Filmes por gênero

DUAS VEZES COM HELENA (2000)

imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Drama
Direção: Mauro Farias
Roteiro: Melanie Dimantas, Paulo Emílio Sales Gomes
Produção: Sílvia Fraiha, Tiza Lobo
Design Produção: Ana Schlee
Música Original: Berna Ceppas
Fotografia: José Guerra
Edição: Tuco
Direção de Arte: Paulo Flaksman
Figurino: Maria Diaz
Maquiagem: Martin Macias
Efeitos Sonoros: Saúl Almaráz, Jaime Baksht, Lena Esquenazi
Efeitos Visuais: Marcelo Brandão, Fernanda Lins, Álvaro Barata
Nota: 6.4
Filme Assistido em: 2006

Elenco

Christine Fernandes Helena
Fábio Assunção Polydoro
Carlos Gregório Alberto
Cláudio Corrêa e Castro Padre
Duda Mamberti Doutor
Renato Faria .
Thiago Mesquita .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Aos 25 anos de idade, Polydoro retorna de uma viagem de estudos à Europa e reencontra seu grande mestre e mentor, professor Alberto. Nesse alegre e afetuoso encontro, Alberto convida o ex-aluno para passar um fim de semana em Campos do Jordão, onde lhe apresentará Helena, uma bela mulher com quem havia se casado. Na ocasião, o professor acha Polydoro um tanto quanto abatido e o aconselha a fazer um check-up.

Depois de se submeter aos exames cujos resultados são mais que satisfatórios, Polydoro viaja para Campos do Jordão, onde se depara com a jovem e linda Helena que faz questão de hospedá-lo, muito embora o professor esteja em São Paulo por conta de uma emergência. Sua insistência para que ele fique em sua casa, segundo ela, é uma ordem deixada por Alberto.

Embaraçado, Polydoro aceita o convite e à noite, ela lhe oferece um jantar, um primor de bom gosto. A colocação dos pratos à mesa, o cardápio, o vinho raro, e a comida ao paladar que ele mais aprecia. Helena está bela e excepcionalmente atraente. Na lareira, um fogo brando crepita. Nesta mesma noite, Polydoro capitula à sedução da esposa do melhor amigo, mestre e professor.

Seguem-se quatro dias de intensa e ininterrupta paixão carnal, sob a intrigante escuridão do quarto e os olhares esquivos de Helena. No último dia, ela o dispensa de maneira brusca e inusitada, dizendo-lhe que falará para o marido que ele a seduzira. Movido por sentimentos insondáveis, ele não protesta, apenas concorda com tudo que Helena lhe diz e vai embora sem jamais voltar a procurá-los.

Vinte e cinco anos depois, Polydoro reencontra o casal numa estação de águas. O constrangimento toma conta de todos. Inesperadamente, Alberto lhe propõe um encontro para o dia seguinte. Apreensivo, o jovem ensaia mentalmente todos os pedidos de desculpas que lhe poderiam ocorrer. No lugar e hora combinados, quem o espera é Helena. O professor não pôde vir e ela pede para falar sem ser interrompida. À medida que seu relato avança, um grande mal-estar toma conta de Polydoro. Ele passa a conhecer a outra face da realidade vivida no passado, quando o que estava em curso era um ardiloso plano do qual ele teria sido a vítima.

imagem imagem imagem

Comentários

Segundo longa-metragem do cineasta Mauro Farias, “Duas Vezes Com Helena” é um razoável filme do cinema brasileiro. Baseado num conto de Paulo Emílio Sales Gomes, a trama, com alguma dose de mistério e suspense, nos apresenta o drama vivido por um homem ao se relacionar com a mulher de um antigo professor.

Com uma direção marcada por altos e baixos, o filme nos brinda, por outro lado, com uma ótima trilha sonora e a presença de Christine Fernandes. Fábio Assunção, no papel de Polydoro, deixa a desejar.

CAA