Filmes por gênero

POESIA (2010)

Shi
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Poetry (França, USA, UK)
Poesía (Espanha)
Pais: Coréia do Sul
Gênero: Drama
Direção: Chang-dong Lee
Roteiro: Chang-dong Lee
Produção: Jun-dong Lee
Fotografia: Hyun Seok Kim
Edição: Hyun Kim
Direção de Arte: Jeomhui Sihn
Efeitos Sonoros: Seung-cheol Lee
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 2011

Elenco

Jeong-hie Yun Yang Mija
Hira Kim Sr. Kang
Nae-sang Ahn Pai de Kibum
Da-wit Lee Jongwook

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio do Júri Ecumênico - Menção Especial (Chang-dong Lee)

Prêmio de Melhor Roteiro

Prêmios do Cinema Asiático

Prêmio de Melhor Direção (Chang-dong Lee)

Prêmio de Melhor Roteiro

Indicações

Prêmios do Cinema Asiático

Prêmio de Melhor Filme

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na Coréia do Sul, Yang Mija é uma senhora de 66 anos que vive com seu neto adolescente em uma pequena cidade da província de Gyeonggi, cortada pelo Rio Han. Três ou quatro meses depois de começar a sentir problemas de lapsos de memória, ela se consulta com um médico do hospital local, o qual, embora acreditando que se ache num estágio inicial do Mal de Alzheimer, a recomenda que procure o Hospital Geral em Seul para fazer uma série de testes que permitam chegar a um diagnóstico definitivo sobre as causas de seus sintomas. Na saída do hospital, ela vê uma mãe desesperada por conta de sua filha adolescente, cujo corpo fora encontrado boiando nas águas do rio, após ter cometido suicídio ao pular de uma ponte.

Em seguida, Mija vai ao apartamento do Sr. Kang, um abastado homem de meia-idade, para o qual trabalha três vezes por semana como doméstica. O Sr. Kang acha-se semi-paralítico desde que sofreu um derrame cerebral. Lá, ela o banha, lava a roupa e faz a faxina do imóvel. O que ele lhe paga e um pequeno subsídio do governo são suas únicas fontes de renda. Naquele dia, num gesto de gratidão, o Sr. Kang lhe dá uma nota de 10.000 won, deixando-a super feliz.

Sentindo o peso de suas capacidades se deteriorando, Mija se matricula em um curso sobre poesia no Centro Cultural de sua pequena cidade. Ao final do curso, espera-se que cada participante tenha escrito um poema. Ela passa a freqüentar as aulas de leitura, mas sente dificuldades em escrever um poema.

Certo dia, Mija recebe um telefonema do pai de Kibum, um colega de turma de Jongwook, seu neto que vive com ela. O tal senhor se oferece para apanhá-la e levá-la a um restaurante onde quatro outros pais de alunos estarão presentes para discutirem problemas de interesse mútuo. Assim, atendendo ao convite recebido, Mija vai até o local do encontro, onde descobre que seu neto e os filhos dos cinco outros presentes são os responsáveis pela morte da jovem Agnes Park Heejin, de 16 anos, que se suicidou ao saltar da ponte no rio. Segundo um diário deixado por Heejin, os seis garotos a estupraram durante meses. Na reunião, o grupo sugere uma indenização de 30 milhões de won em favor da mãe de Agnes, cabendo assim a parcela de 5 milhões  para cada um dos que ali se encontram. Tal indenização visa evitar futuros problemas com acusações criminais e ações judiciais. Mija fica arrasada com o envolvimento de seu neto e com a impossibilidade de conseguir amealhar tamanha quantia.

Numa de suas idas ao apartamento do Sr. Kang, a pedido dele, Mija administra um determinado comprimido que ele alega ser uma vitamina. No entanto, na hora do banho, ela descobre que se tratava de Viagra quando ele lhe implora para que o ajude a ter sua última relação sexual como homem. Sentindo-se ofendida, ela o larga e vai embora. Depois de vários dias afastada, Mija toma a difícil decisão de retornar ao apartamento do Sr. Kang e satisfazê-lo sexualmente.

Numa nova reunião com os pais dos colegas de Jongwook, é sugerida a ida dela à casa da mãe de Agnes, por acreditarem que uma conversa de mãe para mãe, possa levar a um melhor entendimento entre todos os envolvidos. Como combinado, Mija a procura e a encontra no campo a trabalhar na colheita de damascos. Inibida, não se identifica nem fala sobre o assunto que a levou até ali. De volta à cidade, ela diz aos cinco pais que, infelizmente, não conseguiu localizar a tal senhora.

Entretanto, os membros do grupo conseguem fazer com que a mãe de Agnes venha até eles para, juntos, tentarem chegar a um acordo definitivo. Assim, finalmente, o acordo é firmado, ficando em aberto apenas os 5 milhões referentes à cota de Mija. Sem alternativa, ela volta a procurar o Sr. Kang, a quem solicita tamanha quantia, pedindo-lhe que não lhe faça perguntas sobre os motivos que a levam a agir dessa forma. Recebido o valor pedido, ela o entrega ao grupo de pais e, em seguida, telefona para sua filha, pedindo-lhe que venha ver Jongwook.

No Centro Cultural, durante a aula de encerramento do curso de poesia, o professor verifica que nenhum dos alunos presentes conseguiu apresentar o poema por ele pedido. Numa mesa, entretanto, ele encontra um buquê de flores, acompanhado de um poema chamado “A Canção de Agnes”, de autoria de Mija que, a essa altura, deixa a cidade onde vivia a bordo de um ônibus. Na sala de aula, o professor pede licença e lê para os alunos o referido poema.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num caso real, “Poesia” é um cativante, pungente e poético filme sul-coreano. Escrito e dirigido pelo cineasta Chang-dong Lee, sua trama gira em torno de uma mulher de 66 anos que, ao descobrir que se acha num estado inicial do Mal de Alzheimer, decide entrar para um curso de literatura, focado em poesia, bem como, se depara com os sérios problemas provocados por seu neto, na qualidade de co-autor de uma série de estupros que leva uma adolescente de 16 anos a se suicidar.

Chang-dong Lee realiza um excelente trabalho, tanto como roteirista, quanto como diretor, sendo reconhecido pelo Festival Internacional de Cannes e pela Premiação do Cinema Asiático. No elenco, o grande nome a ser destacado é o da atriz Jeong-hie Yun, no papel principal, com uma atuação digna dos melhores prêmios mundiais, como Oscar, Globo de Ouro, etc.

Em resumo, “Poesia” é um filme imperdível para todos aqueles que gostam de um bom cinema.

CAA