Filmes por gênero

UMA BATALHA NO INFERNO (1965)

Battle of the Bulge
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A Batalha das Ardenas (Portugal)
La bataille des Ardennes (França, Bélgica)
La battaglia dei giganti (Itália)
La batalla decisiva (México, Argentina)
La batalla de las Ardenas (Espanha)
Die letzte Schlacht (Austria, Alemanha)
Det stora slaget (Suécia)
Panserslaget ved Ardennerne (Dinamarca)
Битва в Арденнах (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: 2ª Guerra Mundial, Drama
Direção: Ken Annakin
Roteiro: Philip Yordan, Milton Sperling, John Melson
Produção: Milton Sperling, Philip Yordan
Música Original: Benjamin Frankel
Direção Musical: Benjamin Frankel
Fotografia: Jack Hildyard
Direção de Arte: Eugène Lourié
Figurino: Laure Lourié
Guarda-Roupa: Charles Simminger
Maquiagem: Trevor Crole-Rees, José María Sánchez
Efeitos Sonoros: David Hildyard, Gordon K. McCallum, Kurt Hernfeld
Efeitos Especiais: Alex Weldon, Richard Parker, Basilio Cortijo
Efeitos Visuais: Francisco Prósper
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1996

Elenco

Henry Fonda Tenente Coronel Daniel Kiley
Robert Shaw Coronel Martin Hessler
Robert Ryan General Grey
Dana Andrews Coronel Pritchard
George Montgomery Sargento Duquesne
Ty Hardin Tenente Schumacher
Pier Angeli Louise
Barbara Werle Elena
Charles Bronson Major Wolenski
Hans Christian Blech Conrad
Werner Peters General Kohler
James MacArthur Tenente Weaver
Karl-Otto Alberty Von Diepel
Telly Savalas Sargento Guffy
Steve Rowland Eddy
Robert Woods Joe, piloto de Daniel Kiley
Charles Stalmaker Major Burke
Carl Rapp Tenente da Policia Militar Americana
Janet Brandt Madre Superiora
Quinn Donoghue Freira
William Boone .
Robert Royal .

Indicações

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Telly Savalas)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Benjamin Frankel)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Oficial da Inteligência Militar, o Tenente Coronel Daniel Kiley, juntamente com seu piloto Joe, faz um voo de reconhecimento sobre a floresta de Ardennes. Por outro lado, numa toca subterrânea, o General Kohler, ao apontar para um relógio com uma contagem regressiva de 50 horas, informa ao Coronel Martin Hessler que aquele é o tempo previsto para a operação, além do qual a Alemanha não teria recursos para empreender um ataque em grande escala. Paralelamente, um grupo de soldados alemães, disfarçados de militares americanos, tem a tarefa de conquistar pontes vitais e semear a confusão por trás das linhas aliadas.

Ao retornar de sua missão, Daniel Kiley adverte que os alemães estão planejando uma grande ofensiva, mas seus superiores, o General Grey e o Coronel Pritchard, não acreditam que a Alemanha tenha recursos materiais e humanos que permitam um ataque desse porte.

Na esperança de descobrir mais provas, Kiley visita uma posição da infantaria americana na Linha Siegfried, sob o comando do Major Wolenski. Uma patrulha, comandada pelo Tenente Weaver e o Sargento Duquesne, captura alguns soldados alemães jovens e inexperientes, o que faz Kiley concluir que as tropas experientes foram deslocadas para promoverem uma grande ofensiva, sendo seu modo de ver rejeitado, mais uma vez, por Pritchard.

O Coronel Hessler lança seu ataque no dia seguinte. Despertado pelo barulho dos tanques alemães, o Major Wolenski lidera seus homens para a área arborizada de Schnee Eifel, próxima da fronteira entre a Bélgica e a Alemanha, onde tentam inutilmente superá-los. Por outro lado, um grupo de tanques aliados, liderado pelo Sargento Guffy, tenta retardar os Panzers, mas os canhões fracos de seus tanques e blindados são ineficazes, forçando o grupo a recuar.

O Tenente Schumacher e suas tropas disfarçadas conseguem capturar a única ponte sobre o Rio Our capaz de suportar os tanques pesados. Por outro lado, o Coronel Hessler continua com sua ponta de lança em direção à Amblève, sendo observado por Kiley. Enquanto isso, ao assumir o controle de um cruzamento vital de três estradas que ligam Amblève, Malmedy e a Linha Siegfried, o Tenente Schumacher sabota os sinais de trânsito, fazendo com que o último escalão do Major Wolenski tome o caminho errado de Malmedy, onde quase toda a unidade é capturada e massacrada. O Tenente Weaver consegue escapar, mas o Sargento Duquesne é morto. Por outro lado, ao testemunharem os homens do Tenente Schumacher colocar explosivos incorretamente na ponte sobre o Rio Our, fica claro que se trata de soldados alemães disfarçados de americanos.

Os tanques e a infantaria comandados pelo Coronel Hessler conquistam Amblève, onde muitos americanos são capturados, inclusive o Major Wolenski. O General Grey, o Coronel Pritchard e o Tenente Coronel Daniel Kiley conseguem fugir para o Rio Meuse, onde as forças americanas se reagrupam e organizam um contra-ataque. Enfrentando os perigos de uma noite de nevoeiro, Kiley realiza um reconhecimento aéreo através do qual ele vê uma coluna de tanques do Coronel Hessler indo em direção às linhas americanas. Após fornecer as coordenadas através do rádio, seu avião é atingido pelo fogo inimigo e cai perto de um depósito de combustível americano.

Enquanto isso, as forças do General Grey se preparam para enfrentar Hessler. Quando do enfrentamento, no entanto, os tanques americanos são sistematicamente destruídos à custa de muito combustível queimado pelos alemães. O Tenente Weaver, o Sargento Guffy e os demais sobreviventes americanos conseguem chegar ao depósito de combustível.

Por outro lado, ciente da escassez de combustível, Hessler segue com um destacamento até o depósito, com a intenção de capturar seus estoques. Weaver reconhece o Tenente Schumacher, que ainda está se passando por um americano. A um sinal seu, ele e seus homens abrem fogo contra os alemães disfarçados, matando todos. Em seguida, os americanos inundam a estrada com gasolina e a incendeiam. Quase todos os tanques alemães são destruídos no incêndio, inclusive o do Coronel Hessler. Os alemães remanescentes fogem em direção à Alemanha.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta britânico Ken Annakin, “Uma Batalha no Inferno” é um razoavelmente bom filme sobre a 2ª Guerra Mundial, embora longe de chegar ao nível de “O Mais Longo dos Dias”, de 1962, onde Annakin foi um dos diretores. Sua trama gira em torno da famosa batalha de Ardennes, na Bélgica, entre tropas americanas e alemãs.

Embora apresente um bom ritmo, a direção de Annakin é marcada por alguns altos e baixos. No elenco, Robert Shaw, Henry Fonda, Telly Savalas, Charles Bronson e Robert Ryan realizam um bom trabalho, com destaques para as brilhantes atuações dos três primeiros.

Enfim, “Uma Batalha no Inferno” é um filme que merece ser visto por aqueles que admiram estórias sobre a 2ª Guerra Mundial.

CAA