Filmes por gênero

A FITA BRANCA (2009)

Das weiße Band
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Le ruban blanc (França)
Il nastro bianco (Itália)
O laço branco (Portugal)
The white ribbon (USA, UK)
La cinta blanca (Espanha, Argentina, Uruguai)
Det vita bandet (Suécia)
Biala wstazka (Polônia)
Pais: Alemanha, Áustria, França, Itália
Gênero: Drama, Mistério
Direção: Michael Haneke
Roteiro: Michael Haneke
Produção: Michael Katz, Stefan Arndt, Veit Heiduschka, Andrea Occhipinti
Design Produção: Christoph Kanter
Fotografia: Christian Berger
Edição: Monika Willi
Direção de Arte: Anja Müller
Figurino: Moidele Bickel
Guarda-Roupa: Annette Bätz, Gabriele Keuneke
Maquiagem: Waldemar Pokromski, Anette Keiser
Efeitos Sonoros: Vincent Guillon, Michel Monier, Guillaume Sciama e outros
Efeitos Especiais: Gerd Nefzer, Till Hertrich, Rolf Hanke e outros
Efeitos Visuais: Geoffrey Kleindorfer, Mario Wessely
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 2013

Elenco

Christian Friedel Professor da Escola
Leonie Benesch Eva
Ulrich Tukur O Barão
Ursina Lardi A Baronesa
Fion Mutert Sigi
Michael Kranz O Tutor
Burghart Klaußner O Pastor
Steffi Kühnert Esposa do Pastor
Maria-Victoria Dragus Klara
Leonard Proxauf Martin
Levin Henning Adolf
Johanna Busse Margarete
Thibault Sérié Gustav
Josef Bierbichler Delegado sindical
Janina Fautz Erna
Enno Trebs Georg
Rainer Bock O Médico
Susanne Lothar A Parteira
Roxane Duran Anna
Miljan Chatelain Rudolf
Eddy Grahl Karli
Birgit Minichmayr Frieda
Kai-Peter Malina Karl
Kristina Kneppek Else
Stephanie Amarell Sophie
Bianca Mey Paula
Detlev Buck Pai de Eva
Anne-Kathrin Gummich Mãe de Eva
Michael Schenk Detetive
Hanus Polak Jr. Detetive
Sara Schivazappa A Babá italiana
Vincent Krüger Fritz

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Michael Haneke)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Michael Haneke)

Prêmio Educação Nacional (Michael Haneke)

FIPRESCI - Menção Especial (Michael Haneke)

Prêmios Amanda - Festival de Haugesund, Noruega

Amanda de Melhor Filme Estrangeiro (Michael Haneke)

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Não Americano (Michael Haneke)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro (Michael Haneke)

Prêmio de Melhor Direção (Michael Haneke)

Prêmios do Cinema Alemão

Prêmio em Ouro de Melhor Direção (Michael Haneke)

Prêmio em Ouro de Melhor Ator

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio em Ouro de Melhores Efeitos Sonoros

Prêmio em Ouro de Melhor Maquiagem

Prêmio em Ouro de Melhor Figurino (Moidele Bickel)

Prêmio em Ouro de Melhor Design de Produção (Christoph Kanter )

Prêmio em Ouro de Melhor Fotografia (Christian Berger )

Prêmio em Ouro de Melhor Roteiro (Michael Haneke)

Prêmio em Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Maria-Victoria Dragus)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Christian Berger)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia (Christian Berger)

Festival Internacional de San Sebastián, Espanha

Prêmio FIPRESCI (Michael Haneke)

Associação dos Críticos de Cinema de Toronto, Canadá

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Associação dos Críticos de Cinema de Washington DC

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Prêmios para Jovens Artistas, EUA

Prêmio de Melhor Ator Jovem

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor Europeu (Michael Haneke)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Oscar de Melhor Fotografia (Christian Berger )

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Associação dos Críticos de Cinema da Argentina

Condor de Prata de Melhor Filme Estrangeiro em Língua não Espanhola (Michael Haneke)

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Michael Haneke)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme Estrangeiro (Michael Haneke)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme da União Européia (Michael Haneke)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Fotografia (Christian Berger)

Prêmios do Cinema Alemão

Prêmio em Ouro de Melhor Edição (Monika Willi )

Prêmio em Ouro de Melhor Atriz (Susanne Lothar)

Prêmio em Ouro de Melhor Ator Coadjuvante (Rainer Bock)

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Filme Europeu (Michael Haneke)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Filme do Ano

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmio Roteirista do Ano (Michael Haneke)

Prêmio Diretor do Ano (Michael Haneke)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Michael Haneke)

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Michael Haneke)

Festival Robert de Copenhague, Dinamarca

Robert de Melhor Filme Não Americano (Michael Haneke)

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema 70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

Durante o verão de 1913, às vésperas da primeira guerra mundial, estranhos eventos perturbam a calma de uma pequena aldeia alemã, os quais aos poucos parecem fazer parte de um ritual punitivo dirigido contra as diferentes autoridades morais, religiosas e sociais dessa pequena aldeia enraizada na tradição luterana.

Um médico é vítima de um acidente violento ao retornar para casa em um cavalo. Tudo indica que tal acidente foi causado por um ato deliberado de um habitante da aldeia, que estendera um cabo de navio no caminho habitualmente usado pelo agredido. Hospitalizado, ele deixa sua filha mais velha, ainda adolescente, e seu filho menor sob os cuidados de sua vizinha parteira, que também é sua empregada e amante desde a morte de sua esposa.

Por outro lado, a mulher de um camponês morre ao sofrer uma queda durante o período da colheita, sem que seu marido, ainda afetado por sua morte, reaja contra o que parece ser, na melhor das hipóteses, uma negligência do administrador da propriedade do Barão da aldeia.

Um dos seu filhos, no entanto, decide causar estragos e prejuízos à propriedade, sendo punido com sua prisão. Sigi, o jovem filho do Barão, é encontrado amarrado e espancado, fazendo com que a baronesa decida passar algum tempo com o filho na Itália.

O celeiro do castelo sofre um incêndio provavelmente criminoso, sendo completamente destruído.

O pastor da aldeia, que educa seus filhos com um rigor fora do comum, infligindo-lhes castigos corporais e abusos morais, conduz igualmente de forma autoritária seus paroquianos através de seus sermões dominicais.

Depois de sua convalescença, ao voltar para casa, o médico reencontra seus filhos e a vizinha. Esta, apesar das humilhações que diariamente sofre do mesmo, continua a cuidar da família como uma forma de melhor atender a seu filho Karli, um garoto deficiente mental com o qual ela vive.

O professor do coro de crianças e jovens da escola local investiga os acontecimentos para encontrar o responsável, e aos poucos desvenda a perturbadora verdade.

imagem imagem imagem imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta Michael Haneke, “A Fita Branca” é um excelente drama do cinema alemão. A trama se passa numa pequena aldeia do norte do país, pouco antes do início da 1ª Guerra Mundial.

Filmado em preto e branco, Haneke procura mostrar a vergonha de uma sociedade hipócrita ao conseguir extrair o pior do ser humano: a maldade, a crueldade, a brutalidade, a inveja e a vingança.

 Com relação aos aspectos técnicos do filme, a imensa relação de prêmios com os quais foi agraciado fala por si só.

CAA