Filmes por gênero

A CHAVE DE SARAH (2010)

Elle s'appelait Sarah
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O seu nome era Sarah (Portugal)
La chiave di Sara (Itália)
La llave de Sarah (Espanha, México)
Sarahs Schlüssel (Alemanha)
Sarahs nyckel (Suécia)
De kaldte hende Sarah (Dinamarca)
Haar naam was Sarah (Holanda)
Ее зовут Сара (Rússia)
Gênero: Drama, Guerra
Direção: Gilles Paquet-Brenner
Roteiro: Gilles Paquet-Brenner, Serge Joncour
Produção: Stéphane Marsil
Design Produção: Françoise Dupertuis
Música Original: Max Richter
Coreografia: Corinne Devaux
Fotografia: Pascal Ridao
Edição: Hervé Schneid
Figurino: Eric Perron
Guarda-Roupa: Jonathan Gain, Tina Morel, Angélique Harnois e outros
Maquiagem: Emma Chicotot, Nelly Robin, Sylvie Duval e outros
Efeitos Sonoros: Bruno Seznec, Alexandre Fleurant, Sébastien Marquilly e outros
Efeitos Visuais: Antonin Seydoux, Rodolphe Chabrier, Frank Baradat e outros
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 2016

Elenco

Kristin Scott Thomas Julia Jarmond
Mélusine Mayance Sarah
Frédéric Pierrot Bertrand Tezac
Michel Duchaussoy Édouard Tezac
Niels Arestrup Jules Dufaure
Dominique Frot Geneviève Dufaure
Natasha Mashkevich Madame Starzynski
Gisèle Casadesus Mamé
Charlotte Poutrel Sarah, adulta
Sarah Ber Rachel
Aidan Quinn William Rainsferd
George Birt Richard Rainsferd
Arben Bajraktaraj Sr. Starzynski
Karina Hin Zoé
James Gerard Mike Bambers
Paul Mercier Michel Starzynski
Joseph Rezwin Joshua
Kate Moran Alexandra
Alexandre Le Provost Policial civil
Simon Eine Franck Levy
Paige Jennifer Barr Ornella Harris
Joanna Merlin Madame Rainsferd
Vinciane Millereau Nathalie Dufaure
Sylviane Fraval Mãe de Bertrand
Nancy Tate Alice
Maxim Driesen Édouard, quando criança
Kiley Liddell Sarah, bebê
Mark Fairchild Bob Rainsferd
Anoushka Ravanshad Mulher italiana

Prêmios

Prêmios Globes de Cristal, França

Globe de Cristal de Melhor Atriz (Kristin Scott Thomas)

Prêmios Lumière, França

Prêmio Lumière de Melhor Atriz (Kristin Scott Thomas)

Festival Internacional de Cinema de Tóquio, Japão

Prêmio do Público (Gilles Paquet-Brenner)

Prêmio de Melhor Direção (Gilles Paquet-Brenner)

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Atriz (Kristin Scott Thomas)

Festival Internacional de Cinema de Tóquio, Japão

Grand Prix de Tóquio (Gilles Paquet-Brenner)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1942, Sarah Starzynski, uma garota de apenas 10 anos de idade, esconde seu irmão mais novo da polícia francesa, trancando-o em um armário secreto e dizendo-lhe para ficar ali até que ela retorne. Juntamente com seus pais, Sarah é levada para o Vélodrome d'Hiver, onde todos são mantidos em condições desumanas pela polícia parisiense.

Poucos dias depois, eles são levados para o Campo de Beaune-la-Rolande, na região do Loire, de onde os adultos são deportados para o campo de concentração de Auschwitz. Sarah faz amizade com uma jovem de sua faixa etária, Rachel, e as duas fogem com a ajuda de um dos guardas do Campo.

Depois de caminharem através de um longo campo, elas chegam a uma fazenda, onde adormecem num pequeno cercado destinado aos cães dos proprietários, Jules Dufaure e sua esposa Geneviève. Apesar de terem consciência do perigo que irão correr, os Dufaure decidem ajudar as meninas. Pouco tempo depois, Rachel adoece e morre. Por outro lado, ao tomarem conhecimento da história de Sarah, os Dufaure a levam até o apartamento de Paris onde, ao abrir o armário em que trancara o irmão, ela começa a gritar histericamente com o que vê.

Terminada a guerra, Sarah continua a viver com os Dufaure até completar 18 anos, quando decide ir morar nos Estados Unidos na esperança de deixar para trás todo o sofrimento por que passou. Ao se casar e ter um filho, William, ela deixa de se corresponder com os Dufaure. Nove anos depois, desanimada e culpando-se pela morte de seu irmão, ela joga seu carro contra um caminhão que se aproxima. É explicado ao seu filho que sua morte foi um acidente.

Anos depois, o marido francês da jornalista Julia Jarmond herda a casa de seus avós (seu pai idoso era o rapaz que abriu a porta para Sarah em agosto de 1942). Tendo antes escrito um artigo sobre o Vélodrome d'Hiver, Julia se mostra decidida a investigar o que ocorreu quase 70 anos antes, quando seu sogro lhe fala sobre o que sabe a respeito.

Assim, ela inicia uma busca obsessiva para encontrar qualquer vestígio de Sarah. Inicialmente, toma conhecimento de sua vida no Brooklyn e, finalmente, localiza William na Itália. Ela vai ao seu encontro na esperança de obter informações sobre sua mãe, mas descobre, com surpresa, que William nada sabe a respeito dela, nem ao menos que era judia, acreditando apenas que teria sido uma camponesa francesa. Escutando com espanto as colocações de Julia, ele as rejeita e a expulsa.

 Mais tarde, no entanto, toda a história é confirmada por seu pai moribundo, Richard, incluindo o suicídio de Sarah. William recebe ainda anotações e o diário de Sarah, bem como, a chave do fatídico armário.

Tendo perdido a esperança de ter outro filho depois de anos de tentativas infrutíferas, Julia descobre que está grávida. Seu marido adora sua vida com a filha de 12 anos, Zoe, e não quer ter outro filho. Julia, no entanto, decide contra o aborto, dá à luz uma menina, divorcia-se do marido e vai morar em Nova York.

Dois anos depois, após contatar Julia, William vai ao seu encontro em um restaurante, onde lhe fala sobre sua mãe, principalmente sobre o período em que ela viveu com os Dufaure. Julia, que havia levado sua pequena Sarah, o conforta enquanto ambos olham para a garotinha.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Gilles Paquet-Brenner, a partir de um roteiro por ele escrito juntamente com Serge Joncour, “A Chave de Sarah” é um excelente drama de guerra francês produzido em 2010. Sua trama, baseada num livro de Tatiana de Rosnay, consegue prender a atenção do espectador do início ao fim.

Na direção, Paquet-Brenner nos brinda com uma direção firme, no que é ajudado pela bela fotografia de Pascal Ridao e pela magistral atuação de Kristin Scott Thomas. No papel de Sarah quando criança, a jovem Mélusine Mayance, de apenas 11 anos de idade, nos mostra seu grande potencial como atriz.

Enfim, “A Chave de Sarah” é um filme imperdível.

CAA