Filmes por gênero

A GRANDE GUERRA (1959)

La Grande Guerra
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The great war (USA, UK)
La grande guerre (França)
La gran guerra (Argentina, Espanha)
Man nannte es den großen Krieg (Alemanha)
Det stora kriget (Suécia)
Wielka wojna (Polônia)
Den store krig (Dinamarca)
Большая война (União Soviética)
Pais: Itália, França
Gênero: Comédia Dramática, 1ª Guerra Mundial
Direção: Mario Monicelli
Roteiro: Mario Monicelli, Agenore Incrocci, Furio Scarpelli
Produção: Dino De Laurentiis
Design Produção: Mario Garbuglia
Música Original: Nino Rota
Direção Musical: Franco Ferrara
Fotografia: Roberto Gerardi, Giuseppe Rotunno
Edição: Adriana Novelli
Figurino: Danilo Donati
Maquiagem: Rino Carboni, Romolo de Martino
Efeitos Sonoros: Bruno Moreal, Rocco Roy Mangano
Efeitos Especiais: Urbisaglia Gatti
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Alberto Sordi Oreste Jacovacci
Vittorio Gassman Giovanni Busacca
Silvana Mangano Costantina
Folco Lulli Bordin
Bernard Blier Capitão Castelli
Romolo Valli Tenente Gallina
Vittorio Sanipoli Major Venturi
Nicola Arigliano Giardino
Geronimo Meynier Portavoz
Mario Valdemarin Subtenente Lorenzi
Elsa Vazzoler Mulher de Boradin
Tiberio Murgia Rosario Nicotra
Livio Lorenzon Sgt.Barriferri
Marcello Giorda General
Achille Compagnoni Capelão
Ferruccio Amendola De Concini
Carlo D'Angelo Capitão Ferri
Gérard Herter Capitão austríaco
Guido Celano Major italiano
Tiberio Mitri Mandich
Luigi Fainelli Giacomazzi

Prêmios

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Produção

David de Melhor Ator (Alberto Sordi, Vittorio Gassman )

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Ator (Alberto Sordi)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Design de Produção (Mario Garbuglia)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Mario Monicelli)

Menção Especial (Alberto Sordi)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Itália)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Direção (Mario Monicelli)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia em Branco e Preto (Giuseppe Rotunno)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Estória Original (Furio Scarpelli, Agenore Incrocci, L. Vincenzoni, Mario Monicelli )

Prêmio Fita de Prata de Melhor Roteiro (Furio Scarpelli, Agenore Incrocci, L. Vincenzoni, Mario Monicelli )

Prêmio Fita de Prata de Melhor Produção (Dino De Laurentiis)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Figurino (Danilo Donati)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Ator (Vittorio Gassman)

Prêmios Globo D'Oro, Itália

Globo d'Oro de Melhor Filme (Mario Monicelli)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na Itália, logo após o início da Primeira Guerra Mundial, Giovanni Busacca recebe ordens para se alistar no exército em troca da anistia de certas acusações criminais. No centro de alistamento, ele suborna Oreste Jacovacci para obter um adiamento, mas este não faz nada para ajudá-lo. Dias depois, os dois são enviados para o front, no mesmo comboio, e esquecem suas diferenças enquanto se unem para evitar as tarefas mais árduas.

Na véspera de uma batalha, Giovanni passa a noite com uma prostituta, Costantina, que rouba sua carteira. No dia seguinte, ele é forçado a lutar em uma sangrenta batalha que resulta na captura de algumas instalações austríacas. Enviado com Oreste para obter suprimentos na cidade, Giovanni consegue, com dificuldade, reaver sua carteira de Costantina, mas percebe que a ama. Naquele dia, ao invés de participarem de uma importante batalha travada em seu acampamento, os dois amigos admitem sua covardia e passam a noite na cidade.

Na manhã seguinte, eles encontram sua companhia dizimada, mas as pessoas da cidade, pensando que eles estão entre os sobreviventes, os recebem com uma demonstração patriótica. Em seguida, eles decidem desertar, na esperança de não terem que enfrentar novos combates contra o inimigo. No entanto, um encontro com a esposa de um companheiro morto em batalha, faz com que eles mudem de ideia.

Eles são, então, enviados em uma missão especial para entregarem uma mensagem à outra companhia, mas são capturados pelos austríacos, que exigem informações sobre uma ponte de emergência que está sendo construída pelas tropas italianas. Giovanni, que sabe onde a tal ponte se acha localizada, se recusa a trair seus camaradas e é baleado mortalmente. Oreste, que não tem qualquer informação a respeito da mesma, é igualmente morto, apesar de seu histérico esforço para se salvar.

O major, ao observar a ausência dos dois malandros quando da próxima batalha, assume que eles mais uma vez conseguiram um jeitinho para se safarem do combate.

imagem

Comentários

Realizada pelo cineasta Mario Monicelli, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Agenore Incrocci e Furio Scarpelli, “A Grande Guerra” é uma comédia dramática franco-italiana produzida pelas empresas Gray-Film e Dino de Laurentiis Cinematografica em 1959. Sua trama se passa durante a Primeira Guerra Mundial quando as tropas italianas enfrentaram as austríacas na defesa da região do Rio Piave.

Partindo de um roteiro bastante original e inteligente, Monicelli nos brinda com um belo trabalho de direção, marcado por uma perfeita combinação de ação e comédia. Embora sua trama tenha como tema principal a Primeira Guerra Mundial, não podemos deixar de registrar que o filme também aborda uma bela história de amizade. Na área técnica, merecem ainda ser lembrados o cuidadoso figurino, assinado por Danilo Donati, e a fotografia em CinemaScope preto e branco a cargo de Giuseppe Rotunno.

No elenco, Alberto Sordi e Vittorio Gassman brilham em seus respectivos papéis, principalmente o primeiro. Embora com bem menos tempo de tela, a bela atriz Silvana Mangano desperta facilmente as atenções nos momentos em que se acha presente.

Enfim, “A Grande Guerra” é um filme que recomendo fortemente.

CAA