Pouco tempo depois, Mortimer e Elaine também chegam ao local. Enquanto ela entra na casa do pai para se preparar para a viagem, Mortimer vai à casa das tias para falar de seu casamento.

Elas o abraçam felizes, mas ao irem à cozinha pegar um bolo para comemoração da data, Mortimer descobre um cadáver dentro de uma arca localizada abaixo da janela da sala. Acreditando tratar-se de mais um ato de loucura do irmão Teddy, ele se apressa a contar sua descoberta às tias, ao mesmo tempo em que lhes diz ser inadiável a internação do irmão no Sanatório Happy Dale. Para sua surpresa e preocupação, elas lhe afirmam serem as autoras daquele assassinato, usando vinho envenenado. Continuando, pedem-lhe para que não se preocupe, pois há algum tempo vêm ajudando idosos solitários a encontrarem alguma paz. Dizem-lhe que este último, Sr. Hoskins, foi o décimo segundo idoso por elas assassinado, e que todos os corpos são enterrados no porão da casa.

Chocado, Mortimer não dá a mínima atenção à Elaine, quando esta tenta falar com ele. Adorando as tias, não quer vê-las envolvidas com a polícia, preferindo que Teddy assuma a culpa se os assassinatos vierem à tona. Por telefone, fala com o Sr. Witherspoon, gerente do Sanatório e, em seguida, sai à procura do juiz Cullman, pedindo às tias para que ninguém entre na casa antes que ele retorne. No entanto, quando Jonathan, irmão de Mortimer, chega com seu companheiro, Dr. Einstein, as tias não podem impedi-los de entrar. No início, elas não o reconhecem, devido a uma cirurgia plástica feita pelo médico, mas ele as convence de sua identidade, lembrando-lhes detalhes da história da família. Jonathan acha-se de cara nova, uma vez que a polícia está à sua procura pelo assassinato de um Sr. Spinalzo, cujo cadáver se encontra em seu carro.

Mortimer consegue que o Juiz Cullman assine os papéis necessários à internação de Teddy. Em casa, este mostra ao Dr. Einstein o "Canal do Panamá", onde o médico observa a utilidade do túmulo escavado, enquanto Jonathan intimida suas tias para que deixem que eles fiquem. Em seguida, ele retira o cadáver do Sr. Spinalzo do carro, e o passa através da janela para que o Dr. Einstein o esconda.

Elaine chega à procura do marido, sendo trancada no porão por Jonathan que, por pouco, não a estrangula. Quando Mortimer retorna, este discute com Jonathan, mais uma vez negligenciando Elaine, que foge quando ele telefona para o Sr. Witherspoon. Ao olhar novamente para dentro da arca, Mortimer encontra um novo cadáver. Tia Abby, confrontada, reage com indignação à sugestão de que se trata de mais uma de suas vítimas, e chama Tia Martha para olhar. Logo a seguir, Mortimer percebe que Jonathan é responsável por este último corpo. O Oficial O’Hara chega para falar com ele sobre uma peça que está escrevendo. Este dá um ultimato a Jonathan para que vá embora, mas o irmão decide ficar.

Dr. Einstein descobre o corpo do Sr. Hoskins no porão, acreditando tratar-se de um trabalho de Mortimer. Este corre para conseguir a assinatura do Dr. Gilchrist nos papeis recebidos do juiz Cullman. Enquanto isso, Tia Abby e tia Martha entram, e para surpresa de Jonathan, admitem a responsabilidade pela morte de Hoskins e de suas outras vítimas. Acontece que elas e Jonathan cometeram, cada, doze assassinatos. Enquanto elas vão ao porão, Jonathan decide que precisa de mais uma vítima, a qual poderá ser o seu odiado irmão, Mortimer. Depois que Jonathan enterra os corpos de Hoskins e Spinalzo, para indignação das tias, Mortimer chega com o Dr. Gilchrist. Teddy o cumprimenta como se fosse o Dr. Livingstone.

Ao ver Elaine na janela da casa do Rev. Harper, Mortimer vai até lá e lhe diz que o casamento deles deve ser anulado, face à insanidade que se acha solta na família dele. Dr. Gilchrist, logo após ter sido nomeado embaixador na Bolívia, por Teddy, assina os papéis para sua internação. Jonathan planeja, com o Dr. Einstein, o assassinato de Mortimer pelo método usado por eles em Melbourne: duas horas de tortura.

Dr. Einstein tenta persuadir Mortimer a fugir, mas este nem o escuta. Jonathan inicia a aplicação do método Melbourne contra o irmão, amarrando-o a uma cadeira e fazendo com que ele não tenha condições de gritar. O agente O’Hara chega para falar sobre a peça que está escrevendo e se depara com o crítico teatral amarrado. Einstein o convence de que Mortimer está encenando um trecho de uma peça. Jonathan tenta matar Mortimer, mas é nocauteado por Einstein. O Sgt. Brophy e outro policial chegam e telefonam para a Delegacia, o que faz Jonathan pensar que estão falando a seu respeito, resolvendo entregar-se.

O capitão Rooney vem à casa dos Brewster e reconhece Jonathan como sendo um fugitivo da prisão de Indiana para criminosos insanos. Ao se livrar das cordas, Mortimer explica ao capitão que os contos de Teddy sobre os treze corpos em um porão fazem parte de sua ilusão. Quando Rooney lhe diz que seu irmão precisa ser internado em um sanatório, Mortimer lhe entrega o documento de internação. Depois de o ler, o tenente o devolve dizendo que seu irmão vai ter que ser persuadido a assiná-lo novamente, já que o tinha feito como sendo Teddy Roosevelt.

O Sr. Witherspoon chega para levá-lo. Elaine, por outro lado, entra furtivamente na casa através do porão. As tias Abby e Martha, abaladas com a separação de Teddy, querem também assinar o documento de internação, o que é aceito pelo Sr. Witherspoon, face à insanidade mostrada através das absurdas colocações de que no porão há 13 corpos enterrados.

Precisando da assinatura de um médico, recorrem ao Dr. Einstein. Mortimer, por outro lado, assina os papeis como parente mais próximo, o que preocupa as tias. Estas decidem, então, revelar que ele não é um Brewster, já que seu pai era cozinheiro, em um navio, e sua mãe cozinheira da família, casada com o irmão delas. Aliviado e feliz por não ser membro de uma família de homicidas insanos, ele se sente apto a seguir com seu casamento, sem receio de vir a ter filhos doentes.

Elaine emerge do porão, onde descobrira os túmulos, e corre para os braços de Mortimer. Os dois, finalmente, seguem abraçados para o taxi cujo motorista esteve à espera deles por todo o dia.

imagem

Comentários

“Este Mundo é um Hospício” é uma das melhores comédias de todos os tempos, estando na lista dos 500 melhores filmes por mim assistidos. Baseado no romance homônimo de Kesselring e realizado pelo grande mestre, Frank Capra, sua trama gira em torno de um ferrenho opositor da instituição do casamento que, de uma hora para outra, se vê casado com uma bela loura. Para complicar a situação, antes de partir para sua lua-de-mel, ele descobre que suas duas amadas tias são lunáticas assassinas de idosos solitários, já contabilizando 12 túmulos construídos no porão da casa delas.

Antes da rodagem deste filme, “Este Mundo é um Hospício” já era uma consagrada peça da Broadway, em Nova York. Capra realizou mais um grande trabalho de sua vitoriosa carreira, contando ainda com a bela fotografia de Sol Polito e a magnífica trilha sonora do genial Max Steiner.

O elenco, como um todo, está soberbo. Com maior tempo de tela, Cary Grant é o maior nome a ser destacado, muito embora, em algumas cenas, eu acredite que ele tenha exagerado um pouco em suas expressões faciais.

CAA