Filmes por gênero

PARALELO 49 (1941)

49th Parallel
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Os Invasores (Portugal)
Le 49ème parallèle (França)
Gli invasori - 49o parallelo (Itália)
Los invasores (Espanha, México)
Cinco hombres (Chile, Argentina)
Flykten (Suécia)
49. breddegrad (Dinamarca)
49-я параллель (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: 2ª Guerra Mundial, Drama
Direção: Michael Powell
Roteiro: Emeric Pressburger
Produção: Michael Powell, Ralph Vaughan Williams
Música Original: Ralph Vaughan Williams
Direção Musical: Muir Mathieson
Fotografia: Freddie Young
Edição: David Lean
Direção de Arte: David Rawnsley
Maquiagem: George Blackler
Efeitos Sonoros: Walter Darling, C.C. Stevens, A.W. Watkins
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1950

Elenco

Richard George Comandante Bernsdorff
Eric Portman Tenente Ernst Hirth
Raymond Lovell Tenente Kuhnecke
Niall MacGinnis Vogel
Peter Moore Kranz
John Chandos Lohrmann
Basil Appleby Jahner
Laurence Olivier Johnnie, o caçador
Glynis Johns Anna
Finlay Currie Agente mercantil
Ley On Nick, o esquimó
Anton Walbrook Peter
Charles Victor Andreas
Frederick Piper David
Leslie Howard Philip Armstrong Scott
Tawera Moana George, o índio
Eric Clavering Art
Charles Rolfe Bob
Raymond Massey Andy Brock
Elisabeth Bergner Anna
Gron Davies Oficial no submarino

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor História Original (Emeric Pressburger)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro (Rodney Ackland, Emeric Pressburger)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No início da 2ª Guerra Mundial, um submarino U-37 alemão chega à costa do Canadá onde afunda um navio mercante no Golfo de St. Lawrence, procurando em seguida refúgio na Baia de Hudson. Uma vez lá, o Comandante Bernsdorff envia um grupo de seis pessoas à terra, sob o comando do Ten. Ernst Hirth, com a missão de trazer comida e combustível. Do grupo, fazem parte também o Ten. Kuhnecke e os marinheiros Vogel, Kranz, Lohrmann e Jahner.

Informado por um caçador esquimó sobre a provável localização do barco inimigo, o Serviço de Patrulhamento da Real Força Aérea Canadense envia à região uma esquadrilha de navios e aviões militares. Os primeiros aviões localizam o submarino exatamente no momento em que o Ten. Hirth e seu grupo pisam em terra firme, de onde assistem, atônitos, ao fim do U-37.

Em um pequeno entreposto comercial, o caçador franco-canadense, Johnnie, que acaba de chegar de um período de onze meses de atividade, fala para seus amigos sobre a eclosão de uma nova grande guerra, quando Hirth e seus homens invadem sua casa e ferem Nick, um esquimó.

Depois de uma noite nervosa, um rádio amador de Grand Rapids, Michigan, convida o Agente e Johnnie para seu costumeiro jogo de xadrez à distância.  Aproveitando a oportunidade, os dois tentam enviar uma mensagem de alarme, mas Jahner atira em Johnnie, que vem a falecer algum tempo depois. Por outro lado, quando um hidroavião chega ao entreposto, seus dois ocupantes são mortos pelos nazistas que, a seguir, o seqüestram numa tentativa de chegarem aos Estados Unidos, na época ainda um país neutro. Durante a decolagem, Jahner é baleado e morto por um atirador esquimó.

O Ten. Kuhnecke, que assumira o posto de piloto do hidroavião, interpreta erroneamente suas reservas de combustível e morre quando o mesmo cai em um lago, ainda ao norte do Paralelo 49, linha divisória entre os Estados Unidos e o Canadá. Os quatro sobreviventes caminham até uma plantação de trigo, onde encontram Anna, uma jovem de 16 anos que lhes pergunta se são trabalhadores sazonais que vieram para trabalhar durante o período da colheita. Anna faz parte de uma pequena comunidade de imigrantes alemães anabatistas, liderada por Peter.

Profundamente religiosa, a comunidade recebe os quatro como se fossem irmãos. Vogel, cuja profissão antes de entrar para o exército nazista era a de padeiro, passa a trabalhar na padaria comunitária, sendo no dia seguinte reconhecido como o melhor padeiro que já tiveram nos últimos 15 anos. Por outro lado, durante uma reunião da comunidade, o Ten. Hirth pede a palavra e faz um discurso inflamado enaltecendo o nazismo e falando do futuro do mundo sob o domínio da Alemanha. Em seguida, Peter lhe responde que, embora a maioria dos presentes tenha nascido na Alemanha, ninguém considera mais aquele País como sua pátria, tendo em vista os criminosos ideais nazistas, deixando claro que a comunidade não é um local para pessoas como ele. Mais tarde, ao dizer que os odeia por terem matado seus pais, Anna é ameaçada por Hirth, Kranz e Lohrmann, sendo, entretanto defendida por Vogel que a leva de volta à sua casa. Lá, na presença de Peter, Vogel demonstra seu interesse em passar a viver em uma comunidade como aquela, sendo então convidado pelo líder a permanecer como padeiro. No entanto, Hirth o acusa de deserção e traição ao 3º Reich, executando-o sumariamente.

Os três nazistas remanescentes seguem para Winnipeg, onde tomam conhecimento que a Polícia Montada está no encalço deles. Assim, decidem seguir para Vancouver com a intenção de tomar um navio japonês que partirá para a Rússia. Ao passarem pelo Parque Nacional de Banff, eles param para assistir às celebrações do Dia do Índio, ocasião em que Kranz é preso ao ser traído por sua própria insegurança. Hirth e Lohrmann prosseguem em sua caminhada através das Montanhas Rochosas, onde encontram o acampamento do Sr. Philip Armstrong Scott, um inglês que pesquisa a história e a cultura dos índios Sioux Blackfoot. Hospitaleiro, o pesquisador lhes oferece acomodações em uma tenda para que passem a noite. No entanto, ao tentarem roubar dois cavalos do acampamento para fugirem, eles são descobertos e, encurralado, Lohrmann é morto.

Agora sozinho, o Ten. Hirth continua sua fuga, inicialmente a pé, depois como clandestino em um vôo de Edmonton e, em seguida, também como clandestino em um trem que passará por Niagara Falls, fronteira com os Estados Unidos. No vagão de carga em que se esconde, ele conhece Andy Brock, um soldado canadense não muito satisfeito com sua vida militar. Durante a viagem, Hirth deixa Brock desacordado e veste sua farda. Quando o trem para num Posto Alfandegário e Hirth descobre que já se encontra em território americano, ele se apresenta às autoridades aduaneiras como sendo um oficial da marinha e cidadão alemão, exigindo que seja levado ao Consulado de seu País. Brock, entretanto, consegue persuadir os fiscais de que, como os dois não se acham declarados no manifesto, para efeitos aduaneiros, aquele vagão deve ser devolvido ao Posto Alfandegário canadense, o que ocorre com o trem atravessando de volta a ponte que separa os dois países.

imagem

Comentários

“Paralelo 49” é um ótimo filme britânico de 1941, indicado aos Oscars de Melhor Filme e de Melhor Roteiro Original. Realizado pelo cineasta Michael Powell, sua trama gira em torno da luta travada por seis militares nazistas, sobreviventes de um submarino afundado por aviões da Real Força Aérea do Canadá, na tentativa de conseguirem chegar ao território norte-americano, na época ainda neutro.

Com certa sutileza, o filme procura mostrar que a ameaça nazista não se resumia a um confronto militar, mas também a um confronto moral e ideológico, levando o espectador a uma reflexão certamente mais profunda em relação ao conflito. Nesse sentido, “Paralelo 49” não deixa de ser uma peça de propaganda, talvez uma exortação para que o povo americano se juntasse às forças aliadas, o que na realidade só veio ocorrer quando o Japão bombardeou suas instalações em Pearl Harbor.

A direção de Powell é excelente, permitindo que os atores dêem o melhor de si. Eric Portman, no papel do frio e cruel tenente Hirth, está perfeito. Laurence Olivier, embora com um tempo de tela relativamente curto, apresenta um desempenho forte, como o caçador franco-canadense que o grupo encontra ao entrar em um pequeno entreposto comercial. Glynis Johns, em seus 17 para 18 anos, está ótima no papel de Anna.

CAA