Filmes por gênero

ATRAVÉS DE UM ESPELHO (1961)

Såsom i en spegel
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Em busca da verdade (Portugal)
À travers le miroir (França)
Come in uno specchio (Itália)
Como en un espejo (Espanha)
Wie in einem Spiegel (Alemanha)
Pais: Suécia
Gênero: Drama
Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Produção: Allan Ekelund
Design Produção: P.A. Lundgren
Música Original: Erik Nordgren
Fotografia: Sven Nykvist
Edição: Ulla Ryghe
Figurino: Mago
Maquiagem: Börje Lundh
Efeitos Sonoros: Staffan Dalin, Stig Flodin
Efeitos Especiais: Evald Andersson
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 2009

Elenco

Harriet Andersson Karin
Gunnar Björnstrand David
Max von Sydow Martin
Lars Passgård Minus

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio OCIC (Ingmar Bergman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Harriet Andersson)

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Ingmar Bergman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Primeiro Movimento
Diante de um céu sombrio, na costa da ilha de Fàrö próxima à ilha de Gotland, quatro banhistas retornam de um gelado mergulho no mar Báltico. Ao chegarem ao píer de madeira, Karin e seu irmão adolescente, Minus, vão a uma fazenda próxima à procura de leite, enquanto seu marido, Martin, que é médico, e seu pai, David, escritor, tratam de lançar sua rede de pesca.

David acaba de voltar da Suíça, onde foi terminar de escrever seu último romance. Enquanto lançam a rede, Martin lhe fala de sua preocupação com a saúde de Karin, diagnosticada com um tipo de esquizofrenia provavelmente incurável. Por outro lado, no caminho para a fazenda, Minus expressa sua esperança de que o novo romance do pai seja um sucesso. Já no caminho de volta, ele confessa que gostaria de poder comunicar-se mais com o pai e reclama dela viver a abraçá-lo e a beijá-lo, além de ter o costume de se banhar quase nua, demonstrando certa apreensão sexual.

À noitinha, os quatro se reúnem para o jantar ao luar, em torno de uma mesa colocada fora da casa em que se encontram. Inicialmente festiva, a atmosfera se torna um pouco amarga quando David comunica que, dentro de um mês, vai ter que viajar novamente, contrariando uma promessa feita aos filhos de que não iria mais viajar com tanta freqüência. Depois de distribuir presentes para todos e, sob o pretexto de pegar seu cachimbo, ele vai ao interior da casa onde não consegue segurar as lágrimas de uma angústia reprimida. Ao voltar para a mesa, David é surpreendido quando a família o brinda com uma pequena peça escrita por Minus. Chamada de “A Sepultura das Ilusões”, ela conta a história de um príncipe que escolhe a fama mundial ao invés do amor. Mesmo sentindo-se mexido com o tema, David o aplaude.

Ao se prepararem para dormir, Karin e Martin comentam a noite que tiveram. Quando ele procura uma aproximação maior, ela o afasta delicadamente. Mais tarde, o grito das gaivotas a desperta e ela se levanta. Indo até um quarto abandonado no andar superior, ela encosta o ouvido contra a parede e ouve vozes vindas de trás da mesma. Movendo-se, em seguida, até o centro do quarto, cai de joelhos e, em êxtase, atinge um clímax sexual. Em seguida, desce até o quarto do pai, onde ele ainda está a fazer alguns retoques em seu romance. Ele a coloca em sua cama, onde ela adormece. Algum tempo depois, Minus aparece no parapeito da janela e convida o pai para, juntos, irem recolher a rede de pesca. Ao acordar, Karin vasculha a mesa do pai, encontrando algumas anotações que falam do desenvolvimento da doença de que é portadora. Esmagada por tal descoberta, ela retorna ao seu quarto e fala ao marido sobre o que leu. Martin procura tranqüilizá-la.


Segundo Movimento
Karin e Minus encontram-se sozinhos. Ele estuda latim e, em seu livro, ele guarda uma revista de mulher pelada. Karin descobre a revista e o provoca. Em seguida, ela o leva até o quarto superior, onde lhe fala sobre sua experiência com as vozes ouvidas através da parede. Por outro lado, um pouco lúcida, ela afirma que não tem certeza se tudo o que lhe falou é real.

Algum tempo depois, Minus procura desesperadamente pela irmã que desapareceu de uma hora pra outra. Depois de várias tentativas, ele finalmente a encontra deitada dentro do casco de um resto de navio. Ao se inclinar sobre ela, numa tentativa de descobrir o que a levou até ali, ela o puxa contra seu peito num abraço apaixonado, tudo indicando que naquela ocasião se dá um incesto.

Enquanto isso, David e Martin, que haviam ido de lancha à ilha de Gotland, trocam acusações sobre as anotações feitas pelo primeiro em seu diário a respeito da doença de Karin. Ao retornarem, são recebidos no píer por Minus, que lhes fala sobre a última crise da irmã. Todos correm para o local onde ela se encontra. Ao chegarem lá, Karin expressa seu desejo de conversar a sós com o pai. Preocupado, Martin sai à procura de uma ambulância para ela. Na conversa que tem com o pai, Karin lhe diz que está desistindo de viver em dois mundos, que quer ficar internada no hospital e parar com o tratamento. Segundo ela, é terrível ver sua própria confusão e não poder fazer nada. Embora não falando de forma direta, ainda sugere ter havido o incesto, embora não o desejasse.

Terceiro Movimento
Enquanto Karin faz suas malas, Martin vai buscar um remédio para ela. Nesse ínterim, ela decide ir até o quarto abandonado do andar superior. David e Martin sobem a escada e a encontram no meio do quarto onde aguarda a iminente chegada de Deus. Ao ver o marido, ela lhe pede para que se ajoelhe ao seu lado. Uma porta abre-se sozinha para aumento da expectativa de todos os presentes. Na realidade, a abertura da porta foi causada pelo deslocamento de ar provocado pela chegada do helicóptero-ambulância que a veio buscar. Muito agitada, Karin é sedada por uma injeção que lhe é aplicada pelo marido médico.

Quando a enfermeira da ambulância bate à porta, Karin coloca seus óculos de sol, como se fosse um corte simbólico de se excluir do mundo, e caminha calmamente para a ambulância que a espera.

Após a saída de sua irmã, Minus entra no quarto do pai pela primeira vez, a quem fala de seu pânico em continuar vivendo, depois dos últimos acontecimentos. A resposta de David para o filho é a de que ele pode viver, desde que tenha algo em que se apoiar. "Eu não sei se o amor é a prova da existência de Deus, ou se o amor é o próprio Deus", diz David, mas, "esse pensamento me ajuda em meu vazio e no meu desespero sórdido". Depois de trocarem mais algumas palavras, David sai para preparar o jantar, enquanto Minus, em êxtase diz: “Papai falou comigo”.

imagem imagem imagem

Comentários

“Através de um Espelho” é um extraordinário filme do cineasta Ingmar Bergman, o primeiro de sua trilogia sobre “a fé”, ou “o silêncio de Deus”. Aliás, seu título e a própria história têm a ver com uma passagem bíblica, em Coríntios 13:12, que diz: “Hoje, vemos através de um espelho, confusamente; mas então veremos face a face”. Por outro lado, nos dois últimos minutos do filme, quando completamente inseguro, Minus procura o pai para uma conversa, no diálogo que se segue Bergman sugere que a melhor maneira de conciliar a presença de Deus em um mundo cheio de problemas é a de ver o amor e a fé como interligados.

O filme é profundo, às vezes perturbador, uma obra-prima. Além do roteiro e da direção de Bergman, merecem ser destacadas a bela fotografia de Sven Nykvist e a música de Johann Sebastian Bach. No elenco, embora Lars Passgård, no papel de Minus, esteja muito bem, os grandes nomes são os de Harriet Andersson, Max von Sydow e Gunnar Björnstrand. Aliás, Harriet rouba todas as cenas em que se acha presente.

Resumindo, “Através de um Espelho” é um filme imperdível.

CAA