Filmes por gênero

BRUNA SURFISTINHA (2011)

imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Drama
Direção: Marcus Baldini
Roteiro: José de Carvalho, Homero Olivetto, Antônia Pellegrino
Produção: Marcus Baldini, Roberto Berliner
Música Original: Gui Amabis, Rica Amabis, Tejo
Fotografia: Marcelo Corpanni
Edição: Oswaldo Santana, Manga Campion
Direção de Arte: Luiz Roque
Figurino: Leticia Barbieri
Guarda-Roupa: Ana Carvalho
Maquiagem: Gabi Moraes
Efeitos Sonoros: Louis Robin, Paulo Gama, José Luiz Sasso
Efeitos Visuais: Nills Bonetti, Rogério Marinho, Marcelo Ferreira PeeJay
Nota: 6.4
Filme Assistido em: 2011

Elenco

Deborah Secco Raquel Pacheco / Bruna Surfistinha
Cássio Gabus Mendes Huldson
Drica Moraes Larissa
Cristina 'Cris' Lago Gabi
Guta Ruiz Carol
Fabíula Nascimento Janine
Erika Puga Mel
Simone Illiescu Yasmim
Brenda Ligia Kelly
Juliano Cazarré Gustavo
Gustavo Machado Miguel
Clarisse Abujamra Celeste, mãe de Bruna
Luciano Chiroli Otto, pai de Bruna
Sérgio Guizé Rodrigo, irmão de Bruna

Prêmios

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado

Prêmio de Melhor Atriz (Deborah Secco)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Drica Moraes)

Indicações

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Longa-Metragem Brasileiro

Prêmio de Melhor Figurino

Prêmio de Melhor Edição

Prêmio de Melhor Maquiagem

Prêmio de Melhor Ator (Cassio Gabus Mendes)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Fabiula Nascimento)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Nascida em Sorocaba, Raquel é adotada por uma família de classe média, não conhecendo seus pais biológicos. Quando sua família se muda para São Paulo, ela e seu irmão mais velho, Rodrigo, são educados em colégios tradicionais, como o Bandeirantes.

Aos 17 anos, ela se sente desajustada na escola, onde é ridicularizada pelos colegas, e em casa, onde vive em conflito com a família, principalmente com Rodrigo e com o pai. Começa, então, a amadurecer a idéia de morar sozinha. Inicialmente, passa a verificar a possibilidade de trabalho através de consultas aos Classificados de jornais, bem como, à Internet. Sem conseguir êxito, já que um bom emprego normalmente exige o 3º grau completo, ela toma uma decisão surpreendente: tornar-se uma garota de programa.

Assim, foge de casa e vai viver num privê da Alameda Franca, onde a cafetina Larissa explora outras garotas como ela, ao reter 60% da receita proveniente do pagamento de seus clientes. No privê, além dela, vivem as garotas Gabi, Janine, Mel, Kelly e Yasmin. Raquel adota, então, o pseudônimo de Bruna.

Seu primeiro cliente chama-se Huldson. É um homem jovem, casado, com filhos, que tem problemas de relacionamento com a esposa. É com ele que ela perde a virgindade. Durante o ato sexual, ela pensa em pegar seu dinheiro e voltar correndo para a casa dos pais, mas acaba fazendo seis programas naquela tarde.

De ingênua e desajeitada, Bruna se torna a garota de programa mais disputada do lugar e a que mais ganha dinheiro. Enquanto a notícia de seu sucesso corre, cada vez mais clientes a procuram. Certo dia, para sua surpresa e preocupação, o cliente que a espera em seu quarto é Rodrigo, seu irmão de criação. Ao vê-la, ele a pega pelo braço e lhe diz que a vida de seus pais virou um inferno, um colocando a culpa no outro pela sua fuga, enquanto ela se acha ali transformada em uma prostituta. Antes de sair, ele a ameaça caso ela tente uma reaproximação com a família.

Certa noite, quando Bruna e suas colegas vão a uma boate, ela conhece a sofisticada Carol, que a convida para a mesa em que se encontra com Miguel e outros amigos. É através de Carol que Bruna se inicia no vício em cocaína e é introduzida à prostituição de alto luxo.

Logo depois, ela rompe com a cafetina Larissa e decide morar em seu próprio flat. Gabi, sua melhor amiga, a acompanha na qualidade de sua secretária. Agora adotando o nome de Bruna Surfistinha, cria um Blog , através do qual passa a contar suas aventuras sexuais e afetivas como garota de programa. Com isso, ela vê sua fama aumentar ainda mais, assim como, o número de seus clientes.

Ao procurá-la em seu novo endereço, Huldson fica surpreso com as novas instalações. Por outro lado, ela o sente diferente, triste, e descobre que o casamento dele basicamente não mais existe. Ele a leva para um jantar em um luxuoso restaurante, ocasião em que lhe presenteia com um caríssimo conjunto de colar e brincos. Ela não o aceita, alegando não merecer aquelas jóias, mas ele insiste em que o presente é dela. O celular toca e, ao atendê-lo, é Gabi lembrando-lhe sobre um compromisso marcado com um cliente. Bruna se despede de Huldson, que fica arrasado.

Mas Bruna vê seu dinheiro e sua saúde serem consumidos pela cocaína. Gabi tenta ajudá-la, mas depois de um desentendimento, desiste e vai embora. Com uma grande dívida junto à Carol, esta também se afasta. É o fundo do poço. Para tentar sobreviver, Bruna passa a ter relações com um grande número de pessoas de baixo nível, cobrando apenas R$20,00 de cada uma. Em pouco tempo, sua saúde chega ao ponto de fazer com que desmaie em pleno ato sexual, sendo levada às pressas para um hospital.

Avisado por Gabi, Huldson vai visitá-la exatamente no momento em ela recebe alta. Ele a coloca em seu carro, confessa-lhe que quer ficar com ela, e lhe diz que ela pode mudar de vida, fazer uma Universidade, etc. Bruna, entretanto, lhe responde que, assim como a decisão para se tornar uma garota de programa partiu unicamente dela, caberá também unicamente a ela decidir quando deverá deixar tal profissão.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro “O Doce Veneno do Escorpião”, “Bruna Surfistinha” é um bom filme do cinema nacional. Realizado pelo cineasta Marcus Baldini, sua trama gira basicamente em torno dos três anos da vida da jovem paulista, Raquel Pacheco, nos quais ela trabalhou como garota de programa, sob o pseudônimo de Bruna Surfistinha.

A direção do estreante Baldini é segura, conseguindo manter um bom ritmo do início ao fim. Como era de se esperar, o filme contém um grande número de cenas de sexo, todas muito bem conduzidas, sem que caiam na vulgaridade ou pornografia. Ainda na área técnica, merece ser citada a bela fotografia de Marcelo Corpanni. Por outro lado, o trabalho dos roteiristas deixa a desejar, principalmente no que diz respeito à forma narrativa adotada.

No elenco, o grande nome a ser mencionado é o da atriz Deborah Secco, perfeita no papel da personagem principal. Conhecendo-a como atriz de novelas da Rede Globo de Televisão, o salto de qualidade no quesito interpretação é realmente impressionante. Merece ainda atenção o trabalho de Cássio Gabus Mendes, no papel de seu principal cliente.

CAA